Tentando defender título sem Suárez, técnico quer montar Uruguai forte para Copa América

Apesar da ausência de Suárez (D), Tabárez (E) quer grupo competitivo para defender 
título da Copa América  (Crédito: Divulgação)

13/02/2015

Atacante terá que cumprir suspensão por mordida em Chiellini na Copa do Mundo

O treinador da seleção uruguaia, Óscar Tabárez, resolveu reunir a imprensa, na última quarta-feira, e falar pela primeira vez desde o Mundial 2014 para comentar a preparação do Uruguai visando a disputa da Copa América, que será realizada no Chile ente os meses de junho e julho. Atuais campeões da competição, título levantado em 2011, os uruguaios terão um desafio a mais para disputar a edição no país andino: superar a ausência do atacante Luis Suárez.

Protagonista de um dos lances mais incomuns do cenário futebolístico em 2014, ao morder o ombro do italiano Giorgio Chiellini em partida válida pela última rodada da fase de grupos da Copa do Mundo, Suárez teve a maior punição da história dos Mundiais ao receber suspensão de nove jogos oficiais. O primeiro foi cumprido ainda no Brasil, nas oitavas de final contra a Colômbia, mas ainda restam oito. Considerando que, se chegar à final, o Uruguai vai disputar seis jogos na Copa América, a presença do camisa 9 se faz impraticável.

“Estamos trabalhando para ter uma equipe competitiva sem Suárez. O Uruguai disputou partidas em que ele não esteve, como contra a Venezuela, e conseguimos vencer. Se empatássemos esse jogo, lembro que estaríamos fora do Mundial”, comentou. “Perguntar-me sobre o Uruguai sem Suárez é a mesma coisa que questionar o que acontece com a Argentina sem o Messi”, acrescentou Tabárez, que na Copa América terá de enfrentar Argentina, Jamaica e Paraguai no Grupo B do torneio.

Questionado sobre a postura de Suárez, o treinador deixou de lado as polêmicas e preferiu valorizar sua importância dentro de campo, relembrando suas atuações na Copa do Mundo disputada no Brasil. “Tem um caráter indomável porque nunca renuncia a nada. No último Mundial ele estava praticamente descartado por ter feito uma operação no joelho, e todos viram o que ele fez no jogo contra a Inglaterra (quando marcou dois gols e deixou o Uruguai em condições de classificar). Cada vez que Luis vem a seleção, traz algo diferente”, reconheceu.

Ao projetar a campanha na Copa América, Tabárez admitiu que prefere chegar desacreditado ao torneio, como aconteceu em oportunidades anteriores, e se mostrou ciente da responsabilidade de defender o título. “Já passamos por maus momentos, mas sempre tivemos uma boa capacidade de recuperação. Vamos chegar a Copa América como fomos a anterior: ninguém falava de nós. Não que isso seja uma previsão de futuro, mas este país é o último campeão da Copa América e somos os atuais defensores do título, isto nos dá algo”, declarou.

Amistoso agendado no Mundo Árabe

Na próxima data Fifa, em 28 de março, o Uruguai já tem compromisso marcado. A seleção celeste se concentrará em Lisboa, capital de Portugal, para reunir o elenco e treinar antes de partir viajar ao Marrocos, onde vai enfrentar a seleção local no estádio D'Agadir.

Como a punição de Luis Suárez só o impede de atuar em jogos oficiais, o camisa 9 poderá estar em campo para disputar o amistoso diante dos marroquinos. Além dele, devem se unir ao grupo nomes como Godín e Giménez, que também atuam no futebol espanhol e se encontrarão com a delegação em Portugal.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...