Dunga é o novo técnico da Seleção Brasileira

Créditos: Rafael Ribeiro / CBF

22/07/2014

O presidente da CBF, José Maria Marin, e o vice-presidente Marco Polo del Nero apresentaram o novo técnico da Seleção Brasileira, Dunga, em coletiva de imprensa na sede da entidade.

O primeiro amistoso de Dunga à frente da Seleção será dia 5 de setembro contra a Colômbia, no Estádio Sun Life, em Miami, e dia 9, contra o Equador, no Estádio MetLife, em Nova Jersey. O Superclássico das Américas - confronto contra a Argentina - será disputado no dia 11 de outubro, no Estádio Ninho do Pássaro, em Pequim, na China. 

Além dos amistosos desse ano, Dunga já começou a trabalhar em conjunto com o coordenador Gilmar Rinaldi traçando o planejamento para o futuro imediato: a disputa da Copa América, em 2015, no Chile, e das Eliminatórias para a Copa do Mundo 2018.

- Não podemos vender ilusão ao torcedor brasileiro. A Seleção Brasileira terá muitas dificuldades pela frente a começar pela Copa América, cujos adversários melhoraram muito de nível, e depois, as Eliminatórias.

Antes da Copa do Mundo haverá as Olimpíadas de 2016, no Rio de Janeiro, em que técnico será Alexandre Gallo, como ratificou, na entrevista, Gilmar Rinaldi.



Brasil cai para sétimo no ranking da Fifa

Brasil cai para sétimo no ranking da Fifa - Crédito: Vanderlei Almeida / AFP / CP

22/07/2014

Campeã da Copa do Mundo, Alemanha chegou à liderança da lista

A Copa do Mundo modificou o ranking da Fifa, liderado pela campeã Alemanha, à frente da Argentina e da Holanda. O Brasil, que aparecia em terceiro lugar na classificação anterior, perdeu quatro posições e agora está em sétimo. Segunda colocada na classificação divulgada no início de junho, a Alemanha assumiu a ponta após o título. A vice-campeã Argentina ganhou três posições e aparece na vice-liderança.

A Holanda ganhou 12 posições e subiu do 15º para o terceiro lugar. Colômbia e Bélgica completam a turma dos cinco melhores, enquanto o Uruguai aparece em sexto lugar.

O tombo da Espanha, eliminada na primeira fase da Copa, foi ainda maior: líder em junho, agora aparece apenas na oitava posição. Uma das surpresas da Copa do Mundo do Brasil, a Costa Rica, eliminada nas quartas de final, ganhou 12 posições e ocupa o 16º lugar no ranking.

Ranking da Fifa em 17 de julho:

1. Alemanha(+1) 
2. Argentina (+3)
3. Holanda (+12)
4. Colômbia (+4)
5. Bélgica (+6)
6. Uruguai (+1)
7. Brasil(-4)
8. Espanha(-7)
9. Suíça (-3)
10. França (+7)
11. Portugal (-7)
12. Chile (+2)
13. Grécia (-1)
14. Itália (-5)
15. EUA (-2)
16. Costa Rica (+12)
17. Croácia (+1)
18. México (+2)
19. Bósnia (+2)
20. Inglaterra (-10).



Mais de dez mil jornalistas foram recebidos nos Centros Abertos de Mídia da Copa

22/07/2014 

Foram produzidas mais de 60 mil matérias sobre o Brasil veiculadas em todo o mundo. De acordo com pesquisa realizada pela Fipe, 96,5% dos jornalistas internacionais recomendariam uma viagem ao país

Foto: Divulgação/CAM
Em uma iniciativa inédita na história das Copas do Mundo, a Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República (Secom) adotou estratégia de comunicação integrada para levar informações sobre o Brasil e apoiar a imprensa global que veio ao país para cobertura do Mundial. Durante o torneio, mais de dez mil jornalistas de 84 países foram atendidos nos Centros de Abertos de Mídia instalados nas 12 cidades-sede.

Em levantamento preliminar, a Secom identificou mais de 60 mil matérias sobre o Brasil veiculadas em todo o mundo. De acordo com pesquisa realizada pela Fipe, 96,5% dos jornalistas internacionais recomendariam uma viagem ao país. “Os principais efeitos de comunicação da Copa são de percepção. A onda de pessimismo que tomou conta do Brasil até maio foi absolutamente revertida”, aponta o ministro-chefe da Secom, Thomas Traumann.

Antes de a bola rolar, o apoio à realização do torneio girava entre 50% e 55%. Ao final, estava em 70%. Chegou perto dos 80% antes da eliminação do Brasil, segundo pesquisa telefônica do Ibope, encomendada pela Secretaria. Traumann explica que a ação buscou aproveitar a visibilidade sem precedentes que a Copa trouxe ao Brasil.

“As milhares de reportagens sobre o Brasil publicadas pela imprensa nacional e estrangeira mostraram ao planeta um país que vai muito além do futebol – da sustentabilidade e inovação à economia, cultura e inclusão social”, explica. “É abissal a diferença entre a cobertura da Copa pela imprensa antes e depois do início do torneio”.

O ministro destaca que vários recordes foram batidos. A Copa foi o evento mais comentado nas redes sociais do mundo. No Twitter, apenas o jogo Brasil e Alemanha gerou 35,6 milhões de mensagens. O Facebook anunciou que a Copa gerou mais de 3 bilhões de interações na rede.

No Brasil, foram mais de 25 milhões de posts durante os últimos trinta dias. Até junho, para cada post positivo havia um post negativo. Após um mês, o volume total de postagens no Brasil mostrou 75% de menções favoráveis ao torneio nas redes sociais.

Estratégia

Os Centros Abertos de Mídia (CAMs) ofereceram infraestrutura de trabalho aos jornalistas credenciados ou não pela FIFA, para a cobertura da competição. A ação incluiu entrevistas coletivas com porta-vozes oficiais, eventos culturais e visitas a locais de interesse em cada cidade-sede. Isso permitiu a agências, jornais, emissoras de televisão e de rádio uma cobertura diversificada.

“Com a realização de 22 entrevistas coletivas com 11 ministros e outras autoridades, o CAM João Saldanha, no Rio, tornou-se referência para os profissionais que buscavam informações oficiais do governo brasileiro sobre a Copa”, afirma o secretário de Imprensa da Presidência, Olímpio Cruz.

Jornalistas estrangeiros também puderam conhecer melhor o Rio de Janeiro e a cultura brasileira por meio de visitas guiadas oferecidas gratuitamente pela equipe do CAM e degustações de produtos nacionais. Somente na cidade, onde o governo federal assumiu a responsabilidade direta pela montagem da estrutura e da programação, em uma parceria entre a Secom, Apex-Brasil, Embratur e a prefeitura do Rio, o CAM João Saldanha, no Forte de Copacabana, recebeu mais de quatro mil jornalistas de 84 países em 36 dias de funcionamento.

Os profissionais de imprensa puderam contar com estações de trabalho, internet sem fio, cabines de rádio, infraestrutura para transmissão de imagens ao vivo e o apoio de uma equipe de mais de 20 assessores de comunicação bilíngues na apuração de informações para suas reportagens.

No CAM João Saldanha, os jornalistas receberam material em inglês, espanhol e português com informações para o trabalho da imprensa na cobertura da Copa. Foram distribuídos o "Guia do Jornalista", com dicas sobre o Brasil e as 12 cidades sede e o manual "O que você precisa saber sobre a Copa do Mundo", com dados econômicos, sociais e de infraestrutura sobre o evento. Além disso, foi oferecido um banco de pautas sobre as 12 cidades-sede, as cinco regiões do Brasil e sobre programas do governo federal, 23 visitas guiadas com foco em turismo, inovação e projetos que unem esporte e inclusão social.

O governo também colocou à disposição das emissoras de TV de todo o mundo, um banco de imagens das cidades-sede para livre utilização. O banco foi acessado gratuitamente copabrasil.ebc.com.br. Todo o conteúdo produzido pelo CAM, tais como press releases, entrevistas com autoridades e vídeos das coletivas estão disponíveis no Portal da Copa.

Nos centros abertos de mídia das demais onze cidades-sede, o governo federal também teve participação importante, especialmente na estruturação das equipes de trabalho. Mais de 60 assessores de comunicação foram alocados nos CAMs de todas as capitais da Copa, para auxiliar na interlocução com a imprensa.



Dez pistas da 'filosofia' que Dunga deve levar para a seleção brasileira

22/07/2014

O que esperar de Dunga nesta sua volta ao comando da seleção brasileira? No início do mês, em meio à Copa do Mundo, ele deu algumas pistas sobre como vê o trabalho de um técnico de seleção.

Foi na véspera da partida entre Alemanha e França, válida pelas quartas de final, no Maracanã. Dunga participou de um evento promovido pela Coca-Cola ao lado do ex-jogador argentino Claudio Caniggia. À vontade, ele respondeu a perguntas de jornalistas por quase uma hora.

É preciso levar em conta que estas declarações foram dadas antes do trágico 7 a 1. Em todo caso, relendo as suas respostas, é possível ver com alguma clareza como o técnico pensa a respeito de algumas questões fundamentais. Veja abaixo:

1. Excluir um jogador polêmico pode ajudar a unir o grupo
"Recentemente conversando com o (Arrigo) Saachi (técnico da Itália na Copa de 94), ele disse: 'Você tem que convocar os jogadores pela competência, mas também pela confiança'. O Deschamps (técnico da França) começou a ganhar o grupo quando deixou um jogador de fora (referência ao meia Nasri, do Manchester City)."

2. Nem todo jogador "polêmico" é um Romário
"O treinador escolhe pela competência. Quando tem dois no mesmo nível, você vai escolher o menos polêmico, o que cria menos problema. Mas, se esse polêmico resolve as coisas dentro de campo, você tem que engolir. Agora, tem muito jogador polêmico que não resolve dentro de campo."

3. Não escala ninguém pela fama
"Muita gente diz: você tem que trocar fulano. Tudo bem. Mas me diz quem tem que sair? Eu, como profissional, se dou igualdades de condições de trabalho para todos, o que se acha melhor tem que mostrar em campo."

4. A fidelidade aos jogadores tem limites
"Foi assim com o Parreira em 94. Deu as oportunidades a quem estava com ele desde as eliminatórias, depois começou a mudar. Tem uma hora que o jogador precisa aparecer. Quanto maior é a cobrança, mais é a hora de mostrar a cara."

5. O capitão do time pode sentir a pressão
"Cada uma tem uma forma de reação, uma personalidade. Tem que ver o ser humano também. Que pode ter virtudes e defeitos como todos nós, que também sente a pressão. O mais importante é que o grupo entenda essa reação e saiba da personalidade do Thiago (Silva)."

6. Em uma seleção não há só um líder
"Não é só ele (Thiago Silva) que tem que fazer a liderança. Todos têm que ajudar. Só quem está lá dentro pode saber."

7. O talento individual muitas vezes é suficiente
"O que a gente vê (na Copa)? Fala-se em times ofensivos, mas o que se vê? Seleções marcando atrás do meio de campo, com jogadores velozes, que sabem definir. Quem define é o talento. Fala-se mal da Argentina, mas ganhou todos os jogos."

8. Ansiedade é diferente de pressão
"Pressão que a minha geração teve, em 94, não vai ter nunca. Era pau o tempo todo. Aquela geração tinha um temperamento muito forte. Essa geração não tem pressão, tem ansiedade, de mostrar ao Brasil que pode jogar em casa. Na Copa das Confederações, conseguia fazer gol logo no começo. Agora é diferente. Os jogadores estão ansiosos agora porque não conseguem fazer gol logo no inicio."

9. O papel do técnico é organizar
"A Colômbia melhorou muito com a entrada do Pekerman. Era um time muito desorganizado, sem obediência tática."

10. O enfrentamento com a imprensa faz parte do negócio
"Cada um tem uma forma de reação. Deixei todo mundo trabalhar igual e fui criticado. O Felipão está fazendo escolhas e está sendo criticado. Ser treinador da seleção tem mais prazer do desgosto. Como a gente reclama, vocês podem achar que a gente não gosta. Até com as entrevistas a gente se divertia. A gente sabia até o que os repórteres iam perguntar. 'Aquele cara, ele vai fazer uma pergunta pra me alfinetar'. Assim como vocês estudam a gente, a gente estuda vocês. Nunca deixei ninguém sem resposta. O treinador vai ser criticado sempre."

Fonte: UOL




Divulgada a lista de gandulas da Copa do Mundo da Fifa Brasil 2014™

21/07/2014

445 meninos e meninas foram selecionados após treinamento e foram aptos a atuar nas 64 partidas
Jovens foram aprovados segundo critérios da FIFA

Com a iniciativa, Coca-Cola reforça os benefícios da Vida Ativa, um dos três legados da companhia para a Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014™

O Brasil viveu o clima de Copa do Mundo com o desembarque das 32 seleções no país e a Coca-Cola Brasil realizou a convocação de mais uma importante equipe que esteve em campo: os gandulas da Copa do Mundo da FIFA 2014™.

Os 445 gandulas selecionados para atuar nas partidas da competição, todos vencedores da Copa Coca-Cola 2013, passaram por um treinamento promovido pela Coca-Cola Brasil em março deste ano. Jovens entre 13 e 16 anos provenientes das cidades-sede da competição, além de Santa Maria, participaram de aulas teóricas e práticas que os capacitaram a exercer a importante função de gandula. Para muitos é a chance única de participar de uma partida de futebol oficial da FIFA e a oportunidade de entregar a bola do jogo nas mãos de ídolos como Neymar ou o argentino Messi.

“A Coca-Cola parabeniza os escolhidos Todos já foram campeões da Copa Coca-Cola ano passado e, temos certeza, viverão uma experiência inesquecível durante a Copa do Mundo. Estamos muito orgulhosos”, afirma Michel Davidovich, vice-presidente e gerente geral da Coca-Cola Brasil para a Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014™.

Todas as ações da Coca-Cola durante a Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014™ são baseadas nos três legados que a companhia pretende deixar para o país com o evento: comunidades, reciclagem e vida ativa. A Copa Coca-Cola e o treinamento dos gandulas têm como objetivo maior incentivar a vida ativa, através da prática esportiva. Utilizando o futebol, esporte praticado por jovens em todo o Brasil, a Coca-Cola pretende reforçar os benefícios da atividade física com momentos de alegria e diversão. A iniciativa faz parte do Youth Programme da companhia.

Conheça os 445 gandulas selecionados para a Copa do Mundo da FIFA™


Belo Horizonte

Lyncoln Marcio da Silva Rosa
Matheus Rodrigues Souza
Mayara Cristina Queiroz Reis
Mayra Helena De Lima
Natielle Cirino de Jesus
Pablo Henrique Silva De Jesus
Paola Cunha Fanesio
Pedro Henrique De Oliveira Gomes
Pedro Henrique Rodrigues Ferreira
Rafael Aurélio Sá da Silva
Rayane Raquel Rodrigues Dos Santos
Sarah Gonçalves dos Reis
Savio Henrique Pereria Nascimento
Suellen Bacelar de Souza
Victor Henrique Xavier De Oliveira
Vitória Cristina Alves Balieiro
Vivian Alexandra De Padua Souza
Yago de Aguilar Santos


Brasília

Adriely Fernanda Ribeiro Inacio
Álvaro de Almeida Ventura
Amanda Cristina Barbosa da Conceição
Bárbara Costa da Silva
Bruna Lohanny Borges de Freitas
Eduardo Augusto Roriguis de Sallis
Gabriel Teles de Lima
Gabriel Verneque de Souza
Gabriela Gomes da Silva
Guilherme Cruz
Gustavo Moreira de Souza
Helora Danna Lima dos Santos
João Paulo Ramos Cardoso
João Victor Sarmento da Silva
João Vítor de Sousa Pereira
Karolaine Adrielle de Lima Vieira
Kleane Alves Gomes
Laisse Rodrigues dos Santos
Lanna Gabriella Gomes Machado
Larissa Oliveira de Farias
Laylla Machado de Oliveira Gonzaga
Letícia Teles da Silva
Lorena Dantas Rodrigues
Lucas José de Oliveira Agnello
Lucas Marques Barbosa
Marta Edyth Gomes Neres
Matheus Álefe de Sousa Silva
Matheus Alex Souza Santiago
Nathália Stefane Gomes Carneiro
Nayara Lima Souza Ribeiro
Poliana Moraes Lopes
Shayenne Alves Lima
Thiago Augusto Santos Oliveira
Thiago Monteiro Dias Rocha
Vinicius Ximenes Silva
Vitória Lopes Felipe de Sousa
Wildson Rodrigues dos Santos
William Andrade Pereira
Yago Brito da Cruz


Cuiabá

Antonio Carlos Amorim de Moura
Bruno Vinícius Souza Amorim
Cesar Henrique da Silva
Douglas dos Santos Olbriano
Ewilk de Paula
Gustavo Henrique de Oliveira Soares
Henrique Cesar da Silva
Henrique Christian S. Kiske
João Pedro Rabelo da Silva
Juan Pablo Padinha da Costa
Luis Guilherme Amorim da Silva
Matheus Vinícius de A. Costa
Michel Edner Silva Nascimento
Paulo Vítor Cruz de S. Costa
Vinícius Durval da Silva Ribeiro
Walisson Goes S. Camargo
Wesley Vítor de Paula Silva
Giovane Arruda Nogueira
Alberto Magnani
Danillo Fernando da Matta Silva
João Vitor Gharib de Moraes
Matheus Leal da Silva
Felipe Bonato da Silva
Aline Gomes Santana
Maria Santana g. Dos Santos
Djenifer Fernanda S Barua
Rafaela Cristina da S Pinheiro
Herica Reis Mendes Pereira
Evelin Silverio Andrade
Karoline Ferreira Lima
Gabriela Rodrigues de Lime
Larissa Karoline Lima
Daiana Schafer
Maria Eduarda A da Silva


Curitiba

Lucas Gabriel F. Laidens
Matheus Gomes de Mattos
André Luis Pinheiro Noel
Gabriel Caio Kovalski
Juliano Felipe Rigon
Murilo Gabriel Limas Sena
Gabriel Noviski Thá
Leonardo Glonek
Derick Domingues Camargo
Henrique Cezar Kutz Minotto
Ana Julia Da Silva
Gabriela Dal’mas
Gabriela Gobo Nogueira
Hellen Lorraine Rocha França
Juliana Dos Santos Garcia
Ketlyn Campos Do Nascimento
Luana Rodrigues De Souza
Maria Eduarda Santin
Mariana Gobo Nogueira
Mayara Fernanda De Almeida
Myrelly Karyane Passos Melnixenco
Nathalia Stefanny Mendes De Souza
Nathalye Peron Ansay
Patricia Pereira De Lima
Raphaela Dos Santos Vieira
Suelen Cristina Rodrigues
Thais De Lima Souza Freitas
Yasmin Marcene de Souza


Fortaleza

Alane Guedes de Sousa
Alessandra Kelly da Silva Barroso
Ana Beatriz Batista Alves
Carlos Henrique da S. Ferreira
Carlos Victor Silva Costa
Criziano Lopes Da Silva
Denilson De Sousa Lima
Francisco Eudo Da Silva Filho
Francisco jefferson de lima matos
Gabriel da Silva Sousa
Gabriel Ricarte Martins
Jardeu Ribeiro Chaves
João Gabriel Castro Viana
Joao Pedro Saraiva Valentim
João Rodrigues da Silva Neto
João Vitor Sousa Lima
Karolyne de Carvalho Rodrigues
Leonardo Ravely Correia Souza
Levy Ferreira de Paula
Liandra Maria Lucas da Silva
Luana Sampaio de Sousa
Maria Gisele Areimualdo de Oliveira
Matheus Santos da Silva
Matheus Silveira Martins
Paulo Ney Fideliz dos Santos Junior
Renan Arruda Albuquerque Pereira
Renan Ferreira Parente
Thayane Camurça Monteiro Queiroz
Vanderson Feitosa Souza
Vinicius Cardoso Loureiro
Vitoria Kelly Lima da Silva
John Herbert Inácio Lemos
Philipe Ripardo Rodrigues
Pedro Humberto Correia Mourão Neto
Tauan Rocha Do Amaral
Herick De Paulo Rodrigues
Kaique De Assis Lima


Manaus

Alex Martins Coelho
Amanda Barros Lemos
Ariel Hatila de Almeida Vieira
Bianca de Brito Honorato
Caio John Carvalho Neves
Claudio Manuel da Cunha Alvarez
Daniel de Souza Farias
Deise Costa de Sá
Deyner Pinho da Silva Junior
Fabia Pereira de Souza
Irla Gabriela Machado Holanda Coutinho
Isabela Matos Pereira
Jeanice Leandro Rubem
Jhullye Laize Pereira Coelho
Josiane Santos Silva
Juliana da Silva Vidinho
Leonardo Andrade Fernandes
Leonardo Matheus Gama Maciel
Leonardo Queiroz de Alencar
Lucas Fabricio Neves de Almeida
Paulo Henrique Brandão da Silva
Pedro Henrique Farias de Oliveira
Pollyanna Beatriz da Silva de Paula


Porto Alegre

Alisson Guilherme Frohlich
Angela Costa Garcia
Bruna Cruz Strey
Bruna Matiele Vaz
Cristiano Lopes Pereira
Eder Luan dos Santos Paim
Eduarda Rafaela da Silva
Elisa Schuler
Elysnandria Portes da Rosa
Emilly Nunes de Jesus
Evelyn Carolina Barth
Felipe Volkweis
Gabriel Fabiano da Rosa Amado
Gabriel Flesch Coelho
Gabriel Freitas Alves
Helen Bueno Nunes
João Pedro de Souza Rolim
Jonas da Rocha Pacheco
Kevin Hermann dos Santos
Kiarah Lorraine Pereira Barbosa
Luiz Henrique Dapper
Luiza Wagner Farinon
Nathalia da Rosa Correa
Nicolas Daniel Stein
Nicolas Hoch
Patricia de Campos Vieira
Piterson Alencar Heinrich da Silva
Renata da Silva Estraich
Samira Silva de Sousa
Stefani Francieli Nunes Prates
Stephane Juliane Cabral Rocha
Tcharles da Silva Rodrigues
Thaina Paola Sena Peres
Thierry Marcio Correa Trindade
Treyci da Silva Campos
Vanessa Cardoso Wagner
Vinicius Iuri de Moraes
Vitoria Caroline da Silva
Vivian Annes Bitencourt
William Matheus dos Santos Lima
William Renan da Rosa


Recife

Alan Delon Santos de Oliveira
Allana Veruscka Wrachavsky Pereira
Ana Clara da Silva Cabral
Andreia Lira Pereira
Ariele Aniceto Ingles
Beatriz Nunes de Lima
Bianca Bezerra Cavalcanti
Bruno Henrique Marques Torres
Carolina Gonçalves Dias
Douglas Manoel Silva Magalhães
Elias André da Silva
Evelline Ferreira de Lima
Fabricio da Silva Oliveira
Felipe Cursino de Almeida Ferreira Soares
Felipe Matheus Queiroz Barbosa
Felipe Ribeiro
Guilherme de Albuquerque Stanford
Heleno Rodrigues dos Santos Neto
Jean Phillipe de Andrade Silva
Jenneffer Franciely Souza da Silva
Jhonata Robert Alves da Silva
Jhonathan Italo Sant´Anna de Lemos
João Eder Maciel Jorge Junior
João Pedro da Silva Lopes
João Pedro Nobrega Inojosa
Jorge Eduardo Maciel Gonçalves da Silva
José Gutemberg Soares de Lima
José Vitor Celestino da Silva
Karolayne Gonçalves Dias
Larissa Paula Pereira de Souza
Lidiane Francisco de Lira
Lucas Farias Simões
Lucas Gustavo Florencio Macêdo
Luis Antonio de Araujo Filho
Marcello Gean Felix de Araujo
Maria Alice de Souza Azevedo
Matheus Vinicius Anunciação Neves
Paloma Brito da Silva
Pedro de Miranda Henriques Simoni
Renata Alice de Amorin Alves
Richen Roberto da Silva Santos
Ruam Felipe Barbosa do Nascimento
Sávio Gomes Francisco de Moura
Victor Antonio do Nascimento Santos
Welerson Fabio de Oliveira da Silva
William Laurindo Bezerra Júnior
Yago Elói Menezes de Almeida
Yuri Henrique de Freitas Domingues Ferreira


Rio de Janeiro

Alex Paulo Espinhosa Ramos
Angelina Alonso Costantino
Arthur José Cunha de Melo
Carolina Nascimento Soares de Sá
Cindy Valim de Souza
Diego Santos de Oliveira
Gabrielle Nicole da Rocha
Hugo Souza Fialho
Juliana Pacheco da Silva
Julio Mariano R. Seixas de Oliveira
Jully Luciano da Silva
Kauany Dias da Costa
Kauany Sousa Felizola Soares
Leticia Braga de Oliveira
Lucas Nunes da Costa
Luiz Claudio Oliveira Junior
Marcos Paulo Pina Benedicto
Maria Juliana da Silva
Marlon Marcio Reis de Oliveira
Matheus da Silva Pereira
Matheus Moreira Bonance dos Santos
Matheus Santos de Oliveira
Matheus Silva dos Santos
Nycholas de Araujo Acioly Gonçalves
Pedro Henrique B. Peçanha Martins
Renato Vitor Negreiros Valentim
Rondinelli Furtunato da Silva
Roosevelt Lopes de Almeida Junior
Samara de Freitas Martins Lino
Vinicius Gomes de Aguiar
Yzamara Alves de Oliveira Braz
Andressa Pereira Rosa
Stefane Pereira Rosa
Ana Vitoria Gouvêa Magalhães


Salvador

Alisson Santana Martinez Monteiro
Amanda Caroline Cordeiro de Oliveira
Amanda Victoria Luz Souza Santos
Andrea da Silva Machado
Andreina Barbosa dos Santos
Andressa Silva Sousa
Antônio Lucas Santos Leal
Bianca Kelvin Amado da Paixão
Brendo Filipe Feitosa da Silva
Dara Maria Matias Diniz
Deivide Amorim de Souza
Edmilson de Jesus Braga
Eduardo Leite Reis
Erica Oliveira Bispo
Erique Santos de Jesus
Fabio Ferreira da Silva Santos
Gabriela Brandão Borges
Gabriela Stefani de Jesus Santos
Genival Andrade Cerqueira
Graziele Soares de Souza
Hellen Cristina Lyra Gomes
Humberto Julio Cruz Santos
Iris Leia Santos Perri Ribeiro
Ismael Santos Casais
Jailson Macedo Freitas Júnior
Jeferson Marques dos Santos
João Vitor Barbosa de Santana
Jucinayra Nascimento Dias
Juliana Martins Gonzaga dos Santos
Kelmo Luis Ramos da Mota
Lorena Sant’anna Gonçalves
Luís Felipe Pinho de Carvalho
Luiz Henrique Santos Silva
Marlissom Santos Oliveira
Mateus dos Santos Cerqueira
Matheus de Sena Moreira
Matheus Souza do Nascimento
Miguel Araújo da Conceição
Milena Bispo Silva
Nadson França Guedes Junior
Nathan Malta Nunes
Patrick Santos Cerqueira
Ruan Nascimento Pinto
Ruan Puridade dos Santos
Vanessa Vitoria Bispo Oliveira Souza
Victor Santos de Almeida
Vitor Manoel da Conceição
Wilson Machado da Silva Neto


Santa Maria

Arthur Da Costa Bevilaqua
Artur Ribeiro De Barcellos
Emerson Gabriel De Mello Graeff
Fernando Augusto Pereira Bueno Júnior
Gabriel Pedroso De Menezes
Gabriel Ribeiro Durlo
João Victor Rosauro Bordim
Leonardo Reghelin Comazzetto
Marcus Vitor Gehrcke Da Silva
Mauro Luiz Da Rosa
Pedro Guilherme De Lima
Pedro Juan Lima Rios
Rafael Caferati Vieira
Robert Nascimento De Lima
Vinícius Brasil Bevilaqua
Bruno Souza Escobar Da Silva


São Paulo

Addson Bruno Rocha Lima
Alifer Lourenço Goes
Aline Cristina Da Silva
Ana Jessica Araujo Rodrigues
Ariadina Alves Borges
Arthur Maikon Da Silva
Beatriz Ananias Correa
Breno Barbosa Matos
Bruna Barbosa Dos Santos
Caio Gouveia Gusmão
Camila Silva Soares
Daniela Maria Lopes Ortolan
Demethryus Maciel A. Nascimento
Diego Ferreira Albenaz
Diogo Nunes Barros
Emanuel Leone Moura
Felipe Augustus Gomes
Felipe Da Silva Soares
Gabriel Nunes Dias E Silva
Guilherme Maciel Dos Santos
Ingrid Barbosa De Castro
Isabella De Almeida Fernandes
Jeferson Rycherd Nunes Da Silva
Jéssica Carvalho Almancio
Jonathan Jose Fernandes Cesar
Juciara Da Silva Correa
Lara Barbieri Da Silva
Leonardo Lima Da Silva
Leticia Fernanda Gusso De Souza
Leticia Tessi Villar Marquez
Lucas Liberato Guilherme
Marcos Felipe Da Silva
Marcus Daniel De Souza Silva
Matheus Luciano Mesquita Lima
Milena Alves De Campos
Milena Pereira Santos
Nathalia Regina De F. Franco
Nathan Vinicius De Souza
Paloma Nair De A. M. De Lemos
Rayane Oliveira De Souza
Renan De Souza
Rodrigo Felipe Conceição
Rubia Catarina Nogueira
Samuel Barreto De Lima
Thainara Gabrieli De Souza Araujo
Thais Fernanda De Lucas
Thalita Portela Faria
Thiago Valerio De Souza Laço
Vitor De Oliveira Lima
Wesley Loran De Souza Morato
William Antunes Dos Santos

Fonte: Assessoria de Imprensa da Coca-Cola Brasil


Gol de James Rodríguez é eleito o mais bonito da Copa do Mundo de 2014

Gol de James Rodriguez foi eleito o mais bonito da Copa do Mundo de 2014  
Crédito: Jamie Squire/Getty Images

21/07/2014

Chute de canhota do colombiano contra o Uruguai recebeu o prêmio em eleição com mais de 4 milhões de votos

O gol de James Rodríguez contra o Uruguai, nas oitavas de final da Copa do Mundo de 2014, foi eleito o mais bonito da competição.

O lance que garantiu o prêmio ao colombiano, em uma votação de mais de 4 milhões de votos no site da Fifa, começou com uma matada no peito e um chute forte, de sem-pulo, para vencer o goleiro Fernando Muslera, no Maracanã.

O lindo chute de canhota do colombiano ficou à frente da cabeçada de Robin van Persie contra a Espanha, segundo o segunda da entidade máxima do futebol.

Um gol de sul-americano recebeu o prêmio pela terceira vez consecutiva. O argentino Maxi Rodríguez havia ficado no topo em 2006 com um lindo chute contra o México, e o gol de Diego Forlán contra a Alemanha na decisão do terceiro lugar em 2010 colocou o uruguaio no primeiro lugar da lista.

Fonte: Placar


Marin bate o pé e Dunga é o novo técnico da seleção

Gazeta Press


21/07/2014

O presidente José Maria Marin, da CBF, não quis nem saber. Depois da saída de Felipão, resolveu bancar a escolha do próximo técnico, por conta e risco de si próprio. Colocou Gilmar Rinaldi no lugar de Carlos Alberto Parreira e optou por Dunga no cargo de Felipão. Nem toda cúpula concordou, aqui entre nós. Teve gente com receio das críticas. Afinal, Dunga cheira mofo, derrota na Copa de 2010 para o Holanda, dentre outros problemas.

No entanto, Marin determinou e fim. Segundo as más línguas, dirigente falou em “justiça histórica”, “lealdade”, “honestidade”, “trabalho sério” dentre outros adjetivos compostos, dando murros na mesa e falando em voz alta. Diante de tanta “firmeza”, que “se cumpra a Lei”, como nos tempos dos faraós.

Sinceramente, minha preferência era por José Mourinho, técnico do Chelsea. Um contrato de quatro anos, com carta branca para realizar uma profunda reforma no futebol nacional. Pelo menos na Canarinho. Valeria pagar um ótimo salário para o português. Não teria problemas com a língua e todo jogador do planeta gostaria de tê-lo como treinador.

Qualquer nome fora Mourinho, para mim é a mesma coisa. Se bem que tenho simpatia por Muricy Ramalho, do São Paulo. Antes de Mano Menezes assumir, ele recusou a oferta de Ricardo Teixeira, ficando no Fluminense na época.

O que irá mudar?

Para mim, absolutamente nada. Mas quem sou eu? Não tenho o dom de prever o futuro.

E tenho dito?



Jogadores alemães danificam troféu da Copa do Mundo

O capitão Philipp Lahm levanta a taça e Alemanha comemora 4º título mundial
VI-Images via Getty Images

21/07/2014

Um pedaço da taça teria lascado durante as comemorações com os torcedores em Berlim, capital da Alemanha

Jogadores alemães danificaram a taça da Copa do Mundo 2014 nas comemorações após a vitória sobre a Argentina por 1x0 no dia 13 de julho.

De acordo com o presidente da Federação Alemã de Futebol (DFB), Wolfgang Niersbach, um pedaço do troféu lascou durante a celebração com os fãs em Berlim, capital da Alemanha.

Niersbach disse, em declaração ao jornal alemão Die Welt, que o fato não causa preocupação. “Temos especialistas trabalhando no caso que podem consertar o troféu. Nós tentamos descobrir persistentemente quem danificou a taça, mas a investigação foi concluída sem resultado”, comentou.

A taça da Copa do Mundo está estimada em 10 milhões de euros, mas a peça danificada era uma réplica dada pela FIFA à seleção alemã. As informações são da ESPN do Reino Unido.

Fonte: Exame.com


A Copa em Porto Alegre




Pontapé no projeto Rússia 2018

O Estádio Olímpico de Fisht, que recebeu a Olimpíada de Inverno neste ano, será
um dos palcos da Rússia na Copa do Mundo - Foto: Wolfgang Rattay/ Reuters

21/07/2014 

Ainda com o sucesso do Mundial no Brasil em mente, grupo de brasileiros começa a se mobilizar para acompanhar a próxima Copa

O Mundial no Brasil gerou um efeito colateral em parte da população: disseminou a compulsão por repetir assim que possível a experiência de estar em uma Copa do Mundo. “Assim que possível” será daqui a quatro anos, na Rússia.

O próximo país-sede, que hoje vive conflitos políticos com a vizinha Ucrânia e vê sua economia desacelerar, vem se preparando para receber os torcedores da melhor forma possível em 2018. Entre outras medidas, o comitê organizador concentrou os 12 estádios em 11 cidades da região ocidental do país; regionalizou a primeira fase de jogos para facilitar o deslocamento das seleções e do público; e facilitou a entrada dos turistas com ingressos para as partidas – não precisarão de visto para entrar no país.

Aos brasileiros que se empolgaram com o clima de “festa das nações” nos dias de jogos e já decidiram que vão estar na Rússia, quatro anos pode parecer muito tempo para começar a se programar – ainda mais considerando que nem sequer a seleção nacional começou sua jornada em busca da classificação –, mas para assistir aos jogos com conforto e sem dívidas futuras, já é hora de começar a fazer os cálculos e economizar.

“Temos um grupo de cerca de 50 torcedores que desde o ano passado já faz depósitos mensais de 100 dólares pensando no próximo Mundial. Quem vai a uma Copa vira público cativo do evento. Na Rússia, alimentação e deslocamento serão caros, então é importante antecipar o planejamento”, destaca o diretor-geral da Meridiano Viagens e Turismo, André Luiz Macias.

Ainda sem as contas feitas, o gerente de logística Arnaud Maurebrun, 34 anos, quer reduzir os custos com as viagens de uma cidade para outra para acompanhar os jogos do Brasil e da França. “Vamos em um grupo de seis casais e talvez locar um motorhome seja a solução. A ideia ainda é embrionária. Vamos pesquisar roteiros e custos e começar a economizar”, conta. A vontade de estar no próximo Mundial veio da diversão que ele e a esposa tiveram ao assistir aos jogos no Brasil neste ano. Viram também a vitória da França sobre Honduras por 3 a 0, em Porto Alegre.

Segundo especialistas, o primeiro passo para transformar a empolgação inicial em projeto é montar um orçamento. “É interessante investir em uma aplicação de renda fixa, como a poupança. Faz-se poupança para comprar casa, carro. Por que não para ir à Copa? O número que se tem de ter em mente é US$ 15 mil [aproximadamente R$ 35 mil], incluindo passagens, ingressos, deslocamento interno, hospedagem em hotel, custos diários, alimentação. Esse valor, divide-se pelos próximos 48 meses”, ensina o professor de Finanças da Fundação Getulio Vargas (FGV) Sérgio Bessa.

Nessa estimativa, é necessário economizar R$ 700 a cada mês por pessoa para aproveitar os 30 dias de Copa na Rússia com conforto. Há maneiras de diminuir custos. A venda de ingressos só começa um ano antes do evento, mas em pacotes, o valor é menos que a compra do bilhete avulso. Também é possível abrir mão de hotéis e procurar opções como hostels ou pousadas. Para quem viajar em grupos, locar casas ou apartamentos também ajuda.

As passagens de avião, explica a coordenadora de produtos internacionais da Schultz Operadora de Turismo, Ediana Moura Franco, podem ser compradas com menos de um ano de antecedência do embarque. Uma estimativa possível é acrescentar 25% sobre o valor atual dos voos, que gira em torno de R$ 3,3 mil ida e volta. “Cogite pelo menos US$ 150 dólares [cerca de R$ 348] por diária em hotel e US$ 150 de gastos por dia para uma viagem tranquila”, ensina.

INFOGRÁFICO: Veja detalhes sobre a Copa da Rússia





Histórias da Copa no RS: hotel faz sala de orações e barbearia para argelinos

Fachada do hotel foi decorada com luzes verdes para recepcionar a Argélia (Foto: Hotel Deville/Divulgação)

21/07/2014

Deville recebeu quatro seleções durante o Mundial em Porto Alegre.
No dia do aniversário de 27 anos, Messi ganhou um bolo da equipe.

Os corredores dos hotéis em que as seleções ficaram hospedadas durante a Copa do Mundo guardarão, por anos, histórias do evento sediado no Brasil em 2014. Em Porto Alegre, além do Holiday Inn, o Deville, que fica localizado a pouco mais de 800 metros do Aeroporto Internacional Salgado Filho, na zona norte da capital gaúcha, recebeu quatro delegações em 15 dias: Honduras, Holanda, Argentina e Argélia, a última por duas vezes.

Não foi só nas arquibancadas que os africanos se destacaram com o grito de "Vive l'Algérie". O andar reservado para a hospedagem da equipe precisou passar por algumas alterações: uma sala de convenções tornou-se espaço para orações, já que a maioria dos integrantes segue as tradições da religião muçulmana. Na segunda passagem pela capital gaúcha, o despertar dos funcionários da cozinha do hotel era no meio da madrugada. Tudo para preparar o buffet do café da manhã, antecipado para as 5h em função do Ramadã, período em que os adeptos devem permanecer em jejum entre o amanhecer e o entardecer. Além disso, uma barbearia improvisada foi montada para atender os "vaidosos" jogadores argelinos.

Também foi no hotel que Messi festejou seu 27º aniversário, na concentração antes da partida contra a Nigéria no Estádio Beira-Rio. Para marcar a data, a equipe do hotel preparou um bolo especial para o craque. 

De terça-feira (15) a domingo (20), o G1 contou episódios curiosos observados pelos gaúchos enquanto Porto Alegre recebia milhares de turistas. No encerramento da série de reportagens, o gerente do hotel Deville e o chef de cozinha do estabelecimento falaram sobre a experiência de receber e atender quatro diferentes seleções durante o Mundial.

Jogadores da Argélia fazem caminhada em hotel de Porto Alegre (Foto: Jorge Natan/GloboEsporte.com)

Nada de bebidas alcoólicas nos frigobares dos dormitórios e apenas alimentos típicos do país africano. Os cuidados com a alimentação dos argelinos não são poucos, já que a grande maioria dos integrantes da equipe é muçulmana, o que prevê algumas restrições na dieta. “Era uma verdadeira marcação cerrada nessa parte de alimentação”, conta a gerente-geral do Hotel Deville, Nelson Vila Nova Garcia.

O chef Alex Fiúza dividiu a cozinha do hotel com os  profissionais, trazidos por cada delegação. No caso dos argelinos, um nutricionista fez o acompanhamento, para que fossem preparados os alimentos “halal” [permitidos para consumo dos muçulmanos]. “Eles possuem várias restrições alimentares, não consomem carne de porco, por exemplo. E nem se pode higienizar nada [utensílios de cozinha] com uso de álcool. Apenas com água e sabão”, revela.

A Argélia esteve em Porto Alegre em duas ocasiões: para a partida contra a Coreia do Sul, em 22 de junho, pela primeira fase da Copa, e no dia 29, para enfrentar no dia seguinte a Alemanha.

Na segunda visita, os membros da equipe técnica desembarcaram seguindo a tradição do Ramadã, período em que os adeptos da religião devem permanecer 29 dias em jejum entre o amanhecer e o entardecer. Para os atletas até poderia haver uma exceção. “O café da manhã foi antecipado para 5h. Às 18h, eles faziam uma nova refeição. E era bastante comida mesmo”, relata o chef.

O mais inusitado, porém, foi o cuidado com a vaidade: todos os jogadores da seleção argelina usam o corte de cabelo bastante parecido. Para isso, hotel montou uma espécie de barbearia, onde dois profissionais atenderam os membros da delegação da Argélia.

“Os argelinos são extremamente vaidosos. Eles não costumam usar cabelos longos, diferente dos argentinos, por exemplo. Eles mantêm o cabelo bem curto e a barba rala. Em um dia foram quase 30 atendimentos”, afirma Garcia.

Também para os argelinos, uma das salas usadas para reuniões e convenções foi adaptada para ser sala de orações. “Um povo muito cerimonioso, nem sapato ou chinelo entram na sala. Eles deixam tudo na porta. Um dia eu passei ali e tinham 50 pares de calçados amontoados na entrada”, recorda.

Bolo entregue a Messi no hotel no dia de seu
aniversário (Foto: Hotel Deville/Divulgação)
Consumo de 100 kg de farinha e bolo para Messi

Um dos hábitos em comum entre países tão distintos e que também impressionou os executivos do Hotel Deville foi o apreço por pães. Segundo eles, apenas as delegações de Holanda e Argélia consumiram 100 kg de farinha. “Eles gostaram muito, acima da média dos demais hóspedes”, destaca o executivo.

Uma data marcante para todos foi 24 de junho, quando Lionel Messi completou 27 anos de idade. O dia era a véspera do confronto contra a Nigéria no Beira-Rio, pela fase de grupos da competição. Para celebrar, a equipe do Deville fez um bolo, entregue nas mãos d camisa 10 argentino com um sonoro parabéns. “A receita do doce mistura abacaxi, leite condensado e coco, decorado com as cores azul e branco”, afirma Fiúza. No bolo, ainda foram ilustrados uma mensagem e a camisa 10 da Argentina, usada pelo ídolo.

Mais numerosa que as demais, a delegação sul-americana foi a que menos causou “trabalho” aos funcionários do hotel, segundo o gerente-geral do Deville. “Mas o assédio era muito grande. Era impressionante. Os torcedores tomaram a frente do hotel, ficou uma loucura. O torcedor argentino é muito apaixonado. Tive que fechar restaurante e bar para o público. Se não fechasse, não teria como”, ressalta, ao lembrar da invasão argentina ao Rio Grande do Sul.

Fonte: G1



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...