Nos pênaltis, Brasil de Pelotas garante acesso à Série C

Torcedores fazem a festa em Pelotas após o acesso
Foto: Nauro Júnior / Agencia RBS

20/10/2014

Longe do torcedor, após perder por 2 a 1 no tempo normal, o Xavante venceu o Brasiliense nas penalidades por 4 a 3

Com a estrela de Eduardo Martini, o Brasil de Pelotas está de volta à Série C do Brasileirão. Neste domingo, longe do torcedor, após perder por 2 a 1 no tempo normal, o Xavante venceu o Brasiliense nas penalidades por 4 a 3, com duas defesas do goleiro. O resultado coroou uma temporada dos sonhos: retorno à Série C e título gaúcho do Interior.

A virada no jogo de ida (2 a 1) e a dependência de um empate para subir provocou uma romaria xavante ao Distrito Federal. De avião ou após 36 horas de ônibus, centenas de torcedores rumaram à Boca do Jacaré, na cidade-satélite de Taguatinga. Fizeram churrasco em frente ao estádio antes do jogo e ocuparam o espaço atrás de uma das goleiras, área ornada por faixas de organizadas do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo.

Martini defende pênalti durante a decisão. Foto: Kleber Lima/ Jornal de Brasília

O Brasiliense até tentou lotar a Boca do Jacaré, apta a receber 25 mil torcedores. Vendeu ingressos para arquibancada a R$ 5 e para cadeiras a R$ 10, porém o público ficou em 2,7 mil espectadores. O domingo com ares de deserto (termômetros na casa dos 35°C e umidade relativa do ar em 15%), concentrou a torcida nas cadeiras, protegidas do sol. Já os xavantes tiveram de suportar o calor e a pressão do Jacaré.

O Brasiliense assustou logo aos dois minutos. Luquinhas, que chegou a ser anunciado como desfalque por lesão, entrou na área a dribles, limpou o lance e bateu em cima de Eduardo Martini. O Xavante respondeu com Alex Amado. Em velocidade pela esquerda, foi à linha de fundo e cruzou. A bola desviou na defesa, obrigando o goleiro Edson a salvar.

Após lá e cá, surgiu Luiz Carlos. Aos 13 minutos, o Imperador recebeu cruzamento da esquerda, fez a parede dentro da área e fuzilou – Brasiliense 1 a 0, resultado que eliminava o time gaúcho.

O Brasil beliscou o empate duas vezes, primeiro em cruzamento de Alex Amado, aos 20, tirou Baiano para dançar e cruzou com perigo. Aos 22, Cirilo mandou para fora cobrança de falta em que subiu solitário. O zagueiro ainda obrigou o goleiro a fazer um milagre em outra falta aparada de cabeça, aos 36.

Já os donos da casa deixaram de ampliar aos 30 minutos. Kaká invadiu a área em diagonal e bateu forte. Eduardo Martini deu o rebote, que caiu no pé de Zé Roberto. Da marca do pênalti, o ex-colorado bateu por cima. Na próxima oportunidade, não houve erro. Aos 42 minutos, cruzamento da direita para a testada furiosa de Luiz Carlos: 2 a 0.

O Brasil só conseguiu, enfim, marcar seu gol aos 45. Alex Amado venceu a disputa pelo centro com a defesa e serviu Nena. O camisa 9 limpou a marcação e bateu forte, cruzado: 2 a 1. Com o resultado, a decisão da vaga na Série C iria para os pênaltis.

Na volta do intervalo, Márcio Hahn foi substituído por Chicão. Contudo, quem passou perto foi o Brasilense, aos cinco e aos oito minutos. Primeiro, Luiz Carlos recebeu livre e bateu forte. Eduardo Martini espalmou no canto direito. Depois, Luquinhas disparou e bateu fraco, cara a cara com o arqueiro.

Aos 16 minutos, a primeira estocada xavante do segundo tempo: Chicão arriscou de longe, a bola desviou na defesa e passou rente à trave, com o goleiro Edson fora de ação. Com o cronômetro a correr e o cansaço, as equipes passaram a arriscar menos, deixando o jogo mais concentrado no meio-campo.

Aos 40 minutos, Baiano cobrou falta na segunda trave e Fábio Braz cabeceou com perigo. Aos 44, um milagre de Eduardo Martini. Luiz Carlos cabeceou para baixo e forte o cruzamento fechado, para defesa do goleiro no chão.

Aos 48 minutos, Romarinho, filho do craque e senador eleito Romário, se desentendeu com Chicão. Na confusão, as duas equipes invadiram o campo e foi preciso policiamento para conter os ânimos. O empurra-empurra terminou com dois cartões vermelhos, um para cada lado - Leandro Leite e Thiago Galhardo – e o final com 2 a 1 no placar. Como o jogo terminou com o mesmo resultado da primeira partida, a decisão da vaga na Série C foi para as penalidades. 

Nos pênaltis, o Brasil abriu a série atrás - Luiz Carlos converteu e Nena perdeu. Na segunda cobrança, Eduardo Martini buscou o chute de Fábio Braz, sendo que Alex Amando empatou. Felipe e Romarinho marcaram em seguida para o Jacaré, Márcio Jonatan e Chicão fizeram para o Brasil. Na quinta cobrança, Baiano, ex-Palmeiras e seleção, bateu forte, no canto direito de Eduardo Martini, que se esticou e espalmou. Rafael Forster deslocou o goleiro Edson e devolveu o Xavante à Série C.

Brasiliense (2)
Edson; Dedê, Fábio Braz, Felipe e Kaká; Douglas, Baiano, Luquinhas (Romarinho 44’/2º) e Zé Roberto (Matheuzinho 31’/2º); Gilmar (Thiago Galhardo 19’/2º) e Luiz Carlos
Técnico: Marcos Soares

Brasil de Pelotas (1)
Eduardo Martini; Wender (Ricardo Schneider 39’/2º), Cirilo, Fernando Cardozo e Rafael Forster; Leandro Leite, Washington, Márcio Hahn (Chicão intervalo) e Felipe Garcia (Márcio Jonatan 21’/2º); Alex Amado e Nena
Técnico: Rogério Zimmermann.

Gols: Luiz Carlos (Brasiliense) aos 13 minutos e aos 42 minutos do primeiro tempo. Nena (Brasil de Pelotas) aos 45 minutos do primeiro tempo.
Cartões vermelhos: Thiago Galhardo (Brasiliense); Leandro Leite (Brasil de Pelotas)
Cartões amarelos: Baiano, Kaká (Brasiliense); Márcio Hahn, Wender, Rafael Forster (Brasil de Pelotas)
Renda e público: 2.791 pagantes e R$ 11.070 de renda
Arbitragem: Wagner do Nascimento Magalhães, auxiliado por Luiz Claudio Ragazone e Cristian Passos Sorence.
Local: Boca do Jacaré, em Taguatinga-DF.

Fonte: ZH Esportes

Romildo Bolzan é eleito presidente do Grêmio e mantém situação no poder

Romildo Bolzan é o novo presidente do Grêmio (Foto: Diego Guichard/GloboEsporte.com)

20/10/2014

Candidato da atual gestão bate Homero Bellini na primeira eleição presidencial do clube na Arena; atual mandatário, Fábio Koff seguirá, agora como vice de futebol

A nova era que o Grêmio dará início a partir da compra da gestão da Arena já tem o seu comandante. Com 6.398 votos (71,4%), Romildo Bolzan Jr., da situação, foi eleito presidente do Tricolor após votação dos sócios em segundo turno no estádio gremista neste sábado. Candidato da oposição, Homero Bellini Jr. ficou com 2.557 votos (28,6%). Aos 54 anos, será a primeira vez que Romildo comandará o clube. Ele ficará no cargo durante o biênio 2015/2016.

A eleição presidencial foi a primeira na história do clube disputada na Arena. Havia a expectativa de comparecimento recorde. No entanto, o mau tempo impediu que fossem superados os 13.491 votantes do pleito de 2012, entre os que haviam ido ao Olímpico ou votado via correspondência. A eleição deste sábado, portanto, totalizou 9.013 votos, sendo 4.649 presenciais (com dez votos brancos e 25 nulos). Outros 4.329 exerceram sua preferência pela internet (com 10 votos brancos e 13 nulos), de 5.586 cadastrados previamente. 

- O que aconteceu hoje aqui, essa demonstração esmagadora do resultado, foi, na verdade, uma aprovação da atual gestão e um voto de confiança na continuidade. O que temos hoje é motivo de festa e o que temos pela frente é motivo de trabalho. O Grêmio tem muitas questões para enfrentar, mas todos nós, gremistas de coração, temos capacidade de superar essa demanda - disse, em rápido pronunciamento após a confirmação do resultado, na sala de conferências da Arena, sob aplausos de seus apoiadores.

Romildo Bolzan teve como principal cabo eleitoral o atual presidente do Grêmio, Fábio Koff. O mandatário mais vitorioso da história do clube, de 83 anos, seguirá na equipe de Bolzan, como o vice-presidente de futebol. Além de Koff, Romildo contará com mais um ex-presidente na sua equipe de trabalho. Duda Kroeff, mandatário do clube entre 2009 e 2010, também atuará no departamento de futebol.

O futebol, aliás, é um dos principais desafios da gestão, que, sob comando de Koff, ainda não conquistou títulos nem venceu Gre-Nal.

- É um homem sério, competente, leal. Ele participou desse processo da compra da Arena. Espero que nós possamos ter um futebol melhor nos próximos anos - afirmou Koff, sobre Romildo.

Atual vice-presidente eleito, Romildo é conselheiro do clube há mais de 20 anos e sócio desde os três anos de idade. Já foi três vezes prefeito da cidade de Osório e renunciou ao cargo de presidente do PDT para se dedicar à campanha no Grêmio. É casado com Vera Lúcia de Vasconcelos Bolzan, com quem tem os filhos Gabriela, de 27 anos, e Romildo Neto, de 23.

Uma das principais bandeiras durante a disputada campanha contra o seu principal adversário, Homero Bellini Júnior, foi a compra da gestão da Arena, uma negociação de quase dois anos de duração. Na última semana, Fábio Koff anunciou o acerto entre clube e OAS para que o Grêmio passe a administrar de maneira plena o estádio localizado no bairro Humaitá.

Bolzan, ao lado de Koff, seu vice de futebol na chapa (Foto: Lucas Uebel/Grêmio FBPA)


Delegação da FIFA inspeciona estádio de Sochi para a Copa do Mundo 2018

Foto: RIA Novosti/ Mihail Mokrushin

20/10/2014

Uma delegação conjunta da Federação Internacional de Associações de Futebol (FIFA) e do Comitê Organizador Rússia 2018 começou este sábado a inspecionar o estádio Fisht de Sochi, uma das estruturas esportivas da Copa do Mundo da FIFA em 2018.

Mais cedo, os representantes da FIFA haviam visitado São Petersburgo e Kazan.

O estádio Fisht, onde teve lugar a abertura e encerramento dos Jogos Olímpicos de Inverno de Sochi, em 2014, juntamente com arenas em Kazan, Moscou e São Petersburgo, deverá sediar, já em 2017, os jogos da Copa das Confederações, e passado um ano – a Copa do Mundo. A reconstrução da arena começará no início de 2015.

Emblema oficial da Rússia 2018 será revelado no fim do mês


Foto: Divulgação / Fifa

20/10/2014

O Comitê Organizador Local (COL) da Copa do Mundo da FIFA Rússia 2018™ e a FIFA revelarão o emblema oficial do torneio durante uma cerimônia em Moscou no dia 28 de outubro de 2014.

O emblema é o elemento central da marca Rússia 2018 e, para o COL, a cerimônia marca uma etapa importante nos preparativos da competição. Nos próximos quatro anos, ele simbolizará os valores e tradições da Copa do Mundo e as características únicas da Rússia como país-sede junto a torcedores de todo o planeta.

"O emblema é a representação visual do torneio", comentou o presidente do COL, Vitaly Mutko. "Ganhar o direito de sediar a Copa do Mundo é a realização de um sonho para milhões de russos. Para capturar criativamente a essência desse incrível momento histórico, nos inspiramos na rica tradição artística da Rússia e na sua história de conquistas e inovações. Espero que os torcedores do mundo todo apreciem e adorem o emblema da Rússia 2018."

Fonte: FIFA

Seleção Brasileira: Convocação para amistosos de novembro será na quinta-feira, dia 23 de outubro

Créditos: Rafael Ribeiro / CBF

20/10/2014

O técnico Dunga convoca a Seleção Brasileira na próxima quinta-feira, dia 23 de outubro, para os amistosos de novembro. As partidas serão contra a Turquia, no dia 12 de novembro, e contra a Áustria, no dia 18 de novembro. O anúncio da lista será realizado na sede da CBF às 11 horas.

O credenciamento dos profissionais de imprensa será realizado entre 9 horas e 10h45 do dia 23 de outubro. Após este horário não será permitida a entrada de profissionais. Vale lembrar que a CBF TV transmitirá o anúncio e a coletiva de imprensa ao vivo pelo site da entidade.

Brasil e Turquia se enfrentam às 20h30 (16h30 de Brasília), no Estádio Şükrü Saracoğlu, no dia 12 de novembro. Já no dia 18 de novembro, o confronto com a Áustria será no Estádio Ernst Happel, às 19 horas (16 horas de Brasília).

Fonte: CBF

Palácio Konstantinovsky sediará sorteio de Eliminatórias da Copa 2018

Palácio russo será palco do sorteio no próximo ano - Foto: Divulgação

16/10/2014

O icônico Palácio Konstantinovsky, em São Petesburgo, foi escolhido como sede do primeiro evento oficial da Copa do Mundo de 2018, na Rússia: o sorteio das Eliminatórias do Mundial, que acontecerá no dia 25 de julho de 2015.

O sorteio define os confrontos entre seleções pelas eliminatórias de cada região, a partir dos quais são definidos os ocupantes de cada uma das 31 vagas disponíveis para a Copa. A Rússia, país-sede, tem sua vaga assegurada.

"Estamos muito contentes que a Fifa apoiou a ideia de utilizar o Palácio Konstantinovsky", disse Vitaly Mutko, chefe do Comitê Organizador Local.

"O Palácio é um complexo arquitetônico magnífico do século 18, e simboliza as ricas tradições culturais do nosso país", acrescentou.

Brasil 4 x 0 Japão - Neymar dá show e marca todos os gols brasileiros

Foto: Divulgação

16/10/2014

Com os gols marcados, o atacante do Barcelona chegou a incrível marca de 40 gols pela Seleção Brasileira

Neymar deu, nesta terça-feira (14/10), mais um demonstração da sua importância para a seleção brasileira. O craque do Barcelona marcou todos os gols do Brasil na vitória por 4 a 0 sobre o Japão, em amistoso disputado no Estádio de Cingapura, ampliando a campanha até agora perfeita da equipe nesse retorno do técnico Dunga.

A vitória dessa terça-feira foi a quarta da seleção em quatro jogos disputados desde que o treinador assumiu o comando da equipe após a disputa da Copa do Mundo. E depois de bater três seleções sul-americanas - Colômbia, Equador e Argentina - a equipe superou uma seleção asiática e segue sem sofrer gols nesse ciclo para o Mundial de 2018.
Dessa vez, Neymar, que havia marcado uma vez nesses amistosos, diante da Colômbia, liderou a equipe com mais quatro gols. E o setor ofensivo da equipe se aproveitou das deficiências defensivas do Japão para brilhar, seja com Neymar e Diego Tardelli no primeiro tempo ou na etapa final, após as entradas de Philippe Coutinho, Everton Ribeiro e Kaká, que ajudaram no show de Neymar em Cingapura. Já a defesa, mesmo sem ser vazada de novo, deixou alguns espaços, mas que não se transformaram em gols para os japoneses.

Depois das vitórias sobre Argentina e Japão na Ásia, a seleção brasileira voltará a entrar em campo no mês de novembro, nos seus últimos amistosos em 2014, ambos diante de equipes europeias. O primeiro deles será no dia 12, em Istambul, diante da Turquia. Depois, no dia 18, o duelo vai ser com a Áustria, em Viena.

O JOGO 

A seleção brasileira controlou o início da partida, mantendo o domínio da posse de bola e trocando passes no meio-de-campo. O talento de Neymar, então, começou a fazer a diferença em diversas jogadas individuais. Numa delas, ele sofreu falta na entrada da grande área e executou a cobrança com maestria, acertando o travessão da meta defendida por Kawashima aos 17 minutos.

Na jogada seguinte, Neymar abriu o placar do amistoso. Mostrando bom entendimento com Diego Tardelli, com quem atuou como titular nas quatro partidas nesse retorno de Dunga ao comando da seleção, o atacante do Barcelona recebeu passe no meio da zaga japonesa, fintou Kaswashima e tocou para o gol vazio, fazendo 1 a 0.


E o talento de Neymar quase rendeu mais um gol, dessa vez aos 20 minutos, quando Luís Gustavo acionou o atacante pela esquerda. Neymar passou pelo seu marcador com uma pedalada, invadiu a grande área e bateu cruzado para fora.

Foi só depois dessa nova participação de Neymar que o Japão enfim ameaçou a seleção se aproveitando de um vacilo do zagueiro Gil, escalado como titular por Dunga, ao lado de Miranda, em razão da contusão de David Luiz. O jogador do Corinthians afastou mal um cruzamento, aos 23 minutos, e Kobayashi, chutou de primeira, por cima do travessão da meta defendida por Jefferson.

E esse lance marcou uma mudança de panorama da partida, com o Japão se arriscando mais no campo de ataque e ameaçando o Brasil, principalmente, em cruzamentos, como nos que terminaram em finalizações de Shiotani e Okasaki, ambas no final do primeiro tempo.

SHOW DO CAMISA 10
Para a etapa final, Dunga promoveu três mudanças na seleção, com as entradas do lateral-direito Mário Fernandes e dos meias Everton Ribeiro e Philippe Coutinho. E foi exatamente um desses suplentes que acabou sendo decisivo para o segundo gol da seleção e de Neymar. Aos dois minutos, Philippe Coutinho avançou pelo meia e passou para o atacante do Barcelona. Nas costas da zaga japonesa, Neymar avançou com liberdade e tocou na saída de Kawashima para marcar de novo.

A boa vantagem deixou o jogo bastante franco. E a seleção quase fez o seu terceiro gol aos oito minutos, quando Miranda chutou colocado após cobrança de escanteio de Neymar, com Kawashima fazendo boa defesa. A resposta japonesa foi quase imediata, aos dez minutos, com um chute perigoso de Okazaki, que recebeu lançamento longo e acertou a trave da meta brasileira.

Mas, apesar do susto, o Brasil era bem superior no amistoso, impondo a sua superioridade técnica. E a equipe seguiu criando oportunidades de gol em profusão. Aos 13 minutos, em contra-ataque, Everton Ribeiro encontrou Neymar na grande área. O atacante driblou seu marcador e bateu colocado, para fora. Depois, aos 17, o cruzeirense acionou novamente Neymar, que driblou um adversário e passou para Philippe Coutinho, que chutou colocado, também para fora.

Dunga promoveu outras alterações na seleção, como a entrada de Robinho no lugar de Tardelli. E o Brasil criou mais uma chance, e a desperdiçou, pelo lado direito da defesa japonesa. Dessa vez, aos 24 minutos, Neymar passou para Robinho, que bateu colocado, mas sem acertar a meta adversária.

O terceiro gol, então, não demorou a sair e contou, mais uma vez com a participação de jogadores que entraram durante a etapa final e, claro, de Neymar. Primeiro, o atacante cruzou para Kaká, que havia entrado instantes antes, cabecear na trave. Philippe Coutinho, então, pegou o rebote e chutou para a defesa de Kawashima. Neymar, livre, aproveitou a sobra e finalizou para as redes, marcando o seu terceiro gol na partida.

E Neymar voltou a marcar, dessa vez aos 35 minutos. No lance, Kaká avançou até a linha de fundo e cruzou para Neymar, que cabeceou, ampliando o placar. No final da partida, Jefferson evitou que o Brasil fosse vazado com uma bela defesa após cabeceio de Okazaki, assegurando o triunfo por 4 a 0 da seleção brasileira.

FICHA TÉCNICA

Brasil 4 x 0 Japão

Data: 14/10/2014
Horário: 07h45
Local: Estádio Nacional - Cingapura 
Árbitro: Ahmad Al Qashah (Cingapura)
Público: 51.577 presentes

Gols
Brasil: Neymar 17' 1T, Neymar 2' 2T, Neymar 31' 2T, Neymar 35' 2T

Brasil
Jefferson; 
Danilo (Mário Fernandes), Gil, Miranda e Filipe Luís; 
Luís Gustavo (Souza), Elias (Kaká), Willian (Everton Ribeiro) e Oscar (Philippe Coutinho); 
Neymar e Diego Tardelli (Robinho).
Técnico: Dunga

Japão
Kawashima; 
Sakai, Shiotani, Morishige e Kosuke Ota; 
Shibasaki, Tanaka (Hosogai), Taguchi e Morioka (Honda); 
Kobayashi (Muto) e Okasaki.
Técnico: Javier Aguirre.

MP libera valor, e Inter avança para quitar estruturas temporárias da Copa

Estruturas temporárias Beira-Rio Porto Alegre (Foto: Inter/Divulgação)

16/10/2014

Acordo selado nesta terça em Porto Alegre autorizou clube a utilizar mais R$ 5,6 milhões em repasses do governo do estado, através de isenções fiscais


Um acordo selado nesta terça-feira autorizou o Inter a utilizar mais R$ 5,6 milhões em repasses do governo do estado, através de isenções fiscais, para dar avanço ao pagamento dos gastos com estruturas temporárias durante a Copa do Mundo, no Beira-Rio. O uso do valor foi liberado pelo Ministério Público Estadual (MP), que, antes do Mundial, iniciou uma investigação para esclarecer os motivos dos investimentos com recursos públicos. O estádio sediou cinco jogos.

O MP, contudo, ainda não permite que o clube quite a dívida. Segundo o promotor Nilson de Oliveira Rodrigues Filho, uma última parcela pendente, de aproximadamente R$ 4,2 milhões, não foi justificada satisfatoriamente. 

- As empresas (contratadas pelo Inter) ainda não apresentaram comprovação que justifique liberar esse valor com recursos de isenções fiscais concedidas pelo estado. Quando documentos forem apresentados, iremos analisar a última liberação - disse o promotor ao GloboEsporte.com.

De acordo com Rodrigues Filho, o recurso já foi repassado pelo estado e está depositado em uma conta, atualmente sob um bloqueio recomendado pelo MP e acatado pelo Inter. O contrato para a instalação das estruturas temporárias, espaço que foi usado para oferecer estrutura a patrocinadores e imprensa na Copa, custou cerca de R$ 24 milhões. Com a liberação desta terça, mais de R$ 19 milhões já estão pagos, conforme o MP.

Jefferson para Messi, Tardelli decide, e Brasil mantém supremacia contra Argentina

Crédito: Mowa Press

Foram três Superclássicos e três vitórias do Brasil. Na terceira edição do ‘jogo-torneio', a seleção brasileira bateu a Argentina por 2 a 0, neste sábado, em duelo realizado no estádio Ninho de Pássaro, em Pequim, na China. O jogo foi emblemático por ter ocorrido no ano do centenário do histórico dérbi entre os dois países.

O grande destaque da partida foi Diego Tardelli, que marcou os dois gols, um em cada tempo. Em sua sétima partida com a amarelinha, o atacante do Atlético-MG, que foi o camisa 9, balançou a rede pela primeira vez.
Outro brasileiro a brilhar na partida foi o gleiro Jefferson, que pegou um pênalti - mal marcado pelo árbitro chinês Fan Qi - cobrado por Messi, quando o Brasil vencia por 1 a 0. Antes, a Argentina até sofreu uma penalidade de fato, em uma falta de Miranda em Aguero, mas, o juiz não assinalou a infração.
Messi até foi participativo, mas foi abaixo do alto nível que costuma ter. além da penalidade, ele também viu o goleiro do Botafogo fazer boa defesa em uma cobrança de falta na etapa final.
Apesar da presença de Neymar e o show de Tardelli, o atleta mais festejado foi Kaká, que já vinha sendo o mais assediado pelos chineses desde a chegada da seleção no país asiático. O meia-atacante do São Paulo foi ovacionado assim que entrou e a cada toque na bola. No fim, quando Neymar foi substituído por Robinho nos acréscimos, ainda pôde usar a braçadeira de capitão por alguns segundos.
Depois de um domínio argentino no começo do primeiro e criou diversas chances de abrir o placar, sobretudo com Aguero. Porém, aos 27, o Brasil aproveitou sua chance e saiu em vantagem em erro da defesa adversária.
A partir de então, os comandados de Dunga cresceram na partida e passaram a ter maior controle da ações ofensivas. O mesmo se repetiu no segundo tempo, quando Tardelli balançou a rede em cobrança de escanteio e sacramentou a vitória.
Dessa forma, os pentacampeõs mundiais repetem as conquistas de 2012 e 2013 do Superclássico das Américas, que é a reedição da extinta Copa Rocca. Em ambas as edições, só era permitida a utilização de atletas que atuavam nas ligas brasileira e argentina.
Em 2012, houve empate em Buenos Aires na ida, e o Brasil triunfou em Belém por 2 a 0, com gols de Neymar e Lucas. No ano seguinte, a seleção verde e amarela venceu por 2 a 1 em Goiânia, e o time alviceleste devolveu o placar em Buenos Aires. Nas penalidades, os brasileiros ganharam por 4 a 3.
O jogo - Ao contrário de quando jogou contra a campeã mundial Alemanha, a seleção brasileira adotou uma postura tática mais defensiva para enfrentar a vice Argentina. Dunga deixou o seu time bem postado atrás, à espera da oportunidade ideal para contra-atacar.
A estratégia brasileira ajudou o técnico Gerardo Martino a reviver os tempos de Barcelona, com mais de 60% de posse de bola para uma equipe liderada por Lionel Messi. Amigo do astro adversário, Neymar deu um susto em Dunga àquela altura da partida, ao reclamar de dores no joelho esquerdo depois de uma dividida.
Quem também se machucou foi Aguero, em jogada que poderia ter resultado em gol para a Argentina. O atacante acabou derrubado por Miranda dentro da área brasileira, e o árbitro chinês não deu atenção aos pedidos por pênalti.
Embora tenha neutralizado as investidas iniciais da Argentina, o Brasil demorou um pouco para também incomodar os defensores adversários. Só foi um pouco mais efetivo quando Neymar e Willian se soltaram, obtendo uma série de escanteios para a equipe de Dunga.
Aos 27 minutos, no entanto, a seleção brasileira conseguiu mudar de vez o panorama do clássico. Oscar levantou a bola na área da direita, e Fernández cortou mal de cabeça ao se chocar com Zabaleta, que foi mal no lance. Diego Tardelli deu dois passos para trás e emendou de primeira para acertar o canto e inaugurar o marcador.
A vantagem fez o Brasil sair do campo defensivo e propor o jogo. O segundo gol quase veio aos 31 minutos. Neymar deixou a marcação para trás em uma bela arrancada, capaz de levantar o público chinês no Ninho de Pássaro, porém hesitou quando se viu diante do goleiro Romero e bateu fraco, sem direção.
Refeita do susto, a Argentina esboçou uma pressão para arrancar o empate antes do intervalo. Aos 39 minutos, a chance apareceu. Danilo travou Di María dentro da área, e o árbitro revoltou o time brasileiro ao anotar o pênalti. Messi cobrou no canto. Jefferson defendeu e comemorou como um gol.
Mais confiante para o segundo tempo, o Brasil se permitiu ser também mais ofensivo. O lateral esquerdo Filipe Luís, antes retraído, ganhou liberdade para apoiar o ataque. E ficou perto de marcar um gol já aos dois minutos, quando foi acionado no lado da área e encheu o pé. A bola subiu demais.
O jogo aberto permitia que a Argentina tivesse mais oportunidades de chegar ao gol brasileiro. Aos quatro minutos, Miranda contribuiu com a equipe de Tata Martino ao falhar diante de Di María. O atacante avançou para a área sozinho, mas o zagueiro se recuperou e fez o desarme.
Mesmo com a disposição do ataque rival, a seleção verde e amarela não se intimidou. Neymar passou a pedir a bola com frequência e virou alvo constante de pontapés. Foi em uma cobrança de falta sofrida pelo astro do time que Oscar chutou com perigo, cruzado. Romero salvou a Argentina.
Como a sua equipe jogava mal e não tinha mais a posse de bola de antes, Tata Martino decidiu entrar em ação. Trocou Aguero e Lamela por Higuaín e Pastore. E lamentou mais um gol de Tardelli em seguida. Aos 18, o atacante apareceu na segunda trave após cobrança de escanteio e agachou-se para cabecear para a rede.
O segundo gol era o que o Brasil precisava para ter tranquilidade até o final da partida, quando voltou a investir nos contra-ataques. Nos últimos minutos, Dunga deu a sua última alegria para o público chinês ao mandar os veteranos Kaká e Robinho a campo, ovacionados, nas vagas de Diego Tardelli e Robinho. Gil substituiu David Luiz.
FICHA TÉCNICA

BRASIL 2 X 0 ARGENTINA
Local: Estádio Ninho do Pássaro, em Pequim (China)
Data: 11 de outubro de 2014, sábado
Horário: 9h05 (de Brasília)
Árbitro: Fan Qi (China)
Assistentes: Huo Weiming e Mu Yuxin (ambos da China)
Cartões amarelos: David Luiz (Brasil); Mascherano (Argentina)
Gols: Diego Tardelli, aos 27 minutos do primeiro e aos 18 do segundo tempo

BRASIL: Jefferson; Danilo, Miranda, David Luiz (Gil) e Filipe Luís; Luiz Gustavo, Elias, Willian e Oscar; Neymar (Robinho) e Diego Tardelli (Kaká)
Técnico: Dunga
ARGENTINA: Romero; Zabaleta, Demichelis, Fernández e Rojo; Mascherano, Pereyra (Pérez), Lamela (Pastore), Messi e Di María; Aguero (Higuaín)
Técnico: Gerardo Martino

Fonte: ESPN

Lajeadense é campeão da Copa Fernandão

Foto: Guarani-VA  / Divulgação

09/10/2014

Empate em 0 a 0 em casa garantiu o título ao alviazul

O Lajeadense é campeão da Copa Fernandão e vai disputar a Copa do Brasil de 2015. Com o empate em 0 a 0 com o Guarani de Venâncio Aires no Estádio Alviazul, o time de Lajeado assegurou a conquista. Na primeira partida disputada na quinta-feira, 2,as duas equipes haviam empatado em 1 a 1 no Estádio Edmundo Feix, em Venâncio Aires.

Antes da partida desta quarta-feira, o time de Lajeado entrou com a faixa: "Fernandão! Eterno ídolo dos Gaúchos!". Fernanda, a esposa do ídolo colorado, deu o pontapé inicial da partida.

FICHA TÉCNICA - Lajeadense 0x0 Guarani-VA.

Local: Estádio Alviazul – Lajeado.

Público Total: 3.879.

Árbitro: Márcio Coruja.

Auxiliares: Marcelo Barison e José Javel Silveira.

Seleção Brasileira enfrentará Áustria no dia 18 de novembro

Créditos: Rafael Ribeiro / CBF

07/10/2014

A Seleção Brasileira fará um amistoso contra a Áustria no dia 18 de novembro deste ano. A partida será no Estádio Ernst Happel, em Viena, na Áustria, às 19 horas do local.

Antes, no dia 12 de novembro, o Brasil enfrenta a Turquia, em Istambul.

Veja as informações do jogo:

Áustria x Brasil

Data: 18/11/2014

Horário: 19 horas local

Local: Estádio Ernst Happel, Viena  - Áustria 

Fonte: CBF

Copa foi realizada com 58% das obras de energia

Partida da Colômbia e do Uruguai nas oitavas de final da Copa do Mundo 2014 
(Foto: Divulgação / AFP)

07/10/2014

118 obras de linhas de transmissão e subestações de energia deveriam ser concluídas antes dos jogos para garantir que não haveria falhas no abastecimento

Brasília - O governo foi obrigado a contar com a sorte para garantir a oferta de energia elétrica durante a realização da Copa do Mundo, entre os dias 12 de junho e 13 de julho. Um levantamento que acaba de ser concluído pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), ao qual o jornal O Estado de S. Paulo teve acesso, revela que 118 obras de linhas de transmissão e subestações de energia deveriam ser concluídas antes dos jogos para garantir que não haveria falhas no abastecimento das 12 cidades-sede.

Quando os jogos começaram, no entanto, apenas 68 instalações estavam prontas. Em diversas regiões do País, 50 obras não foram entregues a tempo.

Não se tratava de obras comuns. Essa seleção de empreendimentos foi feita diretamente pelo Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), classificadas como "necessárias ao fornecimento de energia às cidades sedes da Copa de 2014, com confiabilidade e atendendo os critérios da Fifa, para o fornecimento de energia às arenas onde os jogos seriam realizados".

Embora não tenha havido registros de problemas com abastecimento de energia durante os jogos, a Copa não foi capaz de dar fim ao desrespeito de cronogramas que predomina nas obras do setor elétrico.

Boa parte dos projetos apontados como essenciais pelo ONS e pela Fifa já estava em execução há alguns anos, ou ao menos deveria estar. A realização dos jogos era, portanto, uma forma de pressão para tirar esses empreendimentos do papel.

Atrasos

Na lista dos atrasos verificados pelas áreas de regulação e fiscalização da Aneel, há casos como a construção da linha de transmissão Bom Despacho - Ouro Preto, rede de 180 quilômetros de extensão, em Minas Gerais. A obra tocada pela estatal Furnas, do grupo Eletrobras, acumula 1.414 dias de atraso ante o cronograma original.

Por meio de nota, Furnas declarou que a rede foi "energizada" em teste em junho de 2014, "encontrando-se em disponibilidade para operar, aguardando só a Licença de Operação para ser energizada definitivamente".

O atraso, segundo a empresa, deve-se a "dificuldades enfrentadas no procedimento de obtenção das licenças ambientais". O investimento só neste projeto é de R$ 161,2 milhões.

Entre as 12 cidades-sede, a única que não registrou atrasos em obras de transmissão foi Brasília (DF), que seus oito empreendimentos dentro do cronograma estipulado.

A situação é absolutamente inversa nas cidades de Porto Alegre e Recife. A capital gaúcha tinha 17 obras para entregar até junho, mas só conclui cinco delas. No Recife, somente uma das 13 obras que estavam no cronograma foi entregue.

O acompanhamento feito pela Aneel aponta que a maior parte das 50 obras atrasadas deve ser concluída até dezembro deste ano. Mas também há projetos - como a subestação Tijuco Preto, em São Paulo - que só serão entregues em novembro de 2015. Na realidade, essa subestação, que estava prevista para garantir a oferta de energia a Copa, já deveria estar em operação desde julho de 2011.

Segundo a Aneel, a Superintendência de Fiscalização dos Serviços de Eletricidade (SFE) da agência continuará a fazer o monitoramento dos projetos e, "quando for o caso, abrirá os respectivos processos punitivos".

"As cidades-sede Recife, Salvador e Porto Alegre são as regiões que concentram a maior parte das obras ainda não concluídas. Essas obras são de responsabilidade, principalmente, das concessionárias Chesf e Tesb", aponta a nota técnica da agência. O Estado entrou em contato com essas empresas, mas não obteve retorno.

Um relatório recente da Aneel aponta atraso em mais da metade dos empreendimentos de transmissão em construção ou com obras de reforço no País. De 443 obras em andamento, 240 estão atrasadas. Destas que não estão fora do cronograma, 209 já deveriam estar em operação. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Fonte: Exame.com
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...