COPA LIBERTADORES: Inter perde para o Santa Fe e precisa vencer no Beira-Rio para avançar

Foto: AFP PHOTO/ Eitan Abramovich / AFP

21/05/2015

Time de Diego levou o gol da vitória dos colombianos aos 46 do segundo tempo e decide em casa na próxima quarta-feira, dia 27, às 19h30min

O Inter foi punido aos 46 minutos do segundo tempo em Bogotá. Com um gol de Mosquera, o Santa Fe bateu o Inter por 1 a 0, na partida de ida das quartas de final da Libertadores. Agora, o time de Diego Aguirre precisará da força dos 100% de aproveitamento do Beira-Rio para avançar às semifinais. 

Em Porto Alegre, o Inter é obrigado a vencer por 2 a 0. Os colombianos jogarão pelo empate e derrota por um gol de diferença a partir do 2 a 1. Caso o Inter derrote o Santa Fe por 1 a 0, a decisão irá para os pênaltis. No sábado, o time reserva do Inter volta ao Brasileirão, desta vez para enfrentar o Vasco, em São Januário.  

O estádio não encheu como se esperava. A torcida fez algum barulho. O máximo de agressividade era quando Alisson cobrava o tiro de meta. A bola subia, e um coro acompanhava sua viagem pelo alto: hijo de p... Havia ainda um sujeito com uma buzina a ar, de caminhão. Quando William demorava para cobrar o lateral, ele a acionava.

O problema, mesmo, estava no Santa Fe. Começou a mil, em cima do Inter. Anchico, volante convertido em lateral, atuava em cima de Ernando. O volante Roa também caía por ali, assim como Morelo. Com isso, Valdívia recuava para fechar. Do outro lado, Sasha fazia o mesmo.

Jogadores do Inter lamentam desatenção no gol do Santa Fe: "Foi uma falha"

Restou ao Inter a ligação direta para Lisandro López. Mas sozinho contra os paredões Mena e Meza, nada conseguia. Assim foi até os 30 minutos. Mesmo que Alisson não tivesse feito defesa, o Santa Fe rondava com perigo.

Diego Aguirre havia controlado Omar Pérez com a vigilância de Rodrigo Dourado, mas o Santa Fe usava os lados. Aos 27, D’Alessandro perdeu a bola no meio e armou contra-ataque. Mosquera entrava livre, mas Aránguiz salvou duas vezes – na segunda prendeu o pé no gramado e torceu o tornozelo.

O Inter só saiu do casulo depois dos 30. Valdívia avançou e passou a se aproveitar às costas de Anchico. Numa dessas saídas, D’Alessandro lançou e foi acertado por Roa. O lance seguiu e Valdívia sofreu falta mais à frente. O argentino perdeu o controle e passou a reclamar do auxiliar, seu compatriota, Hernán Maidana. Levou cartão amarelo. Seguiu protestando e foi afastado por Dourado.

Mais à frente, o Inter ameaçou mais. Aos 35, Valdívia recebeu de Lisandro e colocou por cobertura. Seria um golaço, mas passou a uns 30cm do poste. Na ida para o intervalo, ainda quente do jogo, D’Alessandro parou para entrevista, o câmera tropeçou e acertou o equipamento na cabeça dele. Houve empurrões e alguma tensão.

O segundo tempo manteve a alta rotação. O Inter apostava nas saídas rápidas de Sasha e Valdívia. Aos três, Sasha acionou William dentro da área, mas o cruzamento foi bloqueado. A torcida do Santa Fe se animou. A Popular versão colombiana fez mosaico com lenços vermelhos e brancos e formou a palavra “Leon”, um dos apelidos do clube. O estádio se agitou. A garoa do intervalo deixou o gramado um sabão, e o jogo mais veloz.

O Santa Fe trocou Paez, de posicionamento, por Rivera, arma veloz para o segundo tempo. Aí virou filme de terror. Aos 19, Meza cabeceçou, Alisson defendeu e, no rebote, Mosquera acertou a trave. Três minutos depois, ele acertou a trave outra vez, de cabeça. Nilmar entrou no lugar de Sasha aos 23. No outro lado, Rivera aterrorizava. 

Alisson salvou chute dele aos 26 e 28. No outro lado, Rivera aterrorizava. Alisson salvou chute dele aos 26 e 28. Aos 33, a aposta de Aguirre quase deu certo. Nilmar arrancou, ganhou do zagueiro, mas o zagueiro Mina salvou sobre a linha. 

Mosquera, aos 46 da etapa final, jogou um balde de água fria no Inter: de cabeça, abriu o placar. 

Fonte: ZH


Dunga convoca Fred e Felipe Anderson para amistosos no Brasil

Créditos: Rafael Ribeiro

21/05/2015

O técnico Dunga convocou os meias Fred, do Shakhtar Donetsk (Ucrânia), e Felipe Anderson, da Lazio (Itália), para integrar o elenco que participará dos amistosos da Seleção Brasileira nos dias 7 e 10 de junho em São Paulo e Porto Alegre, respectivamente.

Com idade olímpica e na lista dos 30 jogadores convocados para a Copa América, Fred e Felipe Anderson ficarão concentrados com a Seleção Brasileira até o dia 12 de junho, data em que a delegação viajará para a cidade de Temuco, no Chile, local da estreia da Seleção na competição continental.

A apresentação da delegação é dia 1º de junho na Granja Comary, em Teresópolis.

Fonte: CBF

Seminário de Desenvolvimento do Futebol Feminino

Créditos: Rafael Ribeiro / CBF

19/05/2015

O Seminário de Desenvolvimento do Futebol Feminino começou na manhã desta terça-feira, no auditório da sede da CBF. O presidente Marco Polo Del Nero foi o responsável pela abertura do evento. O secretário-geral, Walter Feldman; o diretor de Patrimônio e Fundo de Legado, Oswaldo Gentile; o coordenador de futebol feminino, Marco Aurélio Cunha; e a gerente sênior da FIFA para desenvolvimento do futebol feminino, Mayi Cruz Blanco, também fizeram parte da mesa inicial do seminário.

Marco Polo ressaltou a experiência de Marco Aurélio Cunha, que, segundo o presidente da CBF, fará um excelente trabalho no comando do futebol feminino. Além disso, o presidente falou sobre a importância do governo nesta modalidade.

– O governo tem que nos ajudar. Temos que colocar o futebol feminino nas escolas, com as aulas de educação física. Temos que abrir oportunidades para as meninas que desejam jogar futebol.

Mayi Cruz Blanco falou sobre o momento do Brasil nesse esporte.

– Esse é um momento de mudança para o futebol feminino no Brasil. É o momento de dar condições para todas as mulheres que querem jogar futebol. Espero que todos concordem comigo porque precisamos de todos vocês para mudar o futebol feminino aqui.

Os presidentes de federações Mauro Carmélio (CE), Heitor Costa (RO), Antônio Aquino (AC) e Cesarino Oliveira (PI), representantes de clubes e ex-jogadoras de futebol assistem às palestras. O secretário Nacional de Futebol Defesa dos Direitos dos Torcedores, Rogérimo Hamam, também esteve presente.

O técnico da Seleção Brasileira Feminina, Vadão; o coordenador técnico, Fabrício Maia; e a jogadora Formiga, volante da Seleção, estão presentes no seminário.

Fonte: CBF


COPA LIBERTADORES: CONFRONTO ENTRE INTER X SANTA FÉ

Crédito: Infográfico / Inter




"Caso Boca" deve custar 5ª vaga sul-americana à Copa de 2018

Fifa, presidida por Joseph Blatter, quis dar punição exemplar ao Boca
Foto: Arnd Wiegmann / Reuters

19/05/2015

O vandalismo protagonizado por torcedores do Boca Juniors na partida diante do River Plate , na última quinta-feira, pelas oitavas de final da Copa Libertadores da América, pode custar muito caro a todo o futebol sul-americano. Isto porque, de acordo com informações publicadas pelo jornal AS nesta segunda-feira, a Fifa deverá tirar uma das vagas às quais o continente tem direito para a próxima Copa do Mundo, a ser disputada na Rússia, em 2018.

Na verdade, atualmente, a América do Sul tem direito a quatro vagas e meia para o Mundial - já que o quinto colocado das Eliminatórias disputa repescagem contra um representante da Ásia. Segundo a publicação espanhola, contudo, a provável sanção da Fifa vai impedir que uma seleção sul-americana brigue, via repescagem, por aquela que seria a quinta vaga do continente ao próximo Mundial.

Assim, somente as quatro primeiras colocadas das Eliminatórias da América do Sul teriam lugar na Copa da Rússia, daqui a três anos. E só. A outra “meia vaga” iria para a Concacaf (Américas do Norte, Central e Caribe) ou Ásia. A Europa, de acordo com o AS, correria por fora, mas teria como “triunfo” o fato de a Rússia ser o país-sede do torneio - o que tira uma vaga da disputa das próximas Eliminatórias.

Juan Angel Napout é o tual presidente da Conmebol,
Foto: Jorge Adorno / Reuters
  
Mas e como se deu a decisão da Fifa - que, segundo o jornal espanhol, será oficializada em 29 de maio, durante o LXV congresso da entidade? Depois de uma negociação um tanto quanto complexa com a Conmebol (Confederação Sul-Americana de Futebol). O AS revela que, na verdade, a entidade continental poderia salvar a quinta vaga da América do Sul para a Copa do Mundo de 2018. Mas, para isto, o Boca teria que ficar mais alguns anos banido de qualquer competição internacional , além de ser excluído da atual edição da Libertadores .

Boca foi excluído da Libertadores 2015, mas pena poderia ter sido pior
Foto: Victor R. Caivano / AP

A Conmebol, no entanto, não aceitou a “troca”. A entidade sul-americana, de acordo com a publicação espanhola, entende que ter o time argentino longe de torneios internacionais lhe traria muito prejuízo e, assim, negociou para que a punição fosse “abrandada”. E assim aconteceu: o Boca Juniors foi excluído da Libertadores de 2015, levou multa de R$ 600 mil e terá que jogar as próximas quatro partidas internacionais dentro e fora de casa sem a própria torcida. O preço desta escolha da Conmebol? Segundo o AS, será perder a quinta vaga sul-americana à Copa de 2018.

Fonte: Terra


Copa América: Torcedores já podem adquirir ingressos para o amistoso entre Brasil e Honduras

Crédito: Divulgação

19/05/2015

O duelo está marcado para o dia 10 de junho, no Estádio do Beira-Rio

Nesta segunda-feira, se iniciaram as vendas dos ingressos para a partida entre Brasil e Honduras, que será realizada nas vésperas da Copa América do Chile. O confronto está marcado para o dia 10 de junho, às 22 h (horário de Brasília), no Estádio Beira-Rio, em Porto Alegre.

Para garantir a entrada, os torcedores terão que desembolsar valores entre R$ 60 (meia-entrada) e R$ 350. A aquisição poderá ser feita pela internet, ou no próprio local do evento até o dia 9 de junho, caso ainda não tenham se esgotado.

O técnico Dunga conta com a torcida para empurrar o time, e considera o jogo fundamental na preparação para a competição.

“Contamos com o apoio dos gaúchos, que sempre estiveram ao lado da Seleção, e de torcedores de todo o Brasil. Os jogadores gostam de sentir o incentivo da torcida e sempre procuram retribuir com empenho e uma grande atuação. O jogo será muito importante para definir alguns aspectos a quatro dias da estreia contra o Peru”, declarou o treinador.

No dia 14 de junho, em Temuco, a Seleção Brasileira enfrenta o Peru na estreia da Copa América.

Fonte: Goal


Organizadores fecham, pela 1ª vez, patrocínios regionais para a Copa América do Chile-2015



19/05/2015

K8 (China) e Spingol (Argentina), empresas de apostas online, são parceiras continentais de evento

A Copa América do Chile, que será disputada de 11 de junho a 5 de julho, acertou seus primeiros contratos de patrocínio regional. A K8, uma empresa de apostas online com sede em Macau, na China, e com escritórios em 50 países do mundo, comprou o direito de usar a imagem do torneio na Ásia.

“Estamos, de certa forma, antecipando o que a Fifa vai fazer em 2018”, afirmou Ivan Martinho, vice-presidente de marketing da Traffic Sports, que gerencia a parte comercial do evento, referindo-se aos patrocinadores da Copa do Mundo da Rússia.

“Quem acessar o site da Copa América [www.ca2015.com] com IP da Ásia vai ver a K8 como parceira do evento. Quem acessar da América não vê o nome da empresa”, contou o executivo.

Para a América Latina, os organizadores fecharam com outra empresa de apostas online, a Spingol, da Argentina. Além dos parceiros regionais, o torneio também conta com cinco cotas de patrocínio, com diferentes entregas: platinum (Mastercard, KIA e Santander), ouro (Claro), prata (DHL Express, Coca-Cola e Kellogg’s), fornecedores oficiais (LATAM e Canon) e patrocinador local (Airbnb).

Para assegurar que a imagem da Copa América seja usada apenas por quem pagou por isso, os organizadores contrataram o Estudio Rinaldi & Asociados, escritório de advocacia da Argentina.

“Quando acontece algum problema desses, a gente notifica as empresas. Noventa e cinco por cento das vezes elas dizem que não sabiam. Quando o aviso não funciona, vamos à Justiça”, conta Martinho.

Por ora, a medida legal não foi necessária para autuar nenhuma empresa, mas houve ao menos dois casos de marketing de emboscada. Stella Barros e Decolar.com anunciaram pacotes de viagem para assistir à Copa América do Chile, direito que pertence à LATAM, dona das marcas LAN e TAM, e parceira oficial do evento. A Stella Barros acabou retirando do ar o anúncio de pacote para a Copa América. 



Copa América: Conmebol contradiz Mundial e zerará cartões na 'hora errada'

Cartões amarelos poderão tirar uma estrela como Neymar da decisão da Copa América
GETTY IMAGES

19/05/2015

Enquanto sofre com as repercussões sobre a decisão responsável por eliminar o Boca Juniors da Copa Libertadores, a Conmebol realiza nessa semana um workshop no Chile para definir o regulamento da Copa América de 2015. Estigmatizada pela complacência com indisciplina, especialmente de clubes, a entidade tomou uma medida dura, que poderá até tirar um craque da decisão do torneio.

Segundo o regulamento da competição, que será disputada entre 11 de junho e 4 de julho em solo chileno, um jogador terá os cartões amarelos zerados ao final da primeira fase; ou seja, todos os atletas jogarão a primeira etapa do mata-mata com apenas uma chance de ficar fora de uma eventual semifinal: caso sejam expulsos.

A partir das quartas de final, a Conmebol anunciou que o acúmulo de dois cartões amarelos suspenderá os atletas do próximo jogo. Consequentemente, quem receber a advertência nas quartas e nas semis estará fora da decisão. Na Copa América, portanto, ninguém será blindado.

Reprodução

A decisão da Conmebol contradiz ‘apenas' a Copa do Mundo, a grande competição do futebol mundial. Desde 2002, quando Michael Ballack, estrela da Alemanha no Mundial, recebeu o segundo cartão amarelo na semifinal contra a Coreia do Sul e viu das tribunas a derrota para o Brasil na decisão, a Fifa se movimentou a fim de proteger as estrelas antes de uma decisão.

Nas últimas duas edições da Copa do Mundo, a entidade máxima do futebol mundial modificou a regra dos cartões a fim de blindar os craques. Ao invés de zerar os amarelos ao final da primeira fase, a Fifa passou a poupar os ‘pendurados' somente após as quartas de final.

Desta forma, um jogador não atuaria em uma decisão de Mundial somente em caso de expulsão. Já na Copa América, por outro lado, um amarelo nas quartas, seguido de outro na semifinal, tirará um jogador da final. Preocupação extra para Dunga, Gerardo Martino, José Pekerman e companhia.

Fonte: ESPN


De Guerrero a Valdívia, veja convocados para a Copa América que atuam no Brasil

Crédito: Jovem Pan

19/05/2015

No próximo mês de junho, especificamente no dia 11, começa a Copa América. Chile e Equador dão o pontapé inicial da competição, que definirá seu campeão quase um mês depois, no dia quatro de julho.

Os campeonatos europeus estarão parados, com os clubes em férias, enquanto o Brasileirão continuará com força total. Serão sete rodadas durante o torneio continental, além de partidas na Copa do Brasil.

Nove clubes cederão 14 jogadores para sete seleções. O Brasil é a seleção que lidera a lista com quatro convocados que atuam no país, seguida pelo Chile, com três atletas: Valdívia, Aranguiz e Mena.

Brasil

Jefferson (Botafogo)
Marcelo Grohe (Grêmio)
Elias (Corinthians)
Robinho (Santos)

Chile

Mena (Cruzeiro)
Aránguiz (Internacional)
Valdívia (Palmeiras)

Colômbia

Armero (Flamengo)
Valencia (Santos)

Equador

Erazo (Grêmio)

Paraguai

Cácares (Flamengo)

Peru

Guerrero (Corinthians)

Uruguai

Martín Silva (Vasco)
Arrascaeta (Cruzeiro)

Fonte: Jovem Pan


Chile faz últimos preparativos para receber a Copa América

Estádio Nacional receberá abertura e final da Copa América
Foto: André Baibich / Agência RBS
19/05/2015

O Chile começa a fervilhar de ansiedade pelo início da Copa América. No dia 11 de junho, os donos da casa enfrentam o Equador, dando pontapé inicial ao torneio.

Lá, a televisão já mostra comerciais com o tema do torneio. Há esperança da consagração de uma geração talentosa, com expoentes como Alexis Sanchez, do Barcelona, e Arturo Vidal, da Juventus.

A derrota para o Brasil na Copa ainda dói nos chilenos. O chute no travessão de Pinilla, em meio à prorrogação da partidas pelas oitavas de final, é assunto recorrente. A competição em casa é vista como uma oportunidade de redenção, mesmo que existam vozes dissonantes.

— Não gosto deste Sampaoli. É uma cópia mal-feita do Marcelo Bielsa. Só pensa em ganhar a Copa América e não está renovando o time para o Mundial de 2018 — reclama o espirituoso motorista Cristian Fernández.

Enquanto acerta os detalhes dentro das quatro linhas, o Chile prepara seus estádios e cidades para receber a América. A reportagem de ZH esteve em três sedes da competição e relata, a seguir, como estão os palcos do torneio.

No simpático Germán Becker, a estreia brasileira

Funcionários tomam cuidado especial com o gramado. Foto: André Baibich

Nos últimos meses, basta um cidadão de Temuco encontrar um brasileiro para citar a expectativa para o dia 14 de junho. A cidade de pouco mais de 260 mil habitantes vibra com a perspectiva de receber a Seleção de Dunga para sua estreia na Copa América, diante do Peru.

O simpático palco da partida está quase pronto. São 18,5 mil lugares em assentos confortáveis. Como já passara por uma profunda renovação em 2008, para o Mundial feminino sub-20, o Germán Becker precisa de pequenos ajustes. O gramado, que foi totalmente renovado, recebe cuidados especiais.

Ao entrar no campo, o prefeito Miguel Becker, filho do ex-prefeito que deu nome ao estádio, pergunta a um funcionário:

_ Quantos cortes já fizemos no gramado?

O responsável não sabe precisar, mas isso não impede Becker de mostrar com orgulho o tapete verde e querer saber dos jornalistas o que acham. Os contrastes do verde claro e escuro que formam tênues linhas na grama já estão lá. O piso está pronto para receber Neymar e companhia.

Enquanto isso, a cidade vibra e se prepara. No hotel que hospedará a Seleção, já foi dada a ordem para que o cassino e a discoteca, que ficam dentro do local, sejam fechados para evitar distrações dos jogadores.

A jogatina é das poucas atrações de Temuco, que se orgulha de seus filhos ilustres: o ex-centroavante Marcelo Salas, hoje dono da equipe local, o Deportes Temuco, e o poeta Pablo Neruda. De resto, não há grande apelo turístico.

Ainda assim, receber visitantes não é tarefa estranha para os habitantes. Cerca de 100 mil por ano passam pela cidade a caminho das estações de esqui.

— Durante a Copa América, pedimos autorização para que o aeroporto, que não é internacional, possa receber voos do Exterior. Assim, teremos condições de recepcionar o torcedor brasileiro que queira vir direto para o jogo — revela Becker.

Concepción corre contra o tempo

Estádio Ester Roa pode receber o Brasil nas quartas de final. Foto: André Baibich

A visão do entorno do estádio Ester Roa, em Concepción, lembra a Avenida Padre Cacique em meados de 2013, quando as obras do Beira-Rio estavam a todo vapor. Cones delimitam a área estreita para os carros passarem em baixa velocidade, brecados pelo congestionamento. O resto da via é ocupada pelos operários. Até não seria preocupante se a cena não se repetisse dentro de um dos palcos da Copa América.

A reforma do estádio municipal demorou a sair. O contrato com uma construtora para tocar a renovação foi rompido pela prefeitura no ano passado, após meses de marasmo. Concepción, a segunda maior região metropolitana do Chile, estava ameaçada de não fazer parte da festa.

Ainda que a nova parceria tenha acelerado o ritmo e garantido a realização de três partidas da Copa América no local, a apreensão está no ar. Quando a reportagem de ZH esteve no estádio, há cerca de duas semanas, guindastes em volta do campo poluíam a vista de uma construção moderna, que começa a tomar forma a despeito do atraso. Ainda há cadeiras a instalar, a cobertura (semelhante à do Beira-Rio, com módulos cobertos por uma membrana de tecido) está sendo colocada e falta o sistema de som, vestiários e áreas VIP. O custo total se aproxima de R$ 150 milhões.

— Tudo vai ficar pronto. As obras estão dentro do cronograma — garante o prefeito Álvaro Ortiz, que não esconde que algumas das etapas da reforma ficarão para depois da Copa América e só serão vistas no Mundial sub-17 de outubro.

Os problemas fizeram com que os três jogos marcados para a cidade fossem da segunda fase: era preciso dar tempo para que tudo ficasse pronto. Se o Brasil passar em primeiro lugar do grupo, joga as quartas de final em Concepción, e se tudo correr como na maior parte dos bolões de torcedores, um trepidante Brasil x Argentina na semifinal movimentará a capital da província de Bio Bio.

Enquanto espera pela Copa América, Concepción segue a vida de cidade universitária, com suas ruas limpas e floridas. O baque do terremoto de 2010, que deixou um rastro de destruição, já está quase superado. Os esforços para reconstruir as áreas mais devastadas, como o porto de Talcahuano, na região metropolitana, amenizaram o drama e mantiveram o clima agradável e cortês que se percebe do centro à periferia.

A história no cimento do Nacional

Setor que homenageia prisioneiros políticos no Nacional. Foto: André Baibich

Nada das estruturas de ferro e do acrílico transparente das novas arenas. No Estádio Nacional, o cimento está à vista.

Quem acredita em forças sobrenaturais deve ter alguma dificuldade em caminhar à noite pelos corredores do principal palco da Copa América. Com toda a história que passou por ali, do futebol à política, não surpreenderia se algum fantasma aparecesse vagando pelas velhas arquibancadas.

Construído em 1938, o Nacional viveu seu auge na Copa do Mundo de 1962, quando foi testemunha da genialidade de Garrincha. O Mané entortou os donos da casa e marcou duas vezes na semifinal, antes de perder a cabeça e chutar Rojas, em lance que resultou na sua expulsão. Na decisão, jogou doente, com febre, mas ajudou o Brasil a vencer a Tchecoslováquia e conquistar o bicampeonato.

Em 1973, o capítulo mais triste da história do estádio: dois meses de terror patrocinados pela ditadura militar de Pinochet. O Nacional transformou-se em depósito de prisioneiros políticos. Estimativas extraoficiais apontam cerca de 200 mortos em execuções dentro do estádio.

O Chile não esconde essa história: ao contrário, escancara. Um dos setores da arquibancada foi preservado como era nos tempos da ditadura, com seus degraus de madeira, em memória aos prisioneiros. Ali, ninguém entra. Do lado de fora, nos vestiários da piscina que faz parte do complexo esportivo, outra homenagem. O local era utilizado como prisão das mulheres e também teve suas estruturas mantidas. Uma placa lembra o sofrimento das prisioneiras e a camaradagem para preservar as grávidas, já que, afinal, "depois do terror, a vida continua".

O passado sombrio não paralisou o Nacional, que segue ativo, servindo de casa da Universidad de Chile. Para a Copa América, receberá pequenos ajustes para sediar as principais partidas: a abertura e a final.

Os encantos de "Sanhattan"

Vinícola fica a uma hora de carro de Santiago. Foto: André Baibich

Além do Nacional, Santiago terá jogos no Monumental, casa do Colo-Colo. Lá, o Brasil cumpre os dois últimos compromissos da primeira fase.

Passar o tempo entre um jogo e outro não será problema para quem for apoiar a Seleção. Não faltam atrações à capital chilena, com seus pouco mais de 5 milhões de habitantes.

A mistura do antigo e o novo produz lindas paisagens. Os prédios modernos e espelhados remetem às metrópoles norte-americanas e justificam o apelido de "Sanhattan". No centro, construções históricas como o Palácio La Moneda, sede do governo, dão o tempero europeu à arquitetura.

Fora da cidade também há o que fazer. Basta uma viagem de uma hora de carro para chegar à sede da vinícola Concha y Toro, uma das maiores do mundo, para um tour guiado que inclui uma visita às plantações de uva e degustação de alguns dos melhores rótulos da marca.

Fonte: ZH Esportes

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...