Costa Rica 1 (5) x 1 (3) - Não teve Zeus que parasse a Costa “Zica”

Foto: Divulgação

30/06/2014

Com um homem a menos em boa parte do jogo, os Ticos conseguiram segurar o resultado e levaram a melhor nos pênaltis

Há dez anos atrás, a Grécia disputava nos pênaltis a partida mais importante da sua história. Na ocasião, os gregos levaram a melhor contra Portugal, de Felipão, e ficaram com o título da Eurocopa. Neste domingo, pela primeira vez, poderiam avançar às quartas de final da Copa do Mundo. A decisão foi novamente nas penalidades máximas, mas desta vez não teve Zeus que ajudasse. Após o empate no tempo normal em 1 a 1, Navas virou herói da Costa “Zica” e defendeu o tiro de Gekas, levando o público da Arena Pernambuco ao delírio. Agora, o adversário é a toda poderosa Holanda, será mais uma façanha dos Ticos?

Na partida entre as surpresas da Copa do Mundo, os gregos com um homem a mais desde a metade da segunda etapa jogaram melhor, mas pararam na forte marcação da Costa Rica, que abandonou o ataque para levar o embate nos pênaltis. Conseguiram, e viram Navas sair como herói, após terem convertido as suas cinco cobranças.

Após passar por Itália, Inglaterra e Uruguai, sem contar a Grécia, a Costa Rica terá que enfrentar outro favorito ao título da Copa do Mundo, a Holanda, que sofreu para vencer o México por 2 a 1, também neste domingo.

QUEM ATACA?

Foto: Divulgação

O dia era histórico. O confronto reservado para o “horário nobre” do futebol colocava frente a frente as duas maiores surpresas da Copa do Mundo 2014. A Costa Rica conquistou o público brasileiro ao deixar para trás ninguém menos do que três campeões Mundiais, Itália, Uruguai e Inglaterra, classificando como a líder do Grupo da Morte. Já os gregos contaram com uma “mãozinha” dos deuses para avançar. A vaga às oitavas foi confirmada apenas no último minuto, contra a Costa do Marfim, em um pênalti convertido por Samaras.

A superioridade da torcida na Arena Pernambuco era costarriquenha. Os Ticos apostavam na mesma formação que desbancou adversários consagrados em Mundiais e perderam a primeira chance de gol com Bolaños. Campbell, jogador que atuou no futebol grego na temporada passada, iniciou a jogada, que passou por Ruiz antes de chegar no meia. Em um chute de longa distância, a bola seguiu para a linha de fundo.

A Grécia, conhecida pela forte marcação, que fez chegar até às oitavas de final, parecia ter esquecido, por um momento, sua raiz defensiva a apostava na força do seu ataque para surpreender a Costa Rica. Apesar de tomar a iniciativa do duelo, levava pouco perigo. Em uma delas, Cholevas cruzou e Salpingidis chutou para defesa de Navas.

Fraco tecnicamente, a partida foi voltada para o estudo e marcação do que qualquer outra coisa. Ambas as equipes colocaram nove jogadores atrás da linha de meio de campo e torciam para que Samaras, pelo lado grego, ou Campbell, para os Ticos, resolvessem, o que acabou não acontecendo na primeira etapa.

EMPATE MILAGROSO NO FINAL
A segunda etapa iniciou mais movimentada. A Grécia quis surpreender logo no primeiro minuto. Após cobrança de falta, Samaras desviou de cabeça, mas Navas fez a defesa. Os gregos erraram, mas os Ticos não desperdiçaram a chance. Aos seis minutos, Bolaños tocou para Bryan Ruiz. O atacante pega fraco, mas mandou no canto esquerdo do goleiro Karnezis. O placar estava aberto.

Foto: Divulgação

A Costa Rica se animou com o gol e apostava na velocidade de seus jogadores para tentar aumentar a vantagem, porém, a expulsão de Óscar Duarte fez os planos mudarem. O zagueiro fez falta em Cholevas, levou o segundo amarelo, posteriormente o vermelho e complicou a vida dos Ticos, que precisam se fechar para segurar o resultado.

O tempo foi passando e o desespero grego aumentado. A pressão ficou para os minutos finais. Na primeira tentativa, Christodoulopoulos deixou Díaz para trás e chutou. Navas defendeu mais uma. O arqueiro, porém, largou na tentativa de Mitroglou, e aos 45, os europeus empataram a partida, com Sokratis. O zagueiro aproveitou a sobra e mandou para dentro.

Está no sangue grego nunca desistir, mas o que vem acontecendo com eles nessa Copa do Mundo, está chamando a atenção de muita gente. Essa é a segunda vez que a Grécia escapa da eliminação nos últimos minutos, assim como aconteceu diante da Costa do Marfim. Já contra a Costa Rica a vitória só não veio no tempo normal, pois Navas pegou a finalização de Mitroglou.

MAIS 30 MINUTOS DE PELEIA

Foto: Divulgação

Na prorrogação, a partida virou jogo de um time só. Com um homem a menos em campo, a Costa Rica se viu obrigada a recuar e ficar na esperança de um erro grego para contra-atacar. A Grécia não deu esse mole, mas também não conseguiu furar o ferrolho rival. Era bola jogada para área, mas afastada pelos zagueiros. Coração dos costarriquenhos batiam cada vez mais forte com a pressão dos europeus.

Pênalti? A Grécia não queria saber disso não. Os gregos enfim se abriram e se jogaram ao ataque. Com isso, acabou dando espaço para a Costa Rica. Campbell tentou, mas acabou dando o maior contra-ataque aos europeus. Era quatro contra dois. Christodoulopoulos recebeu e chutou, mas Navas salvou os Ticos. Na sequência, o arqueiro fez outro milagre, no minuto final, ao sair nos pés de Mitroglou, levando a partida às penalidades máximas.

A COSTA "ZICA" ESTÁ DENTRO!
Tudo indicava que aconteceria mais um milagre grego, assim como foi no tempo normal. Mas, esqueceram de avisar o goleiro Navas, grande herói do embate. A Costa Rica converteu suas cinco cobranças. Borges, Ruiz, González, Campbell e Umaña marcaram. Mitroglou, Christodoulopoulos e Colevas também fizeram, para o lado grego, mas Gekas parou na grande defesa do arqueiro dos Ticos.

PRÓXIMO JOGO
Viva na Copa do Mundo, a Costa Rica tem pela frente a Holanda, em partida marcada para o sábado, às 17h, na Arena Fonte Nova. Já a Grécia termina assim sua participação no Mundial

FICHA TÉCNICA:

COSTA RICA 1 (5) x (3) 1 GRÉCIA

COSTA RICA - Navas; Gamboa (Acosta), Duarte, González, Umaña e Díaz; Borges, Tejeda (Cubero), Ruiz e Bolaños (Brenes); Campbell. Técnico: Jorge Luis Pinto.

GRÉCIA - Karnezis; Maniatis (Katsouranis), Manolas e Sokratis; Torosidis, Karagounis, Christodoulopoulos, Samaris (Mitroglou) e Holebas; Samaras e Salpingidis (Gekas). Técnico: Fernando Santos.

GOLS - Bryan Ruiz, aos 6, e Sokratis, aos 45 minutos do segundo tempo.
CARTÕES AMARELOS - Tejeda, Bryan Ruiz e Navas (Costa Rica); Samaris, Manolas(Grécia).
CARTÃO VERMELHO - Duarte.
ÁRBITRO - Benjamin Williams (Fifa/Austrália).
RENDA E PÚBLICO - Não disponíveis.
LOCAL - Arena Pernambuco, no Recife (PE).



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...