Chama olímpica passa pelo sertão dos estados de Pernambuco e Bahia

28/05/2016

Comboio passou pelas cidades pernambucanas de Lagoa Grande, Santa Maria da Boa Vista, Orocó e Cabrobó e chegou até Paulo Afonso, na Bahia. Neste sábado, segue em direção ao litoral sergipano
 A mata seca e esbranquiçada do sertão nordestino constrastou com o verde da vegetação das margens do Rio São Francisco durante a trajetória desta sexta-feira (27.09) da tocha olímpica. O dia começou em Lagoa Grande, passou por Santa Maria da Boa Vista e Orocó, deu um pulo em Cabrobó - todas em Pernambuco -, e pousou em Paulo Afonso, na Bahia, onde a chama se despediu do estado da alegria.

Eduardo Feijó. Foto: Lorena Castro/brasil2016.gov.br
Pela primeira vez, o símbolo olímpico pisou em solo semiárido. Cabrobó decretou até ponto facultativo e preparou uma grande festa. Logo na entrada da cidade, muito verde e amarelo, frevo e encontro com os vaqueiros, figura típica do sertão nordestino. "O vaqueiro não pode ser esquecido, foi ele que enfrentou a caatinga e iniciou, pelo Rio São Francisco, a exploração para o interior", explica o professor de geografia Eduardo Feijó, um dos condutores da chama.

O educador disse sentir uma emoção indescritível e ressaltou que o revezamento da tocha em Cabrobó tem um sentido especial. "Esse dia vai ficar na história da cidade. Quando a gente acendeu aquela luz, foi como se o mundo se abrisse", completa Feijó.

Cabrobó teve 18 condutores distribuídos em 3,5 quilômetros com atrações culturais desde sanfoneiro, dança do povo Quilombolas, aboiado e quadrilha. A tocha percorreu as principais ruas da cidade até chegar à Concha Acústica, onde aconteceu o acendimento da pira.

O cangaço também foi lembrado pelos cabroboenses. O estudante Aldair Caytitú estava caracterizado de cangaceiro para receber o comboio e a chama olímpica. "A história do cangaço que iniciou na região com Virgulino Lampião era um estilo Robin Hood do sertão que lutava para combater injustiças. Não queremos que esse novo cangaço apague o verdadeiro significado", explica. Neto de uma das lideranças indígenas na Ilha de Assunção - povoado de Cabrobó - Aldair comentou sobre a importância da tocha na cidade: "Cabrobó é pequena, pouco mais de 30 mil habitantes. Uma alegria estarmos entre tantas cidades do revezamento".

Aldair Caytitú. Foto: Francisco Medeiros/ME

A cidade está situada na Região Integrada de Desenvolvimento (RIDE), polo Petrolina e Juazeiro. O local é o ponto de partida do eixo norte da Transposição do Rio São Francisco e tem a agricultura (produtos como arroz e cebola) como principal fonte de renda.


Eduarda Jorge. Foto: Lorena Castro/brasil2016.gov.br
Despedida

Ao fim do dia, a tocha aterrissou em Paulo Afonso carregada por Luis Henrique Santos, o Sabiá. No céu, a luz vinha dos pés do paraquedista porque a da chama só foi acesa em solo. Não bastasse a aventura no ar, a tocha ainda fez rapel na Ponte do PC-TRAN e desceu até o Velho Chico para um passeio de barco. O revezamento seguiu pelas ruas da cidade e encerrou com o acendimento da pira no parque Lindinalva Cabral para a celebração.

Durante o percurso algumas revelações do esporte, como a atleta da maratona aquática Eduarda Jorge, fizeram festa com o símbolo olímpico. Com apenas 16 anos, ela diz que sonha em participar dos Jogos de Tóquio em 2020 e que treina duro para isso. "Já me sinto nos Jogos do Rio", confessa a bolsista do Ministério do Esporte ao conduzir a tocha. Eduarda também participou do evento teste da modalidade, em agosto de 2015, em Copacabana. "Foi maravilhoso, competi com atletas renomados brasileiros e estrangeiros. Fiz uma boa prova, cheguei em 10º lugar geral", comemora.

Sobre o revezamento da tocha, a maratonista aquática diz que ficou emocionada com a oportunidade. "Parou tudo na memória, eram só 200 metros que parecia uma eternidade. Fiquei nervosa, mas era de alegria", revela. O revezamento na Capital da Energia, a última do estado da Bahia a receber o fogo, teve cerca de 50 condutores. A chama chegou em território baiano no último dia 19 e percorreu cerca de 2.300 quilômetros. Ao todo foram 27 cidades e uma média de 100 condutores por dia.

Galeria de fotos

27/05/16 - Revezamento da Tocha Olímpica em Cabrobó. Fotos: Francisco Medeiros.ME.

27/05/16 - Revezamento da Tocha Olímpica em Paulo Afonso. Fotos: Francisco Medeiros/ME.

Roteiro deste sábado

Sergipe, o menor estado brasileiro, será o destino da chama olímpica neste sábado (28.05). A tocha sai de Paulo Afonso e segue para Aracaju, capital sergipana, passando por Canindé de São Francisco, Poço Redondo, Nossa Senhora da Glória e Nossa Senhora das Dores. Serão cerca de 450 km ao todo.

Fonte: Brasil 2016

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...