Reunião de prefeitos prepara municípios para aproveitar a passagem da tocha olímpica

Para Adriano De Angelis, a cultura é um dos principais ativos que os municípios 
podem divulgar durante o Tour da Tocha. Foto: Ivo Lima/ME

24/03/2016

No Rio de Janeiro, municípios ouviram dicas e trocaram experiências sobre a importância do revezamento pelo país

Um dos maiores símbolos dos Jogos Rio 2016, a tocha olímpica vai passar por cerca de 300 cidades brasileiras antes de acender a pira no Rio de Janeiro. A estimativa é de que 12 mil pessoas carreguem o objeto, que vai dormir em 83 cidades brasileiras, percorrer 20 mil quilômetros terrestres e 12 mil milhas aéreas. “Estamos fazendo com que os Jogos, os primeiros da América do Sul, não sejam os Jogos do Rio, mas sim do Brasil”, disse Marco Aurélio Vieira, diretor executivo de Operações do Comitê Rio 2016.

Com o objetivo de aproveitar a passagem da chama, prefeitos e municípios se preparam para extrair o máximo da experiência. Este foi um dos temas do primeiro dia da 69ª Reunião Geral da Frente Nacional de Prefeitos (FNP), no Rio de Janeiro. Com a presença de representantes do governo federal, do Comitê Rio 2016 e dos municípios, a reunião discutiu ações para que os prefeitos consigam se beneficiar ao máximo com a presença da chama.

“É um momento ímpar da história”, diz Adriano De Angelis, coordenador da câmara temática de Cultura, Turismo e Imagem do Brasil no Ministério da Cultura. “Milhões de pessoas vão acompanhar no mundo inteiro. Toda ação que os municípios fizerem representa muito, pois terá um impacto que dificilmente conseguiríamos de outra forma”, afirma.

De acordo com De Angelis, uma das formas de chamar a atenção é justamente oferecendo a cultura local como atrativo. “A cultura é um dos principais ativos que a percepção mundial tem do Brasil. É mais do que festividade. Tem potência econômica, de identidade e reconhecimento de valores. Valorizar a cultura é um tipo de posicionamento que cada município pode fazer para trazer um valor grande para todos.”

Impacto

O ponto mais alto da tocha é representado pelo Sol. 
Sua cor remete ao ouro, que representa a conquista 
máxima dos jogos. As camadas seguintes representam 
as montanhas, o mar e o chão do Rio de Janeiro e do país.
Na Copa do Mundo, o representante do Ministério da Cultura relatou que a segunda experiência mais impactante relatada pelos turistas foi a alimentação, outro grande trunfo que os municípios têm para explorar durante a passagem da tocha. De Angelis também ressaltou a importância de valorizar a potência de discurso e narrativa dos Jogos Paralímpicos, envolvendo artistas e grupos com deficiência no processo.

Como forma de incentivo, o Ministério da Cultura recebe inscrições até 7 de abril para o Prêmio Arte Monumento Brasil 2016. A iniciativa vai premiar 70 projetos de artes visuais, feitos por artistas dos locais por onde a tocha vai passar, com um prêmio de R$ 30 mil. “Teremos 70 obras de arte olímpicas para mostrar para o Brasil e o mundo. É algo que fica de patrimônio para a cidade, marcando que os Jogos são também de todo o Brasil”, aponta.

Vale também aproveitar festas e tradições locais como maneira de incrementar a passagem da tocha e deixa-la ainda mais marcada nas cidades. “O prefeito de Mossoró quer que a gente acenda a fogueira de São João com a tocha, unindo a passagem com a festa dele”, conta Olmo Xavier, subchefe de Assuntos Federativos da Presidência da República.

Três Rios

Situada a 120km do Rio de Janeiro e uma das últimas a receber a chama olímpica, em 29 de julho, a cidade de Três Rios é um exemplo de município que está se planejando para adequar suas principais atividades à passagem da tocha e aos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016.

O prefeito de Três Rios, Vinícius Pará, comentou as iniciativas planejadas para o período. “A chegada da tocha, e o momento dos Jogos, nos enche com um leque de possibilidades para otimizar tudo que tínhamos prospectado para o ano em um calendário reduzido e econômico”, explica.

Para Marco Aurélio Vieira, diretor executivo de Operações do Comitê Rio 2016, 
a tocha permite que os Jogos sejam uma experiência do Brasil, e não somente 
do Rio. Foto: Ivo Lima/ME

Segundo o prefeito, Três Rios vai realizar em um espaço de 60 dias, o mesmo dos Jogos Rio 2016, eventos que preencheriam o calendário da cidade ao longo de todo 2016. Haverá festivais de dança, de música, de gastronomia e esporte. “Pegamos um calendário de nove, 10 meses e o otimizamos para ocorrer em 60 dias. Todos os eventos têm como mola propulsora a marca das Olimpíadas e o esporte como transformação do futuro cidadão”, destaca.

Para empreendedores e comerciantes, o período também será aproveitado de forma temática, com os Jogos Rio 2016 no centro das atenções. “O comércio está se preparando para vender produtos ligados ao esporte. Estamos mostrando para as pessoas que os Jogos são uma oportunidade para vender positivamente seus produtos para a nossa cidade, para o estado, para o país e para o mundo”, conta o prefeito, que também vai adiantar as Olimpíadas Escolares para o fim de maio.

“Temos certeza de que, em Três Rios, a passagem da tocha vai representar um ganho muito grande e consolidar nossa cidade como uma que aplica oportunidades de negócios para todos”, afirma Vinícius Pará.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...