Holanda 0 (2) x 0 (4) Argentina - Vamos todos a bailar no Maraca?

Foto: Divulgação

10/07/2014

Os Hermanos farão a decisão da Copa do Mundo diante da Alemanha

“Brasil, decime que se siente, tener em casa a tu papá”. Esse foi o coro que marcou o Itaquerão nesta quarta-feira. O pior aconteceu. Após a Seleção Brasileira ser goleada por 7 a 1 diante da Alemanha, os brasileiros terão que conviver com a presença da Argentina na decisão da Copa do Mundo. Os Hermanos se garantiram na decisão ao vencer a Holanda por 4 a 2 na decisão por pênaltis. Nossos rivais foram perfeitos, enquanto que os holandeses desperdiçaram duas cobranças, com Vlaar e Sneijder. No tempo normal, as equipes ficaram em 0 a 0.

A história está comprovada. Quando a Argentina chega em uma semifinal, ela vai à decisão. Esta é a quinta fez que os Hermanos irão disputar uma final de Copa do Mundo. A terceira taça pode ser conquistada diante da Alemanha, em partida marcada para este domingo, às 16h, no Estádio do Maracanã.

Por sua vez, a Holanda viu diminuir o tabu que tem contra a Argentina. Antes do embate de hoje, os holandeses perderam apenas uma partida para o rival, ganharam outras quatros e empataram três. Hoje, sentiram na pele mais uma dolorida derrota e viram o sonho do primeiro título ir novamente por água abaixo. A disputa por terceiro e quarto acontecerá no sábado, às 17h, no Estádio Mané Garrincha, em Brasília, diante da Seleção Brasileira.

JOGO ESTUDADO E POUCAS CHANCES DE GOLS!
O dia estava propício para mais uma festa argentina. Os hermanos comemoram nesta quarta-feira, a independência do país. A cereja do bolo viria com uma vitória para cima da Holanda, pois o recheio já foi feito na terça e pela Alemanha. Os alemães humilharam a Seleção Brasileira na goleada por 7 a 1, e fizeram com que os argentinos caíssem na gargalhada. A famosa música provocativa “Brasil, decime que se siente”, começava a fazer cada vez mais sentido.

Foto: Divulgação

Em busca da cereja do bolo, a Argentina apostava as suas fichas no craque Lionel Messi, já que outro astro, o meia Dí María se contundiu diante da Bélgica e ficou de fora do embate. Por sua vez, a Holanda tentava chegar em sua segunda final consecutiva em Mundiais com o futebol eficiente do trio formado por Robben, Van Persie e Sneijder.

Antes da bola rolar, uma novidade na Holanda. De Jong estava confirmado entre os titulares. O jogador, inclusive, recebeu a missão de marcar ninguém menos do que Lionel Messi. No primeiro tempo, deu resultado. O volante parou o argentino, que pouco levou perigo ao gol de Cilessen.

Com seus torcedores em bom número no Itaquerão, a Argentina tomou o domínio do jogo e ficou mais perto de abrir o marcador. A primeira boa chance aconteceu aos 22 minutos. Em cobrança de escanteio de Lavezzi, Garay subiu de cabeça, mas mandou a bola para a linha de fundo.

A Holanda equilibrou o jogo, chegou a estar melhor em alguns momentos, mas sofreu com a pouca inspiração de suas principais peças. Robben e Van Persie foram bem marcados e pouco apareceram. Já pelos Hermanos, Messi teve a chance de fazer o primeiro, em cobrança de falta, mas parou em Cilessen, que encaixou o chute do craque.

Sofrendo com a forte marcação da Argentina, os holandeses levaram perigo apenas no chutes de Sneijder, que Romero defendeu. Os Hermanos fizeram uma grande partida tática. Antes muito criticado, seu sistema defensivo vem aparecendo bem nesta Copa e se saiu bem em mais uma prova.

HOLANDA PERDE CHANCE DE DECIDIR!

Foto: Divulgação

Assim como aconteceu na primeira etapa, o equilíbrio marcou o segundo tempo. A Argentina tomava a iniciativa, mas a Holanda apostavas nas jogadas individuais, principalmente de Robben. O jogador, inclusive, perdeu a chance do jogo. Aos 45 minutos, o craque do Bayern de Munique recebeu um belo passe de Sneijder, saiu na cara de Romero, mas foi travado na hora do chute por Mascherano. O lance lembrou muito o gol que o atacante perdeu, diante da Espanha, no Mundial passado.

Antes disso, era a Argentina que se mostrava mais afim de chegar à decisão. Aos 12 minutos, Lavezzi cruzou, Higuaín estava pronto para finalizar, mas Janmaat afastou o perigo a tempo. O atacante era o jogador mais acionado na linha de frente e foi o responsável por “enganar” os torcedores no Itaquerão. Após passe de Pérez, o craque do Napoli chutou na rede pelo lado de foram e fez com que muitos berrassem “gol”.

Com exceção ao lance de perigo de Robben, a Argentina esteve impecável também na segunda etapa, mas sua linha de fogo não brilhou. Quando arriscavam, paravam em Cillessen. Foi assim no chute de Rojo, a última oportunidade antes da prorrogação. Já nas arquibancadas, a festa era dos argentinos, que não paravam de incentivar. Os brasileiros tentavam responder com vaias, mas o dia parecia ser dos Hermanos.

MAIS UMA PENALIDADE NA CONTA!
Após partida de tamanho equilíbrio, nada mais justo do que uma prorrogação. São mais 30 minutos de duas grandes seleções que lutam desesperadamente pelo título. Quem ganha, são os torcedores, que podem acompanhar um pouco mais da Copa do Mundo.

Nos primeiros 15 minutos, foi a Holanda que esteve melhor. Robben chamava a responsabilidade e perdeu mais duas oportunidades de abrir o marcador. Na primeira, o craque passou por três jogadores, mas foi travado na hora do chute. Em seguida, ele arriscou, mas parou em Romero. A Argentina apenas se defendia. Sem Dí María, ficaram refém de Messi, que “desapareceu”.

Para a segunda etapa, Louis van Gaal arriscou, colocou Huntelaar no lugar de Van Persie e desistiu de contar com Tim Krul em uma possível disputa por pênaltis. A substituição não deu liga, e a seleção holandesa sofreu com a pressão da Argentina nos minutos finais e só não foi derrotada graças a Cilessen. O arqueiro defendeu a cabeçada de Palacio, que sozinho tentou o encobrir, e no chute de Rodríguez.

O DIA É DE ROMERO!

Foto: Divulgação

Sem Tim Krul, a Holanda não conseguiu competir com a Argentina nas cobranças de pênaltis. Cilessen continua sem defender uma cobrança sequer em sua carreira. O arqueiro só foi buscar as bolas dentro das redes. Enquanto que, Romero virou herói. O argentino defendeu logo a primeiro tiro feito por Vlaar e a terceiro de Sneijder. Robben e Kuyt converteram, mas nada adiantou.

A classificação para a decisão saiu dos pés de Maxi Rodríguez, mas antes dele Messi, Garay e Agüero convertam suas cobranças e ajudaram o dia de independência da Argentina ficar completo.

FICHA TÉCNICA

HOLANDA 0 (2) x (4) 0 ARGENTINA

HOLANDA - Cillessen; Kuyt, Vlaar, De Vrij, Martins Indi (Janmaat) e Blind; De Jong (Clasie), Wijnaldum e Sneijder; Robben e Van Persie (Huntelaar). Técnico: Louis van Gaal.

ARGENTINA - Romero; Zabaleta, Demichelis, Garay e Rojo; Mascherano, Biglia e Enzo Pérez (Palacio); Lavezzi (Maxi Rodríguez), Messi e Higuaín (Agüero). Técnico: Alejandro Sabella.

CARTÕES AMARELOS - Martins Indi e Huntelaar (Holanda); Demichelis (Argentina).
ÁRBITRO - Cuneyt Cakir (Fifa/Turquia).
RENDA - Não disponível.
PÚBLICO - 63.267 pessoas.
LOCAL - Estádio Itaquerão, em São Paulo (SP).



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...