Holanda 2 x 1 México - Mais uma partida emocionante

Foto: Divulgação

30/06/2014

Os holandeses conquistaram a vitória no segundo tempo, depois dos 40 minutos finais. O México perdeu mas não decepcionou.

A vitória holandesa sob os mexicanos foi conquistada toda ela no segundo tempo, depois dos 40 minutos finais. Os gols de Sneijder e Huntelaar consagraram a Laranja. O placar final foi 2 x 1, porém o México de Giovani dos Santos jogou muito e mostrou bem o futebol da geração campeã olímpica, mas dá adeus à Copa do Mundo

O JOGO

O México foi para o campo com a tônica dos sul-americanos: eliminar os tradicionais europeus. E os mexicanos já foram para cima desde o início, com o melhor jogador do ataque, Peralta. O camisa 19 mostrou garra em roubadas de bola no campo ofensivo. Em uma jogada, Layún arrancou pela ponta esquerda, tentou o cruzamento e a bola passou pelo goleiro Cillessen. Giovani dos Santos se esticou, mas não conseguiu chegar à bola.

De Jong entrou como zagueiro, e logo no começo da partida alegou lesão. O técnico Van Gaal teve que mexer no time já no início. Com a troca por Indi, Blind passou para volante de contenção e Kuyt continuou como ala, mais aberto pelo lado esquerdo.

Os mexicanos continuaram em cima. Em boa triangulação com Giovani dos Santos, Herrera recebeu livre dentro da grande área, cortou o marcador e chutou. A bola saiu fraca, mas o chute passa muito perto da trave direita do gol holandês. Os ânimos foram crescendo. O México veio para o jogo com o mesmo 3-1-4-2, com os laterais mexicanos batendo com os laterais holandeses.

Foto: Divulgação

E só dava México! Em uma troca passes no campo de ataque, a bola foi rodando até achar o espaço. Salcido viu a brecha e chutou forte de muito longe. Cillessen é obrigado a espalmar para escanteio o chute distante. Sentindo a pressão, os holandeses resolveram segurar mais a bola, para esfriar os mexicanos.

Van Persie se movimentava bastante no ataque, mas nada podia fazer sem a bola no pé. O México ganhava todas as bolas no meio de campo, então o caminho era alçar as bolas lá na frente. Em um lançamento longo, a defesa mexicana não acompanhou e a bola chegou para Van Persie, mas o jogador perdeu o equilíbrio na hora do chute. Foi a melhor chance holandesa no primeiro tempo.

A partida era o encontro da melhor defesa (México) contra o melhor ataque (Holanda). Mas os companheiros de Robben pouco produziram e viram o equilíbrio mexicano, entre defesa e ataque, controlar a partida. Giovani dos Santos chamou a responsabilidade e passou a ser o jogador mais incisivo, com Peralta mais centralizado esperando a chance.

Foto: Divulgação

Em uma troca de passes da defesa, Rafa Márquez erra e a bola caiu nos pés de Van Persie. O atacante parte com velocidade e vê seu companheiro Robben em passagem pela esquerda. Em belo lançamento pelo chão, o artilheiro holandês recebeu a bola dentro da área, tentou o corte e foi derrubado. O defensor Moreno e o atacante Robben ficaram sentindo, mas o árbitro nada marcou. A Holanda reclamou muito de pênalti, mas o juiz só parou o jogo para atendimento. Quando a bola rolou, Proença acabou o primeiro tempo.

Na volta dos vestiários, Miguel Herrera teve que mexer no time. Moreno realmente sentiu no choque com Robben e teve que sair do jogo. Para o seu lugar na consistente defesa mexicana entrou Reyes. No primeiro tempo Ochoa não teve trabalho, não defendeu nenhuma bola.

E já no início da etapa complementar, o melhor jogador do primeiro tempo fez um belo gol. Giovani dos Santos dominou a bola no peito, fez a parede e protegeu a bola do Blind. O craque foi carregando a bola até o meio e bateu forte no canto esquerdo de Cillessen, da meia lua da grande área. Um belo gol, para coroar a atuação de Giovani dos Santos e de toda a equipe mexicana.

Foto: Divulgação

Com o gol, os holandeses – perdidos em campo – tiveram que partir para cima. O meio campo mexicano teve uma atuação elogiável. Salcido mais recuado segurava as subidas de Sneijder e dava mais liberdade para Herrera e Guardado. Van Gaal viu que seu time estava perdido em campo e resolveu mudar a formação. Tirou o lateral direito, Verghaegh, para entrada do atacante Depay. Com a mexida, Kuyt recuou um pouco e foi para o outro lado, na lateral direita.

Na primeira chance holandesa do segundo tempo, o cruzamento cobrado do lado direito passou por todo mundo na área, De Vrij se movimentou sozinho dentro da pequena área e tentou a finalização. Ochoa, que já se consagrou no jogo com o Brasil, defendeu uma bola praticamente impossível, com a cabeça. A jogada deu ânimo à Laranja, em uma arrancada de Robben, o jogador foi fechando para o meio, e tocou para Sneijder que bateu prensado. A bola trouxe perigo novamente.

Miguel Herrera resolveu dar mais consistência no meio campo, tirou o autor do gol, Giovani dos Santos, para entrada do meio campista Aquino, tentando ganhar mais ‘segunda bola’. Mas Robben estava jogando ao extremo. Depois de muito tentar, o camisa 11 fez um belo corte – para direita – em Rafa Márquez, e bateu forte pro gol. O melhor goleiro da Copa até o momento, defendeu.


Foto: Divulgação

A pressão holandesa deu certo. No finzinho do jogo, em bola cruzada na área por Robben, Huntelaar desviou para trás conscientemente e Sneijder bateu forte da entrada da área, sem chances para Ochoa. Um belo gol. E poucos minutos depois, Robben quis mostrar o porque a Holanda tem o melhor ataque da Copa. Em uma bela jogada individual na direita, o jogador recebeu um pisão dentro da área e o árbitro português marcou. Pênalti para a Holanda. Huntelaar cobrou com maestria e levou os holandeses a mais uma quartas de final.

Os jogadores mexicanos saíram do campo chorando, muito tristes. A vitória estava nas mãos, mas Robben desequilibrou a melhor defesa da Copa. O técnico mexicano viu seu time ser eliminado depois de tirar o camisa 10, Giovani dos Santos, para dar mais poder de marcação no meio.

CURIOSIDADE

O jogo teve parada técnica, aos 31’ do primeiro tempo e 32' do segundo, para os jogadores se reidratarem. A parada foi uma ordem judicial do Ministério Público do Trabalho, que poderia multar a FIFA caso não fosse realizada. A ordem é de que toda vez que a temperatura passar dos 32º, os jogadores devem se reidratar, e o árbitro português estava atento.

SNEIJDER

Sneijder se tornou, diante do México, em sua terceira Copa do Mundo, o holandês com mais jogos pela laranja em Mundiais. Com 15 partidas disputadas, Sneijder ultrapassou Krol, Jansen e Rep, vice-campeões mundiais em 74, com a melhor geração do futebol holandês.

PRÓXIMO JOGO

A Holanda joga no próximo sábado, às 17h, na Arena Fonte Nova, contra Costa Rica ou Grécia, pela Quartas de Final da Copa do Mundo.

FICHA TÉCNICA

HOLANDA 2 x 1 MÉXICO

HOLANDA: Cillessen; Verghaegh (Depay), Vlaar, De Vrij, Blind e Kuyt; Wijnaldum, De Jong (Indi) e Sneijder; Robben e Van Persie (Huntelaar). Técnico: Louis van Gaal

MÉXICO: Ochoa, Rodriguez, Márquez, Moreno (Reyes); Aguilar, Salcido, Herrera, Guardado e Layun; Giovani Dos Santos (Aquino) e Peralta (Chicharito). Técnico: Miguel Herrera

ÁRBITRO: Pedro PROENÇA (POR)
ASSISTENTES: Bertino MIRANDA (POR) e Jose TRIGO (POR)
GOLS: Giovani dos Santos (México); Sneijder e Huntelaar (Holanda)
CARTÕES AMARELOS: Aguilar, Márquez e Guardado.
CARTÕES VERMELHOS:
PÚBLICO: 58.817 torcedores.
RENDA: Não divulgado.
LOCAL: Castelão, Fortaleza (CE).



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...