Fortunati apresenta balanço da Copa do Mundo em Porto Alegre

Prefeito ressaltou anos de planejamento que possibilitaram realização do Mundial
Foto: Evandro Oliveira/PMPA

03/07/2014

Uma Copa padrão Porto Alegre. Essa foi a definição do prefeito José Fortunati para o sucesso da organização do megaevento na capital gaúcha, especialmente nos dias dos cinco jogos realizados na cidade. O balanço dos serviços oferecidos, atrações, eventos que integram a programação do Mundial, números de público e o impacto para Porto Alegre foram apresentados à imprensa na tarde desta quarta-feira, 2, na Pinacoteca do Paço Municipal. (fotos)

Fortunati destacou os anos de dedicação e planejamento que tornaram possível a realização de uma Copa do Mundo modelo para outras sedes. “Sempre acreditamos que tínhamos capacidade para realizar o Mundial aqui e desde muito cedo definimos que queríamos ser uma cidade-sede referência no que diz respeito à organização do evento, sendo a mais transparente e com ampla participação popular. Não tenho dúvidas que atingimos nosso objetivo. As pessoas perceberam que a Copa do Mundo não é simplesmente um evento futebolístico entre quatro linhas. Mas um megaevento que está projetando Porto Alegre para o mundo, gerando emprego e renda, trazendo turistas, fazendo com que haja uma grande festa popular que deixa muitos legados”, afirmou o prefeito.

Atrações e turismo – A cidade, que até agora recebeu mais de 150 mil turistas estrangeiros, segundo os dados dos consulados, teve visitantes de 74 países atendidos nos Centros de Informação Turística (CITs) no período da Copa (até 30 de junho). Fortunati ressaltou que além do espaço na imprensa internacional, esses turistas também irão divulgar a capital gaúcha pelo mundo. E lembrou que o Caminho do Gol, uma iniciativa porto-alegrense, conseguiu reunir cerca de 215 mil torcedores no percurso de 3,5 quilômetros do Mercado Público até o estádio Beira-Rio. A ideia chamou a atenção da Fifa que enviou uma equipe para registrar a experiência.

A Fan Fest Porto Alegre já atraiu mais de 320 mil torcedores. O Acampamento Farroupilha Extraordinário, outros 100 mil. Ao todo, mais de 300 atrações artístico-culturais puderam ser conferidas nos eventos da Copa do Mundo em Porto Alegre. E ainda não terminou. “Essas experiências estão mostrando que as pessoas querem atrações ao ar livre, querem participar dos eventos da cidade. E mais ainda, mostraram que temos capacidade para atrair visitantes e que estamos preparados para acolhê-los até quando o público supera o previsto. Quando percebemos que teríamos uma “invasão” de hermanos para o jogo da Argentina, providenciamos uma Fan Fest paralela, com telão para que, aqueles que não pudessem entrar na oficial acompanhassem a partida. Disponibilizamos área extra para acampamento. Demos um exemplo de acolhimento!”, disse o prefeito.

Legados – Entre os legados da Copa do Mundo estão as 14 grandes obras de mobilidade que saíram do papel graças à oportunidade proporcionada pelo evento. Quatro empreendimentos já mudaram as condições do trânsito em duas importantes áreas da cidade onde o tráfego é intenso, e agora garantem melhor qualidade de vida a motoristas e usuários do transporte público. No entorno do Beira-Rio, a construção do viaduto da avenida Pinheiro Borda, a duplicação da Edvaldo Pereira Paiva, a implantação do corredor de ônibus da avenida Padre Cacique, com a qualificação da via e as obras das ruas A, B e C. No centro da cidade, o viaduto da Júlio de Castilhos, que interliga as avenidas Júlio de Castilhos e Castelo Branco, escoando um grande fluxo de veículos do Centro Histórico em direção à saída da cidade. Outras 10 grandes obras estão sendo executadas graças ao crédito especial disponibilizado exclusivamente para cidades-sede. Porto Alegre captou R$ 888 milhões em recursos financiados pelo governo federal, com juros mais baixos e prazos estendidos.

Na área da saúde, a nova emergência do Hospital de Pronto Socorro (HPS), entregue em agosto de 2013, qualifica o atendimento na instituição que é referência em atendimento no sul do país. O Hospital Restinga e Extremo-Sul, em funcionamento desde o último dia 30, é resultado de parceria entre os governos federal, estadual e municipal com o Grupo Hospitalar Moinhos de Vento. 

Além dessas obras, a revitalização de áreas públicas, a criação de uma linha de ônibus seletiva que faz o percurso Aeroporto-Hotéis, um novo ônibus da Linha Turismo, o aplicativo oficial da cidade POA App, os novos pontos de Wi-Fi ao longo do Caminho do Gol e a capacitação de 9,5 mil profissionais são outros legados.

Padrão Porto Alegre – O envolvimento e a dedicação das equipes da Prefeitura de Porto Alegre na organização de uma ampla rede de atendimento para acolher os visitantes e garantir que a cidade não teria transtornos durante a realização da Copa do Mundo é considerada por Fortunati um dos grandes trunfos. O prefeito lembrou, ainda, que o governo municipal trabalhou de forma integrada com os governos estadual e federal, Orçamento Participativo, órgãos de controle, Comitê Organizador Local e a sociedade civil. “Não tem uma área na qual não tenhamos nos preparado: segurança, mobilidade, assistência social, saúde, limpeza urbana, serviços consulares, enfim, atuamos em todas as frentes necessárias para o sucesso desse megaevento. E mais, os porto-alegrenses entenderam a importância da Copa e os benefícios que poderia nos trazer e se envolveram, cada um do seu jeito, nesse desafio. Mostramos que aqui nós temos um Padrão Porto Alegre de organização e hospitalidade, que como muito bem diz o nosso slogan, envolve “todos os povos, todas as cores” na construção de uma cidade cada vez melhor”, concluiu Fortunati.

Baixe o balanço completo clicando em balancocopa2014.pdf.





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...