Alemanha 1 x 0 Argentina - Campeão no Brasil? Nunca serão, jamais serão!

Foto: Divulgação

13/07/2014

Enquanto Lionel Messi passou em branco, Götze marcou o gol do título alemão

Por Kim Belluco
    
Rio de Janeiro, RJ, 13 (AFI) " Mil gols, mil gols, mil gols, mil gols, mil gols, só Pelé, só Pelé, Maradona "cheirador". Foi esse o coro que fechou a Copa das Copas no Brasil. A Seleção Brasileira não estava na final, mas os torcedores anfitriões abraçaram a Alemanha e comemoraram, e muito, o gol marcado na prorrogação por Götze. A seleção alemã, uma das mais "abrasileiradas" é tetracampeã Mundial e "pintaram" o Cristo Redentor com as suas cores. Título conquistado após bater nossa maior rival, a Argentina, pelo placar de 1 a 0 , no Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro.

A Alemanha não fez uma final extraordinária, porém, conseguiu anular Messi e se consagrar tetracampeão Mundial na prorrogação. Durante toda a Copa, os alemães provaram que poderiam ficar com a taça. Logo na estreia, golearam Portugal, de Cristiano Ronaldo, mas sofreram para empatar com Gana e vencer EUA, Argélia e França. Contra o Brasil, surpreenderam e jogaram o fino da bola, coroado com a goleada por 7 a 1. Neste domingo, viram os argentinos melhores em vários momentos, mas tiveram frieza para conquistar a vitória no segundo tempo da prorrogação.

O gol de Götze acabou com uma espera da Alemanha de 24 anos sem levantar a taça mais cobiçada do Mundo. Para conquistar o tetracampeonato, a seleção alemã passou por uma reestruturação, que se iniciou desde a perda da Euro de 2000. Começaram a tratar a base com mais carinho, apostaram em suas revelações e tiveram resultado. Demorou, mas com o título, acabou valendo a pena. Os alemães venceram os Mundiais de 1954, 1974, 1990 e agora, 2014.

Por sua vez, apesar do vice-campeonato, a Argentina fez uma grande Copa do Mundo. Os argentinos invadiram o Brasil, fizeram muita festa, provocaram os anfitriões, mas acabaram derrotados no final. Na primeira fase, os hermanos venceram Bósnia, Nigéria e Irã. Em seguida, passaram por Suíça, Bélgica e Holanda, nos pênaltis. Mesmo cheia de craques, como Di Maria, Messi, Agüero e muito outros, o sonho do tri, ficou para 2018 na Rússia. Para 2014, tiveram o seu próprio Maracanazo.

QUE FINAL!
Senhores e senhoras. Meninos e meninas. Abrem-se as cortinas. Começa a decisão da Copa das Copas no Brasil entre Alemanha e Argentina. O dia era de festa no templo do futebol, o Estádio do Maracanã. Os hermanos invadiram o Rio de Janeiro e provocações, principalmente com o hit “Brasil, decime que se siente”, não faltaram. Os alemães, embalados com a goleada sobre a Seleção Brasileira, estavam motivados e contavam com o apoio dos anfitriões para ficar com o título.

Antes da bola rolar, uma má notícia para a Alemanha. Khedira sentiu uma lesão e acabou sendo substituído de última hora por Kramer, considerado uma das maiores promessas dos europeus. Pelo lado da Argentina, o desfalque é o craque Di Maria. O jogador não esta totalmente recuperado de dores musculares e acabou ficando como opção no banco de reservas.

Craque da Argentina, Messi para no goleiro Nauer - Foto: Rodrigo Villalba

O primeiro tempo foi digno de uma final de Copa do Mundo. Muita movimentação por ambas as partes, jogadas ríspidas, gol anulado e bola na trave. Quem tem problema de coração deve ter sofrido com esses 45 minutos iniciais, que teve um leve domínio da Argentina. Os hermanos surpreenderam e chegaram a estar, em vários momentos, jogando melhor do que a Alemanha.

Apesar do bom jogo, as chances de emoções aconteceram apenas após os 15 primeiros minutos. Ambas as equipes aproveitaram o início da decisão para se estudarem. A Alemanha tinha mais posse de bola, mas a Argentina chegava com mais perigo. Em um desses lances, Toni Kroos deu um “presente” para Higuaín. Livre de marcação, o atacante do Napoli mandou para a linha de fundo.

Logo depois, aos 29 minutos, o argentino não desperdiçou, mas o árbitro marcou impedimento do jogador. Após cruzamento de Lavezzi, Higuaín chutou para abrir o marcador, porém, nada valeu, e no fim, a comemoração foi dos alemães, que ainda estão no páreo.

Nos minutos finais, “choveu” chances para ambos os lados. Müller fez boa jogada pela esquerda e tocou para Schürrle. O atacante do Chelsea chutou ,mas parou em Romero. Em seguida, Messi respondeu. O craque invadiu a área e chutou mascado. A bola enganou Neuer, porém, Boateng chegou para afastar o perigo.

Antes do apito final, quem levou um susto foi a Alemanha. Aos 46 minutos, Kroos bateu escanteio, Höwedes chegou de surpresa e mandou, com força, de cabeça. Romero só torceu e a bola parou no travessão. Levantando a torcida brasileira no Maracanã e fazendo com que o coração fosse até aboca dos argentinos.

FICOU TRAVADO!

Defesas de ambas as equipes estiveram impecáveis na segunda etapa - Foto: Rodrigo Villalba

Diferente da primeira etapa, o segundo tempo foi mais estudado. A preocupação era não sofrer gols, já que ambas as defesas estavam impecáveis. Criticado antes do início da Copa, o setor defensivo dos hermanos esteve muito acima da média e mostrou isso novamente contra Klose, Müller, Ozil e companhia limitada. A Alemanha também esteve bem postada e não deu muitos espaços para Messi, principal arma da seleção argentina.

O craque teve a chance de abrir o placar aos 29 minutos, quando fez boa jogada pelo meio e arriscou o chute, mas acabou mandando para fora. A Alemanha respondeu com Kroos. O meia recebeu de Lahm, mas acabou sendo travado na hora de finalizar, desperdiçando grande oportunidade de colocar a mão na taça.

O tempo normal acabou sem gols e a grande final terá mais 30 minutos de muitas emoções. É a chance dos torcedores de aproveitarem um pouco mais da Copa das Copas. A etapa complementar foi muito estudada e o resultado não poderia ser outro do que um 0 a 0.

A TAÇA É SUA, ALEMANHA!
No primeiro tempo da prorrogação, o jogo voltou a ficar movimentado. Logo no minuto inicial, Götze lançou para Schürrle. O atacante chutou, mas Romero defendeu. Em seguida, foi a vez da Argentina chegar com perigo. Palacio teve a melhor chance da partida de colocar à Argentina na frente. O jogador aproveitou o cruzamento de Rojo, dominou, e tentou mandar por cobertura do goleiro Nauer. A bola caprichosamente foi para fora.

O castigo veio na segunda etapa. Em uma das únicas chances de gol da Alemanha na prorrogação, Götze, que saiu do banco de reservas fez o gol do título. Aos sete minutos, o meia recebeu de Schürrle, dominou, e mandou no fundo das redes, para alegria de milhares de brasileiros e alemães e para tristezas de todos os argentinos. O hit "Brasil, decime que se siente' chegou ao fim.

FICHA TÉCNICA

ALEMANHA 1 x 0 ARGENTINA

ALEMANHA - Neuer; Lahm, Hummels, Boateng e Höwedes; Kramer (Schürrle), Schweinsteiger, Kroos e Özil (Mertesacker); Müller e Klose (Götze). Técnico: Joachim Löw.

ARGENTINA - Romero; Zabaleta, Demichelis, Garay e Rojo; Mascherano, Biglia, Pérez (Gago) e Messi; Lavezzi (Agüero) e Higuaín (Palacio). Técnico: Alejandro Sabella.

GOL - Götze, aos 7 minutos do segundo tempo da prorrogação.
CARTÕES AMARELOS - Schweinsteiger e Höwedes (Alemanha); Mascherano e Agüero (Argentina).
ÁRBITRO - Nicola Rizzoli (Fifa/Itália).
RENDA - Não disponível.
PÚBLICO - 74.738 presentes.
LOCAL - Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ).



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...