Ídolo local, Zico é lembrado na chegada da taça da Copa ao Japão

Taça é recebida ainda no aeroporto (Foto: Divulgação)

13/04/2014

Responsável por popularização do futebol no país, Galinho é citado como um exemplo da boa relação dos japoneses com o Brasil, especialmente no esporte

Falar de futebol japonês e não lembrar de Arthur Antunes Coimbra, o Zico, é praticamente impossível. Na chegada da taça da Copa do Mundo a Tóquio, nesta quinta-feira, o nome do ex-jogador e maior ídolo da história do Flamengo foi prontamente lembrado pelo embaixador brasileiro André Corrêa do Lago como um dos maiores responsáveis pela evolução e disseminação do esporte no país nas décadas de 1990 e 2000.

- O Brasil é o país do futebol, e estamos realmente animados por sediar a Copa do Mundo. A nossa relação com o Japão é sensacional, com milhares de japoneses vivendo lá e outros milhares de brasileiros vivendo aqui. Zico fez esse país gostar mais do esporte e inspirou outros jogadores a atuarem aqui. É um grande momento para nos aproximarmos ainda mais - disse o diplomata. 

Após jogar praticamente durante toda a carreira no Flamengo, com uma passagem pela Udinese entre 1983 e 1985, o Galinho de Quintino foi um dos pivôs da transformação do futebol japonês de amador para profissional. Ele atuou no Kashima Antlers de 1991 a 1994, e hoje tem um "santuário" em sua homenagem no estádio do clube - antes chamado de Sumitomo Metals. 

Além do embaixador brasileiro, recepcionaram a taça da Copa o embaixador da Fifa e campeão do mundo pela França em 1998, Christian Karembeu, dois gerentes da patrocinadora - Brad Ross e Tim Brett - o presidente de honra da JFA (Associação Japonesa de Futebol), Junji Ogura, e o ex-jogador Masashi Nakayama. A exibição ocorreu ainda na pista de pousos e decolagens do aeroporto de Haneda. 

Karembeu entrega réplica da taça ao primeiro-ministro japonês (Foto: Divulgação)

Ao fim do evento inicial, o troféu partiu para a casa do primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe. Em uma cerimônia restrita, compartilhada apenas por convidados, o político recebeu das mãos de Karembeu uma réplica da taça, feita pela Fifa e normalmente entregue a chefes de Estado ou representantes de federações de futebol. 

- Desde 1998 até os dias de hoje, o Japão mantém uma seleção forte, e esteve em todas as Copas do Mundo de lá para cá. O país sediou o torneio em 2002 junto da Coreia e vem crescendo. Torcemos para que continue assim - disse o ex-jogador francês.

A expectativa para a permanência da taça da Copa no Japão é grande. Além da capital, o objeto ainda visitará a região de Tohoku, que foi devastada por um tsunami em março de 2011. Após um terremoto de alta magnitude, uma onda gigante varreu a costa nordeste do país, matando até 15 mil pessoas. Partidas de futebol com ídolos do futebol japonês serão disputadas no simbólico local. 

A estreia do Japão na Copa do Mundo de 2014 está marcada para o dia 14 de junho. Na Arena Pernambuco, no Recife, os asiáticos encaram a Costa do Marfim. No dia 19, viajam à Arena das Dunas, no Rio Grande do Norte, para enfrentar a Grécia, e fecham a participação na primeira fase diante da Colômbia, no dia 24, na Arena Pantanal, em Cuiabá. 

Taça foi levada à casa do primeiro-ministro (Foto: Divulgação)



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...