Embaixadores da Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014


22/04/2014

O legado da Copa do Mundo da FIFA é constantemente associado a obras, cifras, números, relatórios técnicos e análises de especialistas em economia e desenvolvimento social. A esses avanços, soma-se ainda tudo aquilo que este torneio irá proporcionar e que não se pode medir ou tocar. Na construção do chamado legado intangível, os embaixadores exercem papel fundamental.

Cinco vezes campeão da Copa do Mundo da FIFA, o Brasil pode se orgulhar de ser a pátria de diversos ícones do futebol mundial. Até 2014, seis deles – representantes dos títulos de 1958, 1962, 1970, 1994 e 2002, além de Marta, cinco vezes escolhida melhor jogadora do mundo pela FIFA – terão o papel de convocar brasileiros e estrangeiros a celebrarem, no “País do Futebol”, a Copa das Confederações e a Copa do Mundo da FIFA.

De Zagallo a Ronaldo, os embaixadores inspiraram uns aos outros dentro de campo. Agora, fora das quatro linhas, os representantes da Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014 têm a missão de promover o evento e convidar a todos a participarem da maior competição de futebol do planeta, uma grande festa que volta ao Brasil após 64 anos.

O objetivo final é que a Copa do Mundo da FIFA alimente o sonho de milhares de crianças e jovens, incentivando-os a praticar o esporte, usando-o como ferramenta de desenvolvimento, sempre seguindo as regras do fair play. Além disso, o sucesso do torneio deverá fazer surgir em milhões de brasileiros, independentemente da idade, o orgulho de fazer belos gols também na organização de grandes eventos.

Conheça abaixo, a  biografia dos embaixadores:

Mario Jorge Lobo ZAGALLO

Foto: Divulgação / Fifa

Alagoano de Maceió, Mario Jorge Lobo Zagallo foi o primeiro homem a conquistar a Copa do Mundo da FIFA como jogador e treinador, feito repetido pelo alemão Franz Beckenbauer duas décadas depois.

Zagallo era o ponta-esquerda titular da Seleção Brasileira que ganhou as Copas do Mundo da FIFA Suécia 1958 e Chile 1962. Chegou ao cargo de treinador da Seleção pela primeira vez em 1967, dois anos após ter encerrado a carreira de jogador. Na Copa do Mundo da FIFA México 1970, levou o Brasil à conquista do tricampeonato mundial.

Ele também esteve à frente da equipe em outras duas Copas do Mundo da FIFA, terminando em quarto lugar na Alemanha 1974 e como vice-campeão na França 1998. Em 1994, foi coordenador técnico de Carlos Alberto Parreira na Seleção campeã da Copa do Mundo da FIFA. Novamente como treinador do Brasil, venceu a Copa das Confederações da FIFA 1997.

Zagallo começou a jogar futebol no América-RJ. Aos 19 anos, transferiu-se para o Flamengo, onde conquistou o tricampeonato carioca em 1953, 1954 e 1955. Após a Copa do Mundo da FIFA Suécia 1958, seguiu para o Botafogo, onde atuou até o fim da carreira. Pelo clube carioca, ele venceu dois Campeonatos Cariocas (1961 e 1962) e dois Torneios Rio-São Paulo (1962 e 1964). 

AMARILDO Tavares da Silva

Foto: Divulgação / Fifa

Natural de Campos (RJ), Amarildo Tavares da Silveira estreou numa Copa do Mundo da FIFA com a dura missão de substituir o lesionado Pelé, no Chile 1962. No entanto, ele não sentiu a pressão: em seu primeiro jogo, marcou logo os dois gols da vitória brasileira sobre a Espanha, que garantiu a vaga nas quartas de final.

Na final contra a Tchecoslováquia, Amarildo fez o gol de empate no primeiro tempo e criou a jogada do segundo gol brasileiro, marcado por Zito. O Brasil venceu por 3 a 1 e conquistou o bicampeonato da Copa do Mundo da FIFA. Amarildo deixou o Chile como o “Possesso”, apelido criado pelo escritor Nelson Rodrigues por causa do estilo aguerrido do atacante.

Amarildo iniciou a carreira no Goytacaz-RJ, teve breve passagem pelo Flamengo e depois seguiu para o Botafogo, onde foi bicampeão carioca (1961 e 1962) e venceu um Torneio Rio-São Paulo (1962). Transferiu-se para o futebol italiano em 1963 vestindo as camisas de Milan, Fiorentina e Roma. Conquistou um Campeonato Italiano (1969, pela Fiorentina) e uma Copa da Itália (1967, pelo Milan).

Após nove temporadas na Itália, Amarildo regressou ao Brasil e fez parte do elenco do Vasco campeão brasileiro de 1974 antes de encerrar a carreira.

CARLOS ALBERTO TORRES

Foto: Divulgação / Fifa

O carioca Carlos Alberto Torres será para sempre lembrado por sua imagem beijando e erguendo a Taça Jules Rimet como capitão da Seleção Brasileira campeã da Copa do Mundo da FIFA México 1970.

Lateral-direito da equipe, ele foi o autor do último gol brasileiro na vitória de 4 a 1 sobre a Itália na decisão do Mundial no Estádio Azteca. A jogada em que a bola passa de pé em pé por quase todos os brasileiros antes do chute de Carlos Alberto tornou-se uma das mais famosas da história das Copas do Mundo da FIFA.

No Brasil, Carlos Alberto passou por Fluminense, Santos, Botafogo e Flamengo. Ele conquistou dois Campeonatos Brasileiros (1965 e 1968) e cinco Campeonatos Paulistas (1965, 1967, 1968, 1969 e 1973) pelo Santos, além de três Campeonatos Cariocas pelo Fluminense (1964, 1975 e 1976).

Carlos Alberto Torres encerrou a carreira no futebol dos Estados Unidos, onde venceu três campeonatos nacionais pelo New York Cosmos.

José Roberto Gama de Oliveira (BEBETO)

Foto: Divulgação / Fifa

Nascido em Salvador, capital baiana, José Roberto Gama de Oliveira é mundialmente conhecido como Bebeto e se tornou um dos principais nomes da Seleção Brasileira que conquistou a Copa do Mundo da FIFA Estados Unidos 1994.

Autor de três gols na campanha em que o Brasil venceu a Copa do Mundo da FIFA pela primeira vez após 24 anos, Bebeto disputou também as Copas do Mundo da FIFA Itália 1990 e França 1998, em que foi vice-campeão. Pela Seleção Brasileira, venceu ainda a Copa das Confederações da FIFA 1997.

Pela Seleção olímpica, Bebeto conquistou a medalha de prata nos Jogos de Seul 1988 e a medalha de bronze nos Jogos de Atlanta 1996.

No futebol brasileiro, conquistou títulos com as camisas de Flamengo, Vasco, Botafogo e Vitória-BA. Na Europa, destacou-se pelo Deportivo La Coruña, da Espanha, onde foi campeão da Copa do Rei em 1995.

RONALDO Luís Nazário de Lima

Foto: Divulgação / Fifa

Com apenas 17 anos, Ronaldo Luís Nazário de Lima foi reserva da Seleção Brasileira campeã da Copa do Mundo da FIFA Estados Unidos 1994. No entanto, assim que entrou em campo pela primeira vez ele escreveu uma rica história de gols, torando-se o maior artilheiro das Copas do Mundo da FIFA, com 15 tentos em 19 jogos.

Após longo período recuperando-se de problemas no joelho, Ronaldo deu um exemplo de superação na Copa do Mundo da FIFA Japão/Coreia do Sul 2002. Ele foi o artilheiro do torneio com oito gols, dois deles na final contra a Alemanha que garantiu o pentacampeonato mundial ao Brasil.

Ronaldo foi eleito três vezes o jogador do ano pela FIFA, em 1996, 1997 e 2002. Ele disputou ainda as Copas do Mundo da FIFA França 1998, em que foi vice-campeão, e Alemanha 2006. Pela Seleção Brasileira, também venceu a Copa das Confederações da FIFA 1997.

Passou a maior parte da carreira no futebol europeu, após trocar o Cruzeiro pelo PSV Eindhoven, em 1994. Conquistou títulos por Barcelona, Internazionale de Milão e Real Madrid. Voltou ao Brasil em 2009 para atuar pelo Corinthians, com o qual foi campeão paulista e da Copa do Brasil em 2009.

MARTA Vieira da Silva

Foto: Divulgação / Fifa

Alagoana de Dois Riachos, Marta Vieira da Silva foi eleita Jogadora do Ano da FIFA durante cinco anos seguidos, entre 2006 e 2010, a primeira delas quando tinha apenas 20 anos. Em 2007, ela levou o Brasil pela primeira vez à final da Copa do Mundo Feminina da FIFA. No mesmo torneio, recebeu a Chuteira de Ouro e a Bola de Ouro, como artilheira e craque do Mundial da China.

Marta saiu do Brasil aos 18 anos para atuar no Umea, da Suécia. Em sua primeira temporada, conquistou o título da Liga dos Campeões da Europa. Pelo clube sueco também venceu quatro campeonatos nacionais.

Em 2009, seguiu para os Estados Unidos, onde passou três temporadas e foi campeã duas vezes. Também atuou pelo Santos, vencendo a Copa do Brasil e a Copa Libertadores em 2009. Retornou à Suécia em 2012 e foi novamente campeã nacional.

Com a Seleção Brasileira, Marta conquistou duas medalhas de prata nos Jogos Olímpicos de Atenas 2004 e Pequim 2008.

Fonte: FIFA


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...