ELIMINATÓRIAS: Equador vence a Venezuela em casa e se mantém no G4

Bolanos marcou o segundo e deu assistência para o primeiro gol equatoriano 
da noite (Foto: Juan Cevallos/ AFP)

15/11/2016 

O Equador segue com a consistente campanha pelas Eliminatórias para Copa do Mundo de 2018. Pela 12ª rodada da competição qualificatória, a equipe de Gustavo Quinteros recebeu a Venezuela e contou com gols de Arturo Mina, Bolanos e Valencia, todos no segundo tempo, para garantir a vitória por 3 a 0.

Com o resultado, os equatorianos chegaram a 20 pontos e se mantiveram na zona de classificação direta para o Mundial. Já os Venezuelanos, além da derrota, foram empurrados para a lanterna, por conta da vitória da Bolívia, também nesta terça.

O destaque do confronto desta noite, realizado no estádio Olímpico Atahualpa, ficou por conta de Miller Bolanos. Ao lado de Valencia, o atacante do Grêmio foi decisivo e anotou um gol, além de ceder uma assistência.

Pela próxima rodada, os equatorianos visitam o Paraguai, no dia 23 de março de 2017. No mesmo dia, a Venezuela recebe o Peru.

O jogo – Embora as equipes tivessem apresentado grandes dificuldades na criação, durante os minutos iniciais, foi o Equador que passou a dominar as ações do jogo. Sempre buscando ocupar os lados do campo, principalmente com Énner Valencia, os donos da casa tinham mais posse bola, chegavam próximo à área venezuelana, mas apresentavam dificuldades no último passe e nas poucas chances de finalização.

Meio a lançamentos e cruzamentos despretensiosos, os equatorianos emendaram duas boas chances com Ibarra, aos 20, e Caicedo, aos 22 minutos. Em lances muito parecidos, os jogadores receberam dentro da área, mas chutaram para fora, muito próximos de acertarem a meta.

Apesar do volume de jogo e das boas chegadas ao ataque, o Equador só foi dar trabalho a Hernández aos 42 minutos. Ibarra foi à linha de fundo e apenas rolou para Paredes, que chegou batendo e parou nas mãos do goleiro.

Com os jogadores de volta após o intervalo, o Equador mostrou que corrigiu os pequenos erros apresentados na primeira etapa e conseguiu fazer o que faltava: transformar o volume de jogo em grandes chances.

Sem dar chances para a Venezuela ir atrás de alguma coisa, os mandantes já obrigaram Hernández a fazer grande defesa, antes do primeiro minuto, e conseguiram abrir o placar, aos 5. Em um cruzamento que finalmente deu certo, vindo dos pés do gremista Miller Bolanos, Arturo Mina subiu mais que todo mundo e testou para as redes.

A equipe comandada por Gustavo Quinteros deu sequência ao primeiro tento, seguiu superior, chegou próximo de ampliar a vantagem, com Caicedo mandando para fora em três oportunidades claras, aos sete, aos 11 e aos 22 minutos, mas acabou perdendo a intensidade e ficou mais distante de marcar o segundo gol.

Os venezuelanos, por sua vez, seguiam sem preocupar o gol de Dreer e mantiveram os sérios problemas de criatividade, apenas chegando em ligações diretas, sem sucesso.

Apoiado pela torcida, sem sofrer na defesa, e mantendo a posse de bola, o Equador conseguiu, enfim, aumentar a contagem. Aos 37 minutos, Bolanos coroou a boa atuação na noite, após receber cruzamento de Valencia e apenas empurrar a bola para as redes.

O segundo gol voltou a aumentar a intensidade da seleção equatoriana no confronto e o terceiro tento não demorou para sair. Aos 40 minutos, em um contra-ataque mortal, Valencia recebeu de Ibarra e colocou a bola no ângulo para dar números finais à partida. 3 a 0 no estádio Olímpico Atahualpa, em Quito.

FICHA TÉCNICA

EQUADOR 3 X 0 VENEZUELA

Local: Estádio Olímpico Atahualpa, em Quito (Equador)
Data: 15 de novembro de 2016, terça-feira
Horário: 19h(de Brasília)
Árbitro: Roberto Tobar (Chile)
Assistentes: Carlos Astroza (Chile) e José Retamal (Chile)

Cartões amarelos; Arturo Mina (EQU); Viscarrondo e Cariaco Gonzalez (VEN)

Gols:
EQUADOR: Arturo Mina, aos cinco, Miller Bolanos, aos 37, e Enner Valencia, aos 40 minutos do segundo tempo

EQUADOR: Esteban Dreer, Juan Carlos Paredes, Arturo Mina, Luis Caicedo e Walter Ayoví; Alex Ibarra, Christian Noboa, Énner Valencia e Orejuela; Mille Bolaños e Felipe Caicedo (Marcos Caicedo)
Técnico: Gustavo Quinteros



VENEZUELA: Daniel Hernández, Alexander González, Oswaldo Vizcarrondo, Mikel Villanueva e Quijada; Renzo Zambrano, Tomás Rincón, Jacobo Kouffati (Cariaco Gonzalez) e John Murillo (Sotello); Penarada (Christian Santos) e Josef Martínez
Técnico: Rafael Dudamel




Cursos Online na área de Ciências Humanas e Sociais

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...