Tocha Olímpica Passa Pelas Ruínas Dos Sete Povos Das Missões

O índio guarani Ancieto Gonçalves conduziu a tocha e foi recebido nas Ruínas 
de São Miguel Arcanjo com apresentações típicas da cultura missioneira 
(Foto: Agência Preview)

04/07/2016

A Tocha Olímpica percorreu, nesta segunda-feira (4), um caminho importante na história do Rio Grande do Sul. Passou pelas Ruínas dos Sete Povos das Missões, representadas no trajeto pelos municípios de São Miguel das Missões e Santo Ângelo. Depois, seguiu para Ijuí e Cruz Alta. Foram ao todo 550 quilômetros rodados e 52 condutores neste segundo dia de passagem pelo Rio Grande do Sul. Em torno de 40 mil pessoas acompanharam o roteiro nos quatro municípios.

Em São Miguel, a tocha foi carregada por dois condutores, um deles o índio guarani Ancieto Gonçalves, que foi recebido nas Ruínas de São Miguel Arcanjo com apresentações típicas da cultura missioneira. Em Santo Ângelo, a chama foi levada por 22 pessoas, em uma celebração também alusiva aos Sete Povos das Missões. Três alunos da rede estadual de ensino do município foram os primeiros a conduzir a Tocha Olímpica: Adriana Dutra, Thayse Oliveira (ambas da Escola Presidente Vargas) e Pedro Henrique de Oliveira (do Colégio Tiradentes).

Homenagem a etnias

Em Ijuí, a passagem da chama homenageou as diversas etnias que compõem a região, com apresentações de danças e trajes típicos. Leonhard Bravo Seyboth, aluno do Colégio Tiradentes, participou do acendimento. O primeiro condutor da tocha no município foi Roque Corrente, atleta paralímpico.

No final da tarde, em Cruz Alta, 16 pessoas carregaram a Tocha Olímpica, que foi acesa pelo estudante Nicolás Gabriel Fontoura, da Escola Gabriel Álvaro de Miranda. O momento marcante ocorreu em frente ao Museu Erico Verissimo, com homenagens ao escritor. O caminho da tocha se encerrou no Santuário Nossa Senhora de Fátima.

Nesta terça-feira (5), quando faltarão 30 dias para o início das Olimpíadas no Rio de Janeiro, a tocha segue para Encantado, Lajeado, Santa Cruz do Sul e Santa Maria. Ao todo, serão 400 quilômetros percorridos e mais de 100 condutores.

O caminho olímpico no Rio Grande do Sul somará 2,5 mil quilômetros de passagem da tocha por terra, ar e água, em um roteiro que começou no domingo (3) por Erechim e Passo Fundo.

A Tocha Olímpica passará ainda por São Sepé, Caçapava do Sul, Canguçu, Rio Grande, Pelotas, São Lourenço do Sul, Camaquã, Guaíba, Porto Alegre, Canoas, Esteio, Novo Hamburgo, Gramado, Canela, Nova Petrópolis, Caxias do Sul, Bento Gonçalves e Torres. Depois, retornará por Santa Catarina a caminho do Rio de Janeiro quando, em 5 de agosto, acenderá a Pira Olímpica no Maracanã.

Fonte: Jornal O Sul

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...