Maior ídolo do país, Shevchenko é o novo técnico da Ucrânia

Shevchenko fez história com a camisa do Milan no início 
dos anos 2000 (Foto: Divulgação)
17/07/2016

Tendo participado da Eurocopa como membro da comissão técnica da Ucrânia, o maior astro do futebol do país, Andriy Shevchenko será o novo treinador da seleção. Com um contrato de dois anos, o ex-atacante foi confirmado na manhã desta sexta-feira. Na competição continental, a seleção da Ucrânia decepcionou. Comandados por Mykhaylo Fomenko, os ucranianos saíram da França sem um ponto sequer após derrotas para Alemanha, Irlanda do Norte e Polônia.

Para sua equipe, Shevchenko irá contar com Mauro Tassoti e Andrea Maldera, velhos conhecidos dos tempos em que jogou no Milan, da Itália, e Raul Riancho, experiente auxiliar de Sergei Rebrov no Dynamo de Kiev – maior equipe do país. No comando da Ucrânia, Shev precisará se superar para levar seu país pela segunda vez para uma Copa do Mundo (a primeira, em 2006, tinha Shevchenko liderando a equipe em campo).

Pelo Grupo I, os ucranianos terão pela frente a favorita Croácia e a Islândia, surpresa da Eurocopa, além de Turquia e Finlândia. Ídolo do Milan e do Dínamo de Kiev, Shevchenko tem 111 jogos e 48 gols pela seleção. Com o atacante na equipe, a Ucrânia chegou às quartas de final na Copa de 2006, quando perderam para a campeã Itália por 3 a 0, ficando com a oitava colocação.

Jogando pelo Dínamo, Shevchenko conquistou cinco títulos do Campeonato Ucraniano e quatro Copas da Ucrânia. No Milan, em seu auge, conquistou a Liga dos Campeões em 2002/03 e um Campeonato Italiano. Em 2004, o jogador recebeu a Bola de Ouro da revista France Football, sendo considerado o melhor jogador do mundo na temporada.

Técnico da Bélgica é demitido; República Tcheca anuncia novo comandante

Além do comando ucraniano, mais uma seleção europeia trocará de técnico. Após mais uma fraca campanha, desta vez na Eurocopa, quando foram eliminados pelo País de Gales nas quartas de final, Marc Wilmots foi demitido do cargo de treinador da Bélgica. “As metas estabelecidas para a Eurocopa não foram alcançadas”, justificou a Federação Belga.

No comando da “melhor geração belga” desde 2012, Wilmots também caiu nas quartas de final da Copa de 2014. Seu contrato iria terminar apenas no próximo mundial da Rússia, em 2018. “Temos de agradecer por tudo que ele fez nesses quatro anos. Com ele como técnico, a Bélgica foi da 54ª posição para o topo do ranking da Fifa”, declarou a entidade em comunicado oficial. Ainda sem ter anunciado um substituto, a Federação declarou que a seleção precisa de um novo impulso.

“Temos a vontade de dar um novo salto de qualidade à nossa seleção. Este grupo pode conseguir resultados melhores em grandes torneios”, afirmou o presidente François De Keesmaecker. Quem já tem um novo técnico é a República Tcheca. Após a saída de Pavel Vrba, a federação local anunciou Karel Jarolim, do Mlada Boleslav, como novo comandante. O contrato é válido por dois anos, e tem em vista a busca por uma vaga para a Copa de 2018, na Rússia.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...