Emoção marca passagem da Tocha Olímpica por Esteio

Fotos: SMCS

08/07/2016

Para Abilio Mendes Mobus, 36 anos, e Mauro Jorge Pinheiro da Silva, 42, o dia 8 de julho de 2016 jamais será esquecido. Para ambos, a noite foi longa, cheia de expectativas. Mal conseguiram dormir, ansiosos com o momento que viveriam ao amanhecer desta iluminada sexta-feira em Esteio. Abilio e Mauro, assim como outras cinco pessoas que moram ou trabalham na cidade, tiveram uma honra que poucas pessoas em todo mundo têm: carregar a Chama Olímpica. O Fogo que representa os Jogos Rio 2016 chegou em frente à Prefeitura, vindo de Canoas, e foi levado até a Casa de Cultura Lufredina Araújo Gaya, onde uma grande festa foi organizada para marcar o dia histórico para o Município.
O dia começou cedo para os condutores. Junto com os Alexandre John, Pietra Francyne Rocha Marques, Alander Brandão, Alexia Mendon e Giovani Della Valentina, receberam os uniformes para serem usados no revezamento e as últimas orientações para a condução da Chama na Casa de Cultura. Depois, foram no ônibus do Comitê Organizador até a frente da Prefeitura, onde centenas de pessoas esperavam pelo início do Revezamento. “Quando vi aquela multidão lá, o coração disparou e eu entendi que teria, mesmo, o privilégio de carregar a Tocha”, lembrou Abilio no final do evento.

A primeira Tocha foi entregue, acesa, para as estudantes Luana Carolina, Brenda Duarte e Ana Clara Oliveira, alunas da Escola Estadual Augusto Meyer que venceram um concurso de redação sobre o espírito do Revezamento. As três protagonizaram, junto com Pietra, o primeiro “Beijo”, momento em que a Chama é passada de uma Tocha para a outra. Pietra, que se destacou no Judô em oficinas do programa Mais Educação, de Esteio, iniciou a corrida pela Rua Eng. Hener de Souza Nunes. Em frente à Livraria Esteio, já na Avenida Presidente Vargas, ela passou a Chama para Abilio, que carregou o Fogo até a frente da Loja Paludo. Lá, esperava pelo Símbolo Olímpico, a integrante da Cooperativa de Trabalho dos Recicladores de Esteio (Cootre) Alexia. Última a ser confirmada pelo Comitê do Revezamento, ela representou a entidade na qual trabalha e também uma minoria ainda pouco convidada a participar de eventos assim no país. Transexual, ela mesma quase não acreditou quando foi convidada para o Revezamento. “Foi bom poder representar o universo LGBT neste evento”, disse a cooperada.

Alexia correu os cerca de 200 metros e passou a Chama para Mauro, em frente à Rua Coberta. “Nunca disputei uma Olimpíadas, mas acredito que a sensação deve ser semelhante a de quem sobe no pódio”, comentou, emocionado, Mauro, que foi indicado pelos Correios, onde atua como atendente comercial na agência da Rua Fernando Ferrari. Esboçando um sorriso, Mauro disse que foi tranquilo o percurso. “Queria que fosse bem maior”, afirmou no final.

Em frente ao Bradesco, já na Rua dos Ferroviários, a Chama passou para Alander, indicado pela empresa Komeco. Em frente ao Restaurante da Rosa, foi a vez de Alexandre John, do Grupo Gerdau, conduzir a Tocha.

O último “Beijo” foi em frente a Pizzaria Prátika, onde esperava para iniciar a sua participação o preparador físico e empresário Giovani Della Valentina, morador de Esteio que representou o Brasil no Remo nos Jogos Olímpicos de Atlanta, em 1996. Coube ao ex-atleta subir ao palco montado em frente à Casa de Cultura e entregar a última Tocha do Revezamento a uma das mais carismáticas e queridas personalidades de Esteio, a irmã Ana Garaffa, marcando o encerramento do Revezamento em Esteio.

Em uma rápida solenidade oficial, o prefeito Gilmar Rinaldi destacou a integração de Esteio nos Jogos Rio 2016. “Quero aproveitar para cumprimentar todos educadores, todos aqueles envolvidos na educação, na cultura, no esporte, e que a chama da Tocha Olímpica ilumine nossas mentes, nossos corações, para que os governantes continuem investindo em educação, esporte e cultura, destacou o chefe do Executivo de Esteio.

Depois da cerimônia, a festa recomeçou em frente à Casa de Cultura com uma série de apresentações especiais. A Chama Olímpica se despediu de Esteio, partindo para Novo Hamburgo. De lá, seguirá seu caminho pelo Brasil até chegar ao Rio de Janeiro, no dia 5 de agosto, para o início dos Jogos Olímpicos.

Multidão entusiasmada

Não foram só os condutores que chegaram cedo para prestigiar a passagem da Tocha em Esteio. De frente à Prefeitura até a Casa de Cultura, milhares de pessoas aguardavam pelo Revezamento. A dona de casa Renata Menezes de Paula, 33 anos, saiu do Bairro Novo Esteio às 7h. Junto com cerca de 90 alunos do Centro Municipal de Educação Básica Luíza Fraga, onde o filho estuda, e professores, ela foi até a esquina da Rua Coberta aguardar a passagem da Chama. Vestida de prenda, ajudava a segurar os Anéis Olímpicos nas cinco cores, feitos com bambolês. “É um momento especial pra cidade e é bom participar”, comentou.

Quem também levou estudantes para prestigiar o evento foi a professora da Escola Estadual Caetano Gonçalves da Silva Daniele Leal, 35 anos. “Hoje está acontecendo um evento histórico para Esteio. Achei que tudo foi muito bem organizado”, comentou a educadora, que acompanhou cerca de 30 alunos para a celebração.

A professora de Educação Física Taciane Ruas Bento também aguardava ansiosa a espera do Beijo da Tocha com seus alunos da escolinha de Badminton do Ginásio Municipal Edgar Piccioni, na Vila Olímpica. “Por ser na cidade onde a gente trabalha e por agregar vários esportes, é um evento único”, destacou.

Já o casal Susan Jardim e Júlio Jardim não precisou nem sair de casa para acompanhar a passagem da Tocha. Moradores da Rua dos Ferroviários, eles assistiram a tudo de frente de casa. “Muito legal. É emocionante poder participar de evento assim, e é bom pra cidade também, porque dá muita visibilidade”, afirmou Susan. “É legal para as crianças participarem, pois é oferecendo esporte e educação a elas que vamos conseguir deixar o mundo melhor”, disse Susan, opinião que foi acompanhada pelo marido.

Festas em vários pontos

A concentração começou por volta das 6h45min em frente ao Paço Municipal. Cavalarianos, dançarinas, integrantes do Grupo de Desbravadores da Escola Adventista, atletas da Associação de Corredores de Rua de Esteio (Acores), grupo de idosos e , claro, o público recepcionaram a Chama Olímpica que chegou de Canoas no comboio do Comitê Organizador. Antes, a Banda da Brigada Militar e o grupo de dança da Diretoria de Esportes, com As Sacerdotisas, fizeram apresentações em frente à Prefeitura.

No mesmo horário, próximo a cada um dos locais onde ocorreriam os “Beijos”, diversas mostras e apresentações entretinham o público e mostravam a riqueza das atividades esportivas e culturais realizadas em Esteio. Em frente ao Banrisul, era a fanfarra da Escola Adventista; próximo ao Banco do Brasil, espaço para os alunos de Badmington da Diretoria de Esporte; na Rua Coberta,

atletas a banda do Programa Integrado de Inclusão Social (PIIS) e do Programa Mais Educação; na esquina da Presidente Vargas com a Rua dos Ferroviários, jogadores do Pampas Rugby, convidados pela Diretoria de Esporte, demostravam jogadas do esporte; na Ferroviários, os consulados do Internacional e do Grêmio de Esteio inflamavam a torcida, agitando ainda mais a galera para receber a Tocha Olímpica.

O ponto alto das comemorações foi em frente à Casa de Cultura. Antes da chegada da Tocha, apresentações da Banda Marcial do CMEB Luíza Fraga, do Grupo de Capoeira Camboatá e dos mascotes da Secretaria Municipal de Meio Ambiente Reciclator e Seletícia.

Depois que a Chama foi embora, palco aberto para mais apresentações: Banda Marcial do Luíza Fraga, Grupo de Percussão do CMEB Vila Olímpica, Banda Karmel, esquete teatral e coral do Colégio Adventista, e grupos de danças da Diretoria de Esportes, dos CMEBs Edwiges Fogaça e Eva Karnal, da Diretoria de Esporte, Atitude em Movimento e Ciganas da Alma.

A festa terminou com uma certeza: o povo de Esteio fez bonito na passagem da Tocha Olímpica pelo Rio Grande do Sul.

Um evento mundial

O roteiro do Revezamento da Tocha começou na Grécia, berço dos Jogos Olímpicos, em 21 de abril, quando ela foi acessa. O Fogo chegou ao Brasil em 3 de maio, e iniciou, a partir de Brasília, o trajeto por 329 cidades do país. No Rio Grande do Sul, a Tocha chegou no dia 3 de julho, pelo Norte do Estado. Erechim será o primeiro município gaúcho a participar do revezamento. De Esteio, a Tocha vai para Novo Hamburgo . No sábado (9), o símbolo deixa o Estado, por Torres, e entra em Santa Catarina. Ao todo, serão 20 mil quilômetros percorridos (além das 10 mil milhas aéreas) e mais de 12 mil condutores. O maior símbolo dos Jogos chegará ao Rio no dia 5 de agosto, para a abertura das Olimpíadas.

O Revezamento tem sua origem entre os gregos, que mandavam mensageiros pelas cidades-Estado anunciando um período de trégua para possibilitar a viagem de atletas e público até as competições Olímpicas. Daí o simbolismo de paz e integração dos povos levado pela tocha.

Mais informações podem ser acompanhadas no site http://www.rio2016.com/revezamento-da-tocha/

Condutores

Pietra Francyne Rocha Marques – Judoca – Programa Mais Educação de Esteio

Em 2009, Pietra Marques, hoje com 18 anos, iniciou as aulas de judô no Centro Municipal de Ensino Básico (CMEB) Maria Lygia, oferecidas pelo Programa Mais Educação, que atende cerca de 2 mil alunos da Rede Municipal no contra-turno escolar com oficinas educativas, esportivas, artísticas e culturais. Em 2011, ela trouxe o primeiro ouro para projeto ao disputar o Campeonato Estadual de Judô em Bento Gonçalves. Desde a conquista da esteiense, o Município tem, pelo menos, um campeão gaúcho no esporte todo ano.

“Mãe, a Dilma me conhece.” Esta foi a primeira reação da estudante esteiense ao ouvir seu nome no programa “Café com a Presidente”, em 2012, como um exemplo de sucesso do programa. O amor pelo judô é tanto que, mesmo após deixar a escola, Pietra continuou treinando. O empenho fez com que ela fosse convidada a dar aulas, indicada pelo antigo professor. Hoje, ela passa o conhecimento adquirido no Mais Educação para mais de 120 alunos dos CMEBs Maria Lygia e Alberto Pasqualini, além do Centro de Formação Teresa Verzeri. “É uma alegria ver eles evoluindo, pensando em seguir carreira e até em dar aula, futuramente”, comenta Pietra.

Abílio Mendes Mobus – Educador Social – Programa Integrado de Inclusão Social (PIIS)

Quanto tinha 17 anos, Abilio Mendes começou a praticar Boxe por hobby. Cinco anos depois, o esporte virou paixão e motivo de sonhos. Foi quando fez um curso e passou a ensinar as técnicas dos cruzados, jabs, ganchos e esquivas para a gurizada. Em 2010, o professor entrou para o Programa Social de Inclusão Social, o PIIS, promovido pela Prefeitura de Esteio. Em pouco tempo, as oficinas do esporte, até mesmo criticadas e taxadas como algo que incentivaria a violência em comunidades com vulnerabilidade social, deram resultados e trouxeram orgulho a cidade. Hoje, são cerca de 100 alunos em diferentes núcleos.

Graças à dedicação de Abilio, o que antes era “apenas” um trabalho social para tirar guris – e gurias – das ruas virou possibilidade de carreira para muitos jovens. Pouco a pouco, os guris – e gurias – foram sendo levados para disputar competições, para pegar experiência e servir como incentivo. Hoje, em campeonatos locais, já são 78 medalhas de ouro e outras 39 de prata. Nos últimos dois anos, os atletas já exibiram, orgulhosos, nove cinturões de campeonatos gaúchos. As conquistas não param aí. As mais recentes foram uma medalha de ouro e uma de bronze no Campeonato Nacional pela categoria juvenil, realizado em Aracaju, em novembro, com dois boxeadores conquistando direito a receber a Bolsa Atleta do Governo Federal.

Abilio tem muitos planos. O educador social diz que entre as metas estão incluídas a troca de materiais do ringue que foi montado no Ginásio Sílvio Batista para treinos e competições e a inclusão de, pelo menos, mais 10 alunos em competições. Além disto, o professor não abre mão da essência do projeto, que é manter afastado guris e gurias das ruas e da violência que elas geram, pois, como ele mesmo diz, “quem luta não briga”. Além do PIIS, Abilio se dedica à Federação de Pugilismo do Rio Grande do Sul, entidade da qual é vice-presidente. Em 2013, ele foi o técnico da Seleção Gaúcha de Boxe.

Alexia Mendon – Cooperativa de Trabalho dos Recicladores de Esteio (Cootre)

De origem humilde e uma história marcada pela superação de obstáculos, Alexia é uma transsexual que descobriu na Cootre uma oportunidade de emancipação financeira. Seu trabalho diário pelas ruas da cidade, coletando recicláveis, rende cerca de R$ 1,4 mil mensalmente. Mais do que isso, encontrou o respeito à sua identidade de gênero e um segundo lar. “Passo mais tempo lá do que em casa”, afirma, referindo-se com carinho aos amigos da Cooperativa.

Mauro Jorge Pinheiro da Silva – Correios

Empregado dos Correios há 15 anos, Mauro se destaca no desempenho qualificado de suas atividades, sempre procurando atingir as metas. Amazonense, há duas décadas mora em Canoas. Há três anos, trabalha na agência da Rua Fernando Ferrari, como atendente comercial, sempre atento as metas estabelecidas pela empresa. Quando foi informado pela chefia que seria um dos condutores da Tocha, há cerca de um mês, quase não acreditou. Ficou acompanhando os e-mails, até receber a confirmação do Comitê Organizador. “Só aí acreditei. Esses 30 dias de espera parece que foram 60, de tanta ansiedade”, comentou.

Alander Brandão – Komeco

Engenheiro mecatrônico indicado pela Komeco, há mais de 15 anos se dedica a projetos de energias renováveis. Já atuou frente a importantes associações do setor e tem orgulho do que faz porque acredita estar contribuindo com o incentivo à economia de energia. Alander acredita que o aquecimento solar trará uma grande contribuição para a melhora da matriz energética do Brasil.

Alexandre John – Grupo Gerdau

A “bike” faz parte da vida de Alexander desde pequeno. Mas, com o passar do tempo, a rotina o afastou dos pedais. Virou sedentário e isso afetou a saúde física e psicológica. Foi quando um grupo de colegas o convidou a pedalar aos finais de semana. Foi como reencontrar uma antiga paixão. Depois da primeira vez, nunca mais parou de pedalar por todo o Vale dos Sinos, conhecendo lugares espetaculares. Hoje, se tornou um hábito saudável, o que mudou completamente o seu modo de vida.

Giovani Della Valentina - Preparador físico, empresário e ex-atleta

A história do esteiense Giovani Della Valentina no Remo começa como a de tantas crianças e adolescentes ao redor do mundo ao buscar um esporte: lazer, diversão e manter o condicionamento físico. Aos 11 anos, ele se encantou ao ver o trabalho dos remadores em uma raia da Capital Gaúcha. O deslizar suave da canoa no Rio Guaíba chamou a atenção e Giovani decidiu tentar. Nunca mais parou. E nunca mais abandonou a atividade física.

Dentro da canoa, o esteiense viajou pelo mundo em competições, nos 12 anos que integrou a Seleção Brasileira. Foi três vezes campeão sul-americano, subiu duas vezes no lugar mais alto do pódio em campeonatos nacionais e conquistou o bronze na Copa do Mundo de Remo, realizada em Princeton, nos Estados Unidos, primeira vez que o Brasil ganhou medalha nesta competição.

Embora tenha voltado pra Esteio sem nenhum metal na mala, um dos momentos de maior emoção de Giovani foi nas Olimpíadas de Atlanta, em 1996, também em solo americano. Junto aos seus seus companheiros André Costa, Oswaldo Kuster Neto e Alexander Altair Soares, o esteiense representou as cores do Brasil na modalidade Skiff Quádruplo.

Vinte anos depois de Atlanta e três décadas após o primeiro contato com as canoas, o esteiense continua participando de competições na categoria Sênior, ao mesmo tempo que atua como preparador físico em academias.









Texto: Djalma Corrêa Pacheco

Fotos: Adriano Rosa da Rocha, André Cardoso, Djalma Corrêa Pacheco, Eduardo Baratto Leonardi, Gabriel Palma, Jean Peixoto, Matheus Alves, Pedro de Brito, Tamires Ferreira e Thierre Cósta


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...