Contagem regressiva para o Mundial na Rússia

12/10/2015

Três das 12 arenas estão prontas, e das outras, apenas uma está atrasada



Enquanto seleções do mundo todo disputam as 31 vagas da Copa do Mundo’2018, a anfitriã Rússia acelera a preparação para sediar pela primeira vez o Mundial. A pouco menos de 1 mil dias para a 21ª edição da competição, que será de 8 de junho a 8 de julho, três dos nove estádios projetados especialmente para o torneio já estão prontos: o Olímpico, de Sochi, que recebeu a abertura dos Jogos Olímpicos de Inverno’2014; a Kazan Arena, inaugurada em maio do ano passado, e o moderno Spartak Stadium, aberto três meses depois.

A Copa será disputada em 11 cidades-sede, todas do lado Oeste do país. As 12 arenas estão concentradas em cinco regiões: Central (Moscou), Norte (São Petersburgo e Kaliningrado), Volga (Kazan, Níjni Novgorod, Samara, Volgogrado, Saransk), Sul (Sochi, Rostov do Don) e Urais (Ecaterimburgo). A capital terá duas: o Luzhniki, com capacidade para quase 80 mil pessoas; e o Spartak Stadium, novo palco dos jogos do Spartak Moscou, com 42 mil lugares.

Segundo o Comitê Organizador da Copa, as obras estão dentro do cronograma. De acordo com a imprensa russa, a única preocupação sobre o andamento da reforma é a do Kaliningrad Stadium, em Kaliningrado. “A construção começou muito mais tarde que o planejado. Mas, caso ele não esteja pronto a tempo, a cidade pode ser trocada facilmente”, afirmou ao Estado de Minas, por e-mail, o jornalista especializado e escritor Igor Rabiner, que cobriu os últimos cinco Mundiais pelo jornal Sport Express, o mais vendido do país. “Krasnodar, no Sudeste da Rússia, surpreendentemente não foi incluída na lista inicial. É a única cidade, além de Moscou, que teve dois times na Liga dos Campeões, mas foi prejudicada pela escolha de Sochi, que fica na mesma região, e a decisão era não colocar duas cidades da mesma região. Algumas pessoas consideram a escolha injusta”, explica Igor.

Nos próximos meses, o Krasnodar vai inaugurar um estádio moderno para 40 mil pessoas, o que aumentaria ainda mais a pressão sobre Kaliningrado, que no início do ano teve sua capacidade prevista reduzida de 45 mil para 35 mil lugares. O governo russo também reduziu para 35 mil o total de lugares da futura arena de Ecaterimburgo.

SUSTO

Antigo Central Lenin Stadium – que recebeu a abertura dos Jogos Olímpicos de Moscou’1980 e principal palco dos jogos da Seleção da antiga União Soviética –, o Luzhniki Stadium está sendo projetado para 81 mil pessoas e será palco da abertura e final do Mundial. Na segunda-feira, a organização levou um susto, quando uma nuvem de fumaça preta originada na obra cobriu parte do local.

Segundo uma agência de notícias russa, o incêndio começou quando faíscas provenientes da construção caíram em restos de material de alvenaria utilizados na obra, que logo pegaram fogo. O ministro dos Esportes, Vitaly Mutko, um dos responsáveis na supervisão da remodelação, disse que a construção não foi abalada.

Três perguntas para Igor Rabiner, jornalista e escritor russo, presente nas últimas cinco Copas do Mundo

Foi aventada a possibilidade de mudanças na sede das Copas’2018 e 2022 por causa das denúncias de corrupção na Fifa. Há algum tipo de preocupação?

O Comitê Organizador da Rússia sabe que não deveria se preocupar. Há um espaço de tempo muito curto até a Copa para se fazer qualquer alteração importante. Além disso, não há provas reais de qualquer tipo de corrupção do lado russo.

O governo russo gastou bilhões de dólares em eventos esportivos nos últimos anos. A população apoia esses gastos?

A Rússia moderna é um país onde a população é bastante passiva em defesa dos seus direitos, muito diferente do que ocorreu no Brasil, especialmente na Copa das Confederações e do Mundo. O Estado na Rússia decide tudo e eu não vejo qualquer possibilidade de mudança (de postura da população) até 2018. Além do mais, à medida que o evento se aproxima, vários problemas imaginados parecem não ser tão graves. Nos Jogos de Inverno Sochi’2014, um monte de gente previa um desastre total, mas no fim foi um grande sucesso.

Você veio ao Brasil em 2014. Viu exemplos a serem seguidos pelos russos?

É um longo tópico de discussão, mas numa coisa a Rússia será melhor: o transporte público interurbano. O Brasil não tem estrada de ferro e todo o movimento era feito de avião e carro. Aqui, durante os jogos, o transporte de trem entre cidades será gratuito para quem tem ingresso. As viagens podem durar muito, pelo tamanho do país, mas certamente teremos mais opções do que havia no Brasil.

OS PALCOS DA COPA

NOVOS

Olympic Stadium
(pronto)
Cidade: Sochi
Equipe: –
Capacidade: 47, 6 mil

Kazan Arena
(pronto)
Cidade: Kazan
Equipe: Rubin Kazan
Capacidade: 45,105 mil

Spartak Stadium
Cidade: Moscou
Equipe: Spartak
Capacidade: 44,929 mil

Zenit Arena
Cidade: São Petersburgo
Equipe: Zenit
Capacidade: 66.881 mil

Kaliningrad Stadium
Cidade: Kaliningrado
Equipe: Baltika (Segunda Divisão)
Capacidade: 35 mil

Samara Stadium
Cidade: Samara
Equipe: –
Capacidade: 44.918 mil

Mordovia Arena
Cidade: Saransk
Equipe: Krylia Sovetov
Capacidade: 45 mil

Rostov Arena
Cidade: Rostov do Don
Equipe: Mordovia Saransk
Capacidade: 43, 7 mil

Nizhny Novgorod Stadium
Cidade: Nizhny Novgorod
Equipe: Volga
Capacidade: 44,9 mil

REFORMADOS

Luzhniki Stadium
Cidade: Moscou
Equipe: Torpedo
Capacidade: 81 mil

Central Stadium
Cidade: Ecaterimburgo
Equipe: Ural Oblast
Capacidade: 35 mil

RECONSTRUÍDO

Volgograd Arena
Cidade: Voldogrado
Equipe: Rotor Volgograd (Segunda Divisão)
Capacidade: 45.015 mil



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...