Brasil 0 x 1 Colômbia - O encanto acabou...E agora?

18/06/2015

O Brasil deu mais uma prova que é um time de um jogador só. Com Neymar bem marcado e pouco inspirado, os comandados de Dunga jogaram mal, não produziram nada e foram derrotados pela Colômbia, por 1 a 0, no Estádio Monumental, em Santiago, na noite desta quarta-feira, pela segunda rodada do Grupo C da Copa América. Murillo anotou o único gol da partida.

De quebra, Dunga encerrou uma série de 11 vitórias seguidas. Com a atuação fraca e de muitos erros, o Brasil embolou de vez a classificação da chave. Colômbia, Brasil e Venezuela dividem a ponta com três pontos. Nesta quinta-feira, porém, os venezuelanos podem disparar na liderança caso derrotem o Peru no jogo que vai fechar a segunda rodada.

A Colômbia voltou a vencer o Brasil depois de 24 anos. A última vitória havia sido na Copa América de 1991, justamente, no Chile. Para piorar, Dunga perdeu Neymar para os dois próximos jogos da seleção - caso o Brasil avance às quartas de final. O atacante, que já havia levado o segundo cartão amarelo durante a partida, foi expulso após o apito final por se envolver em confusão com jogadores da Colômbia.

Assim, ele está fora da partida contra a Venezuela, que encerra a participação do Brasil no Grupo C, domingo, novamente no Estádio Monumental, do Colo-Colo. E também não poderá entrar em campo no primeiro duelo do mata-mata, se o Brasil buscar a classificação.

Neymar teve atuação abaixo da média nesta quarta, assim como a seleção, o que reforça a tese da dependência excessiva do time em relação ao jogador do Barcelona. Philippe Coutinho só entrou no segundo tempo e não conseguiu se tornar alternativa no setor ofensivo brasileiro.

A primeira derrota brasileira no ano acaba com uma série de 11 triunfos seguidos. Uma nova vitória nesta quarta deixaria Dunga igualado no recorde de Aymoré Moreyra, que obteve 12 seguidas em 1961. O Brasil não perdia uma partida desde o revés para a Holanda, na disputa pelo terceiro lugar na Copa do Mundo

Um dos representantes desta geração do Brasil, Zito foi homenageado nesta quarta pelas contribuições ao futebol brasileiro. O bicampeão mundial faleceu no domingo. Um minuto de silêncio antes da partida e tarjas pretas nas mangas dos jogadores da seleção lembraram o ex-atleta do Santos.



O JOGO 

A falta de intensidade da seleção nos amistosos voltou a se repetir no início da partida contra os colombianos. A defesa seguia insegura, apesar da troca de David Luiz por Thiago Silva, o meio-campo era pouco combativo e o ataque só abandonava a inoperância quando Neymar chamava a responsabilidade.

Tanto que o Brasil só conseguiu finalizar duas vezes nos primeiros 20 minutos de jogo. E, nos dois lances, os protagonistas foram os laterais Filipe Luís e Daniel Alves. Alvo da defesa colombiana, Neymar enfrentava até quatro marcadores ao mesmo tempo nas situações mais promissoras.

Sólida na defesa, a Colômbia não demorou a conquistar o meio-campo. Depois de duas chegadas perigosas no ataque, os colombianos também dominavam a defesa brasileira a partir dos 30 minutos. Aos 35, a zaga do Brasil bateu cabeça dentro da área, após levantamento na área, e a bola sobrou para Murillo, que finalizou rasteiro e abriu o placar. Era o que faltava para inflar a confiança dos colombianos, que partiram para a pressão.



Duas chances se seguiram no ataque, uma delas com Falcao Garcia, que mandou por cima do travessão, aos 39 minutos. Cometendo erros na saída de bola e sem domínio no meio-campo, o Brasil corria riscos diante da volúpia colombiana, empurrada pela torcida, que já ensaiava gritos de "olé". No lance mais bonito da etapa, James Rodríguez cruzou para Téo Gutiérrez, que deu passe de letra para Cuadrado, que finalizou com perigo.

A situação ficou ainda mais difícil quando Neymar desperdiçou a melhor chance do Brasil, aos 44. Em rápido contra-ataque, Daniel Alves disparou pela direita e cruzou na área. O atacante escorou de cabeça, mas parou em grande defesa de Ospina. No rebote, Neymar acabou acertando a mão na bola, de forma involuntária. O árbitro, contudo, advertiu o brasileiro com cartão amarelo. Como estava pendurado, o atacante virou baixa para o próximo jogo.

Preocupado com a falta de criação da seleção, Dunga trocou Fred por Philippe Coutinho no segundo tempo. Além do meia do Liverpool, o time ganhou em atenção e criou a primeira boa oportunidade da etapa aos 2 minutos. Neymar avançou pela direita, quase sem marcação, entrou na área, mas pegou mal e chutou sem perigo.

Mas continuava a levar sustos na defesa. Aos 5, Cuadrado fez bela jogada pela direita e encheu o pé de fora da área. Mandou rente à trave. Jefferson só observou.



Depois de a Colômbia perder grande chance, o Brasil desperdiçou sua melhor oportunidade na partida. Aos 12, Elias abafou saída de bola do goleiro Ospina e o rebote sobrou para Neymar, que acionou Firmino. Cara a cara com o gol sem goleiro, ele mandou por cima do travessão.
Dunga, então, lançou mão de Douglas Costa, no lugar de Willian, e Diego Tardelli, na vaga de Elias. A formação se tornou mais ofensiva, mas não resultou em lances mais perigos para o Brasil. Erros bobos de passe e nas finalizações acabaram com as chances de reação da equipe de Dunga.

A Colômbia se defendeu com solidez nos minutos finais, sem se abalar com as investidas brasileiras, e comemorou o triunfo, que teve sabor de vingança em resposta à dura eliminação nas quartas de final da Copa do Mundo do ano passado.


FICHA TÉCNICA
BRASIL 0 x 1 COLÔMBIA

Data: 17/06/2015
Horário: 21h00
Local: Estádio Monumental - Santiago (Chile) 
Árbitro: Enrique Osses-CHI
Assistentes: Carlos Astroza-CHI e Sergio Román-CHI

Cartões Amarelos
Brasil: Fernandinho, Neymar, Roberto Firmino
Colômbia: Téo Gutiérrez

Cartões Vermelhos
Brasil: Neymar
Colômbia: Bacca

Gols
Colômbia: Murillo 35' 1T


Brasil

Jefferson;
Daniel Alves, Thiago Silva, Miranda e Felipe Luís; 
Fernandinho, Elias (Diego Tardelli), Fred (Phillipe Coutinho) e Willian (Douglas Costa); 
Roberto Firmino e Neymar
Técnico: Dunga.







Colômbia

Ospina;
Zúñiga, Zapata, Murillo e Armero; 
Valencia (Mejía), Sánchez, Cuadrado e James Rodríguez; 
Téo Gutiérrez (Bacca) e Falcoa Garcia (Ibarbo)
Técnico: José Pekerman.







Fonte: Futebol Interior

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...