Brasil bate Chile em amistoso com cara de jogo oficial e segue invicto com Dunga

Ao lado dos companheiros, Firmino comemora o gol da vitória do Brasil sobre o Chile
AP Photo/Kirsty Wigglesworth

30/03/2015

Em partida pegada e cheia de faltas, Firmino marcou o gol da vitória; seleção brasileira segue sem perder na nova 'Era Dunga'

O Brasil pós-eliminação na Copa de 2014 segue sem saber o que é perder. Na manhã deste domingo (horário de Brasília), a seleção brasileira, comandada por Dunga, venceu o amistoso contra o Chile no Emirates Stadium, em Londres, por 1 a 0, e manteve a invencibilidade do treinador em sua segunda passagem como técnico. São oito vitórias em oito jogos para o capitão do tetracampeonato mundial.

O amistoso sul-americano não teve a mesma emoção das oitavas de final da Copa do Mundo, quando o Brasil eliminou o Chile nos pênaltis, mas foi igualmente disputado. Foram 47 faltas, a maioria (32) no lado brasileiro, e sete cartões amarelos distribuídos pelo árbitro Martin Atkinson.

Como foi o jogo

Apesar do caráter amistoso da partida, Brasil e Chile não aliviaram. Com a marcação no campo de ataque chegadas mais fortes, principalmente em Neymar, que levou um pisão de Gary Medel aos 22 minutos, as duas equipes criaram pouco no primeiro tempo.

O meio de campo congestionado fez com que as duas seleções procurassem mais as laterais, e foi de um cruzamento de Marcelo da esquerda que o Brasil teve a oportunidade mais clara de gol, mas Douglas Costa pegou mal na bola e desperdiçou.

Para os goleiros Jefferson e Claudio Bravo, o primeiro tempo foi de trabalho, mas não fazendo defesas. Com os marcadores adiantados, as defesas se viram obrigadas a recuar a bola seguidas vezes, e em um destes recuos, na fogueira, o brasileiro deu um bonito corte no atacante chileno antes de sair jogando.

Neymar sofre pisão de Medel no 1° tempo
Getty Images/Paul Gilham

Caçado no primeiro tempo, Neymar sofreu cinco faltas, mas acabou advertido pelo árbitro com um cartão amarelo aos 45 minutos após cometer uma sequência de faltas leves nos chilenos.

Números da partida: 

No segundo tempo, o Chile voltou dos vestiários mais acordado e levou perigo ao gol de Jefferson, mas sem conseguir abrir o placar em Londres.

Do outro lado, o Brasil arriscava lançamentos em profundidade de seu campo de defesa, sem sucesso, e viu Dunga realizar a primeira mudança aos 15 minutos da etapa final. Saíram Souza, Luiz Adriano, Douglas Costa e Phillipe Coutinho; entraram Robinho, Elias, Firmino e William.

Logo após as substituições, o Chile voltou a assustar. Sánchez recebeu lançamento, Miranda conseguiu desarmá-lo, mas após bobeada do zagueiro brasileiro, o chileno tomou a bola de volta e seguia para a área até ser derrubado. Na cobrança da falta, o próprio Sánchez bateu e mandou para fora.

A resposta definitiva brasileira veio apenas aos 28 minutos. Após um grande passe de Danilo, Firmino dominou, tirou do goleiro e tocou para o gol vazio, inaugurando o marcador no Emirates Stadium. O gol deu uma tranquilidade para a seleção brasileira, que passou a tocar mais a bola e cometer menos faltas.

O Chile mexeu, fez três mudanças e ficou perto de deixar tudo igual com uma bela cobrança de falta de Matías Fernández no canto direito de Jefferson, mas o goleiro do Botafogo espalmou para fora. Esta foi a 15ª vitória do Brasil sobre o Chile em 23 amistosos.

Pela Copa América, a seleção brasileira estreia no dia 14 de junho, diante do Peru, pelo Grupo C, enquanto o Chile, que atua em casa, recebem o Equador no dia 11, em partida válida pelo Grupo A.

Ficha técnica: Brasil 1 x 0 Chile

Local: Emirates Stadim (Londres)
Dia: 29 de março de 2015, domingo
Horário: 11h (horário de Brasília)
Árbitro: Martin Atkinson (ING)
Assistentes: Gary Beswick (ING) e John Brooks (ING)
Cartões amarelos: Thiago Silva, Neymar, Miranda, Elias e Fernandinho (Brasil); Albornoz e Mark González (Chile)
Gol: Roberto Firmino, aos 27 minutos do segundo tempo

Brasil: Jefferson; Danilo, Thiago Silva, Miranda e Marcelo (Filipe Luís); Fernandinho, Souza (Elias), Douglas Costa (Willian) e Philippe Coutinho (Robinho); Neymar e Luiz Adriano (Roberto Firmino)
Técnico: Dunga

Chile: Bravo; Isla, Albornoz e Jara; Medel, Aránguiz, Vidal (Vargas), Millar (Fernández) e Mena (Mark González); Hernández e Alexis Sánchez
Técnico: Jorge Sampaoli

Fonte: IG Esporte


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...