Campanha da ONU Brasil nas redes sociais incentiva carnaval com respeito aos direitos das mulheres

15/02/2015

Campanha das Nações Unidas, com apoio institucional das Secretarias de Políticas para as Mulheres da Presidência da República (SPM-PR) e do Município do Rio de Janeiro (SPM-Rio), traça rota da paquera sem abordagens agressivas.


Acompanhe a postagem de peças para as redes sociais no facebook.com/onumulheresbrasil e compartilhe os conteúdos com a hastag #naopercaorespeito 

Fluxograma traça a rota da paquera Arte: Propeg

“Você não é site de busca, mas tem tudo o que eu procuro”. Esta é uma das cantadas do fluxograma da paquera que pode levar ao caminho da aprovação ou da reprovação feminina à abordagem masculina no carnaval. A rota pode terminar com o amor de carnaval ou com o “bloco que segue”, limite final para aqueles que não tiveram sucesso na paquera.  

Seguindo o clima divertido da maior festa popular do Brasil, a campanha “Neste carnaval, perca a vergonha, mas não perca o respeito” reforça que a alegria tem de prevalecer em todos os dias e noites da folia para mulheres e homens. Sob a liderança da ONU Mulheres, é assinada pelas seguintes agências das Nações Unidas:  PNUD (Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento), Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura), ACNUR (Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados), UNAIDS (Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS) e OPAS/OMS (Organização Pan-americana de Saúde e Organização Mundial de Saúde). Conta ainda com o apoio institucional das Secretarias de Políticas para as Mulheres da Presidência da República (SPM-PR) e do Município do Rio de Janeiro (SPM-Rio).  

“Como festa de rua, o carnaval é o momento em que as pessoas se relacionam e se permitem a viver com intensidade. Esse clima precisa ser mantido para mulheres e homens. Por isso, a campanha entra no clima da diversão e propõe práticas que respeitem os limites dados pelas mulheres, como propõe a Plataforma de Ação de Pequim que completa 20 anos neste 2015. Em caso de violência, as mulheres e as pessoas que estiverem em volta delas saberão reconhecer os sinais de intimidação e agressões, procurando serviços como o Ligue 180. Outra mensagem da campanha é o incentivo ao uso da camisinha”, aponta Nadine Gasman, representante da ONU Mulheres Brasil.

Cartão eletrônico é compartilhado nas redes sociais Arte: Propeg 

A campanha é criação pro bono da Propeg Comunicação SA. Uma das peças é o fluxograma da paquera que se desdobra em duas soluções criativas com animação em vídeo.  A primeira delas tem o mote “Chega melhor, quem chega direito”. O foco é a abordagem sem pressão nem violência, em que mulheres e homens são incentivados a seguir a paquera numa boa com respeito aos direitos delas e aos limites estabelecidos de acordo com a vontade delas. Se a paquera foi bem-sucedida, o desfecho do caminho é “Neste carnaval, perca a vergonha, mas não perca o respeito”. Se não rolou empatia, o fim da linha é o “bloco que segue” para a festa continuar bacana para a mulher e o homem.  

A segunda versão do fluxograma é “Ter pegada não é faltar com respeito” direcionada à atenção a mulher que foi abordada. Se ela percebeu agressão, intimidação ou violência, é incentivada a fazer valer os seus direitos de não violência e a procurar o Ligue 180, disque-denúncia da SPM, na mensagem “Neste carnaval, perca a vergonha, mas não perca o respeito. Denuncie. Ligue 180”. Caso não tenha ocorrido nenhuma prática violenta, há outra variação da peça com o comando “Neste carnaval, perca a vergonha. Proteja-se. Use camisinha” de incentivo ao sexo seguro. Ao homem, a mensagem serve como um sinalizador de que abordar mulheres não significa faltar com o respeito à vontade delas.  

Por meio de postagens para facebook, as mensagens de carnaval sem violência são divulgadas com a hastag #naopercaorespeito com imagens de foliãs e foliões no clima de paz e de alegria nas festas de rua. No Instagram, o público dessa rede social estará sendo incentivado, a partir de quinta-feira (12/2), a registrar a sua preparação para a folia e a interagir com a campanha, ampliando as imagens e mensagens em favor de um carnaval sem agressão às mulheres e com uso de camisinha nas relações sexuais. A mobilização será feita no Instamission e no Instagram do Bem.  

Comunicação Social
Secretaria de Políticas para as Mulheres – SPM

Presidência da República – PR

Fonte: Políticas para as Mulheres, com informações da ONU Mulheres


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...