Mundial Master de Orientação em Canela termina com pódio brasileiro

Na cerimônia de premiação, 65 atletas receberam medalhas, nas categorias de 35 a 
85 anos, e três gaúchos levaram o Brasil ao pódio - Foto: Anna Magagnin/SEL

12/11/2014

O 26º Mundial Master de Orientação (WMOC, na sigla em inglês) terminou neste sábado (8), em Canela, com atletas gaúchos no pódio. O campeonato realizado pela primeira vez na América Latina cumpriu, após a edição realizada no Brasil, o último pré-requisito para ser considerado esporte olímpico. Na cerimônia de encerramento, foram premiados os vencedores da modalidade Percurso Longo.

Na cerimônia de premiação, 65 atletas receberam medalhas, nas categorias de 35 a 85 anos, no masculino e feminino. O atleta mais velho da competição, o sueco Rune Haraldsson, de 96 anos, foi o medalhista na categoria dos 95 anos.

Três gaúchos levaram o Brasil ao pódio. O taquarense Ironir Ev, ouro na modalidade sprint, levou prata na categoria 35 anos acompanhado de Leandro Pasteuriza, de São Leopoldo, que ganhou o bronze. Na mesma categoria, Elaine Lenz, de Panambi, quebrou um tabu ao ser a primeira atleta brasileira medalhista em competições oficiais internacionais de orientação. “Fui bem nessa classificatória e fiquei com aquela sensação dentro de mim de que era possível, apesar do percurso mais longo e difícil; perdi um tênis na lama, mas consegui a medalha”, relatou Elaine. A gaúcha, que começou a praticar o esporte há seis anos, conta que conheceu a orientação num clube de prática da sua cidade. “Desde então nunca mais parei”, completa.

Após oito dias de competição, com provas realizadas também em Porto Alegre e São Francisco de Paula, o WMOC 2014 contou com a participação de 1.625 atletas, de 38 países. Na categoria master, participaram 1.575 homens e mulheres de 35 a 96 anos. Já na categoria open, que não concedeu medalhas, foram 51 atletas entre 12 e 21 anos. A próxima edição do Mundial Master de Orientação será em Gottenburg, na Suécia.

O Mundial Master de Orientação (MWOC 2014) é uma realização da Internatiocnal Orienteering Federation (IOF) e da Confederação Brasileira de Orientação (CBO). Realizado em Canela, Porto Alegre e São Francisco de Paula, o evento contou com o apoio da Secretaria do Estado do Esporte e do Lazer (SEL).

Estrangeiros aprovam organização e paisagens gaúchas

Ao final do evento, não apenas os vencedores comemoram. A norueguesa Eide Gudbjorg, de 80 anos, resume sua motivação em ter participado do evento. “Não fui muito bem na prova em si, mas gosto desse tipo de viagem porque conheço muitas pessoas com gostos comuns e pude conhecer este local lindo, com tanto verde que é a região das Hortênsias”, relatou a norueguesa que veio pela primeira vez ao Brasil com um grupo de 60 amigos e ficará um total de três semanas viajando pelo país. “Achei tudo muito limpo e organizado”, destaca Eide.

Já o italiano Nicola de Paola, que veio num grupo pequeno com esposa e amigos, se disse surpreendido pela paisagem do RS. “A gente sempre imagina o Brasil tropical e aqui eu vi lugares que me lembram os alpes italianos e paisagens do Reino Unido”, relatou o atleta que competiu na categoria 55 anos. “Vou pegar uma foto daqui e desafiar aos meus amigos que local é esse, aposto que ninguém imaginaria que é o Brasil”, brincou. Nicola permanece dez dias no Brasil e projeta uma visita ao Pantanal após a competição. 

Maiores delegações

“Foi com muita satisfação que recebemos este evento e saúdo os atletas, organizadores, voluntários e atletas”, saudou o prefeito de Canela, Cléo Port, na cerimônia de encerramento. O prefeito fez uma saudação especial em sueco, em homenagem aos 424 atletas que integraram a maior delegação do evento. Os atletas da Suécia e Noruega, que somavam mais de 600, fizeram, também um agradecimento especial aos guias turísticos que o acompanharam durante a competição.

Atendimentos médicos

No último dia de competição, foram realizados cerca de 20 atendimentos e uma remoção ao hospital, sem gravidade, de atleta com corte na perna. No penúltimo dia, na quinta-feira, cerca de 30 atletas foram atendidos e sete removidos ao hospital. A maioria dos atendimentos foi em função de cortes e ferimentos, sem gravidade, e todos já foram liberados. Durante toda a competição foram mais de 70 atendimentos e cerca de 15 remoções ao hospital.  

Curiosidades

- Com grande número de participantes dos países nórdicos e pela primeira vez no Brasil, durante as competições no Parque do Caracol, vários atletas apresentaram alergia ao pólen, sendo um participante removido ao hospital por edema de glote, mas já liberado.

- Na categoria 40 anos masculino, não houve segundo lugar, pois dois competidores ficaram empatados em primeiro lugar, com o tempo de 55 minutos e quatro segundos. O britânico Nick Barrable e o finlandês Mikko Väisänen ganharam medalha de ouro.

- Cerca de 20 homens do Exército brasileiro auxiliaram na organização do evento, atuando na limpeza, na saída e chegada dos atletas. A orientação é um esporte que, no Brasil, iniciou-se principalmente no Exército, tendo muitos competidores militares, como o medalhista Ironir Ev, que levou ouro na modalidade sprint e prata no Percurso Longo, na categoria 35 anos.

Texto: Anna Magagnin
Edição: Ana Cristina Rosa

Fonte: SEL

Cursos Online na área de Ciências Biológicas e da Saúde

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...