Arena-2018 apresenta manual de exigências para as cidades-sede

© LOC

17/08/2014

Arena-2018 apresenta manual de exigências para as cidades-sede

A Arena-2018, em cooperação com o Comitê Organizador Local (COL) da Copa do Mundo da FIFA Rússia 2018, apresentou às cidades-sedes o Manual de Requisitos para os Estádios, um documento que definirá as bases dos projetos e da construção das arenas que serão utilizadas no torneio.

O seminário, realizado entre os dias 23 e 24 de julho, teve a participação de mais de 60 especialistas das empresas envolvidas nos projetos e na construção de todos os 12 estádios a serem utilizados no Mundial de 2018, além de representantes de ministérios e departamentos regionais e de consultores internacionais especializados em operações nas arenas.

O manual de estádios da Copa do Mundo da FIFA 2018 foi elaborado pela organização que dirige o futebol mundial em parceria com a Arena-2018 e conta com os últimos requisitos estruturais da FIFA para as arenas do torneio na Rússia, os quais foram definidos a partir de experiências prévias adquiridas em outras edições do Mundial. A primeira versão do documento foi publicada no primeiro semestre de 2013. Já a versão final e expandida será publicada em 2014, com uma antecedência recorde nos trabalhos prévios a uma Copa do Mundo da FIFA.

Os participantes do seminário ressaltaram a necessidade de uma maior atenção aos programas que tratam do legado dos estádios da competição. “Como organizações autorizadas a preparar e organizar o Mundial, o COL e a Arena-2018 têm o interesse, antes de tudo, de garantir que os estádios construídos para a competição estejam de acordo com os requisitos da FIFA“, observou o CEO do COL da Copa do Mundo da FIFA Rússia 2018, Alexey Sorokin. “Contudo, o êxito da Copa do Mundo na Rússia dependerá não apenas de uma organização bem feita, mas também da eficácia das instalações utilizadas no torneio após o mesmo. E a experiência internacional comprova que é justamente agora, na fase de projetos, que devemos nos certificar de que os estádios sejam polivalentes.”

Na apresentação do novo manual, os organizadores também delinearam os princípios básicos dos projetos, da construção e do uso dos estádios do Mundial de 2018 para certificar-se de que cumpram com as exigências para um desenvolvimento sustentável. Tais princípios abrangem áreas como o consumo de energia, meios de transporte respeitosos com o meio ambiente, o cumprimento de requisitos e padrões ambientais e a necessidade de garantir que os estádios estejam integrados, de maneira adequada, às cidades nas quais se encontrem.

Especialistas internacionais de dois grandes estádios europeus – o inglês Wembley e o holandês Amsterdam Arena – compartilharam as experiências adquiridas no projeto, na construção e na utilização destes. O seminário também contou com a participação do diretor da empresa brasileira Arena, Carlos de la Corte, que contou como questões parecidas foram resolvidas durante a construção dos estádios da Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014.

A Arena-2018 expandirá a cooperação com os proprietários dos estádios utilizados no Mundial de 2018, organizando mais seminários sobre projeto e construção de arenas – muitos serão realizados até o fim deste ano. Em outubro, a Arena-2018, em cooperação com especialistas da FIFA, fará visitas de inspeção a vários estádios do Mundial na Rússia como parte do processo de monitoração.

A Arena-2018 foi fundada pelo COL do Mundial de 2018 em abril de 2012. A tarefa principal da organização é monitorar os projetos, a construção e a reconstrução dos estádios, e assegurar que todos os prazos sejam cumpridos e que as exigências da FIFA sejam atendidas.

As partidas da Copa do Mundo da FIFA Rússia 2018 serão realizadas em 11 cidades-sede e 12 estádios: Moscou (Lujniki e Estádio do Spartak de Moscou), São Petersburgo, Kaliningrado, Kazan, Níjni Novgorod, Samara, Saransk, Volgogrado, Rostov do Don, Sóchi e Ecaterimburgo.

Fonte: FIFA


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...