Brasil 1 (3) x 1 (2) Chile - É monstro! A redenção de Júlio César

Foto: Divulgação

28/06/2014

Após empate sofrido, a Seleção Brasileira levou a melhor nas penalidades máximas

Foi sofrido, foi nos pênaltis, mas a Seleção Brasileira está nas quartas de final da Copa do Mundo. Após empate no tempo normal em 1 a 1, o Brasil viu o jogo ir para as prorrogações, os corações foram à mil. Na prorrogação, Hulk chamou a responsabilidade, porém, não decidiu. Coube então para Júlio César se redimir do Mundial passado. O arqueiro defendeu duas penalidades máximas e contou com o erro de Jara para sair classificado. Neymar fez o último da equipe, em partida que acabou em 3 a 2, no Estádio do Mineirão.

O Tabu ainda está de pé. A Seleção Brasileira não perde para o Chile há 14 anos ou 13 jogos. A última vitória chilena aconteceu apenas em 2000, quando venceram por 3 a 0, pelas Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2002, no dia 15 de agosto, em Santiago.

Uma curiosidade marcou o duelo deste sábado. Na copa do Mundo de 1962, quando o Brasil levou o bicampeonato, a Seleção venceu a equipe chilena pelo placar de 4 a 2. Um dos gols do adversário foi marcado por um atacante que se chamava Sánchez. Hoje, o gol do Chile foi do astro do Barcelona, Alexis Sánchez. Será que o título também se repetirá?

BRASIL MARCA, MAS VACILA NO FIM

Foto: Divulgação

Acabou a Fase de Grupos. A competição é outra. Agora o que vale é o mata a mata. Quem perder, dará adeus ao Mundial. O vencedor segue o seu caminho rumo a tão sonhada taça no país de futebol. Antes do início da partida entre Brasil e Chile, uma novidade. O técnico Luiz Felipe Scolari promoveu a entrada de Fernandinho no lugar de Paulinho. David Luiz e Daniel Alves, que até então eram dúvidas, começaram entre os titulares.

Favorita por jogar em casa e por contar com a maioria dos torcedores que lotaram o Estádio do Mineirão, a Seleção Brasileira começou apostando na velocidade. Com um sistema defensivo lento, o Chile tinha dificuldades para segurar os avanços, principalmente, do atacante Neymar, que perdeu duas grandes oportunidades de abrir o placar.

Aos 15 minutos, o camisa 10 invadiu a área chilena, mas invés de chutar com a perna esquerda, tentou cortar novamente o zagueiro e desperdiçou a chance. O lance se repetiu novamente mais tarde, quando o craque tentou um drible a mais, perdeu a bola, que sobrou para Fred. O atacante do Fluminense dividiu com o adversário e mandou para fora.

Melhor na partida, a Seleção Brasileira contou também com a sorte para abrir o marcador. Aos 18 minutos, Neymar cobrou escanteio, Thiago Silva desviou de cabeça e David Luiz completou para o fundo das redes. A festa, porém, não durou até o fim da primeira etapa. O Chile foi equilibrando o embate e contou com um erro de Hulk para empatar. O camisa 7 perdeu a bola na lateral. Vargas se aproveitou e tocou para Sánchez chutar. Sem chances para Júlio César.

Mesmo após o gol, o Brasil continuou bem na partida. A mesma sorte que fez a bola de David Luiz entrar, tirou a cabeçada de Neymar. O craque ganhou no alto, a bola bateu na cabeça de Silva e passou tirando tinta da trave. Mas, no final do embate, o Chile acelerou os corações de milhares de brasileiros. Em mais um erro da Seleção Brasileira, desta vez de Luiz Gustavo, Sánchez tentou, porém, Júlio César acabou salvando. No fim, David Luiz afastou de vez o perigo.

SELEÇÃO ESCAPA DE DERROTA E LEVA PRA PRORROGAÇÃO

Foto: Divulgação

No segundo tempo, o futebol da Seleção Brasileira caiu drasticamente. O Brasil perdeu o meio de campo e viu o Chile se transformar no melhor da partida. Mais uma vez, Oscar ficou muito abaixo do esperado e se escondeu no domínio chileno. Neymar também desapareceu. O craque que todos botavam fé não era o mesmo da primeira etapa.

Quem sobrou? Ele, o contestado Hulk. O camisa 7, que falhou no gol chileno, chamou a responsabilidade e perdeu as melhores oportunidades de marcar o segundo gol para a Seleção Brasileira. Em um dos melhores lances de perigo, o atacante foi para a jogada individual, passou por dois adversários e chutou, mas parou no goleiro Bravo.

Hulk ainda poderia ter sido premiado com o gol no início do segundo tempo, mas o árbitro marcou mão do atacante. O jogador dominou e chutou para as redes, nada valeu. Já o Chile, soberano no segundo tempo, parou em Júlio César, que começava a brilhar. Em chute de Aránguiz, o arqueiro brasileiro fez o milagre.

Pior em campo, o Brasil apelava em jogadas de contra-ataque e nos famosos "chuveirinhos". Foi assim que Neymar, por pouco, não fez o gol da vitória. Daniel Alvez lançou para o craque, que de cabeça, parou em Bravo.

MAIS 30 MINUTOS SENHOR JUIZ!
A prorrogação também não foi fácil para a Seleção Brasileira. O Brasil esqueceu da péssima segunda etapa, voltou a ficar melhor em campo. Não é para menos. A equipe chilena cansou e começava a vê as cobranças de pênalti como uma ótima possibilidade de eliminar o favorito para o título da Copa do Mundo.

Na primeira etapa, as melhores chances aconteceram apenas nos minutos finais, e pelo lado brasileiro. Aos 11 minutos, Hulk fez boa jogada e tocou na cabeça de Oscar. O meia testou firme, mas nas mãos do goleiro Bravo. Logo em seguida, o camisa 7 arriscou mais um chute de longa distância, porém, outra vez o goleiro chileno fez um milagre.

A segunda etapa, as equipes se preservaram. O intuito era não tomar gol. A Seleção Brasileira apostou as fichas nos minutos iniciais, quando Jô aproveitou de escanteio e mandou para fora. Já os chilenos, sem o palmeirense Valdívia, pouco fizeram, mas a última jogada fez com que muitos brasileiros apostassem na fé. Aos 14 minutos, Pinilla, na entrada da área, chutou e a bola bateu caprichosamente no travessão de Júlio César. Era o milagre! Estaria o Brasil nas quartas de final? Sim, este foi o ponto crucial.

É MONSTRO, É JÚLIO CÉSAR!

Foto: Divulgação

A Seleção Brasileira sempre teve ótimos goleiros que se destacaram em cobranças de pênalti. Dos últimos anos para cá, podemos citar Taffarel e "São Marcos". Com a responsabilidade de honrar o nome dessas duas feras, Júlio César se livrou da "zica" que o envolvia desde a Copa passada e se transformou no grande herói.

O goleiro brasileiro defendeu as duas primeiras cobranças de pênalti do Chile. Pinilla, o jogador que chutou no travessão no último minuto da prorrogação, e Aléxis Sánchez pararam nas mãos do arqueiro. Pelo lado da Seleção Brasileira William e Hulk também erraram, o que fez com que a classificação fosse definida apenas na quinta cobrança.

David Luiz, Marcelo e, por último, Neymar levaram o Brasil para as quartas de final, mas isso foi só possível, graças à uma "mãozinha" chilena. Jara, o mesmo que esteve na dividida de David Luiz no primeiro gol brasileiro, foi para cobrança sorrindo, mas acabou triste, após chutar na trave. Era a eliminação do Chile e uma classificação, no melhor estilo brasileiro, com muita emoção e decidida nos minutos finais. Agora? Que venha o Nordeste. Que venha a a bela Fortaleza. O adversário? Sairá entre Colômbia e Uruguai.

PRÓXIMO JOGO
Na próxima rodada, o Brasil terá pela frente o vencedor entre Uruguai e Colômbia, em partida que será realizada na sexta-feira, às 17h, no Estádio do Mineirão. Por sua vez, o Chile termina a sua participação eliminado pelos donos da casa.

FICHA TÉCNICA

BRASIL 1 (3) x (2) 1 CHILE

BRASIL - Julio Cesar; Daniel Alves, Thiago Silva, David Luiz e Marcelo; Luiz Gustavo, Fernandinho (Ramires) e Oscar (Willian); Neymar, Hulk e Fred (Jô). Técnico: Luiz Felipe Scolari.

CHILE - Bravo; Francisco Silva, Medel (Rojas) e Jara; Isla, Díaz, Aránguiz, Vidal (Pinilla) e Mena; Sánchez e Vargas (Gutiérrez). Técnico: Jorge Sampaoli.

GOLS - David Luiz, aos 17, e Sánchez, aos 31 minutos do primeiro tempo.
CARTÕES AMARELOS - Jô, Luiz Gustavo e Hulk (Brasil); Mena, Pinilla e Francisco Silva (Chile).
ÁRBITRO - Howard Webb (Fifa/Inglaterra).
RENDA - Não disponível.
PÚBLICO - 57.714 pessoas.
LOCAL - Estádio do Mineirão, em Belo Horizonte (MG).



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...